Dez anos depois, PJ diz que caso Maddie “continua aberto”

Waerfelu / Wikimedia

Maddie McCann

Maddie McCann

A Polícia Judiciária continua a investigar o desaparecimento de Madeleine McCann, ocorrido em 2007 no Algarve, admitindo que se trata de “um caso único na história da PJ e do país”.

“O caso continua aberto” e a investigação foi entregue a uma equipa da PJ do Porto, revelou o diretor-adjunto da Polícia Judiciária, Pedro do Carmo, em entrevista à agência Lusa, a propósito dos dez anos do desaparecimento da criança britânica, então com três anos, do aldeamento turístico Ocean Club, na Praia da Luz, Lagos.

Para o número dois da PJ, os contornos do desaparecimento de Maddie são “um caso único na história do país e na da PJ”.

“Nunca tínhamos tido um caso semelhante nem tivemos depois”, disse Pedro do Carmo, admitindo que a polícia “tem todo o interesse em saber o que se passou, porque é dessa forma que se podem tirar as ilações para situações futuras”.

Questionado sobre se o longo tempo decorrido é inimigo da investigação, o responsável admitiu que “a PJ tem consciência que, à medida que o tempo passa, se tornará mais difícil alcançar respostas ou resultados”.

“De qualquer forma temos essa esperança e temos razões para termos esta esperança”, assegurou.

O trabalho da PJ “continuou e continua neste momento”, existindo “a esperança de encontrar respostas para o caso, e alcançar resultados” até se chegar ao momento de dizer “que nada mais há a fazer”.

Pedro do Carmo reconheceu que o caso Maddie é uma pedra no sapato da PJ e considerou que ainda é prematuro fazer uma análise sobre como decorreu todo o processo de investigação.

Não sabemos ainda o que aconteceu, qual a razão do desaparecimento da Madeleine. O que significa que ainda não estamos em condições de dizer o que foi mal feito, bem feito ou que o deveria ter sido feito”, frisou.

A avaliação crítica do caso só poderá realizar-se com o encerramento do inquérito, “quer porque encontrámos as respostas que queríamos ou porque chegámos ao ponto onde nada mais há para fazer”, disse.

A menina britânica desapareceu a 3 de maio de 2007, quando dormia, juntamente com os dois irmãos gémeos (mais novos), no quarto de um apartamento de férias no Algarve.

No início da investigação, a PJ chegou a constituir como arguido, um britânico que vivia nas proximidades do Ocean Club – Robert Murat – e que havia participado nas buscas e sido intérprete da GNR e da PJ.

No início de agosto de 2007, já depois de muitas peripécias que terão dispersado a atenção dos investigadores, a polícia britânica, com a ajuda de cães pisteiros, entrou em ação no local do desaparecimento, à procura de sangue e odores do cadáver da menina.

Em setembro, os pais de Maddie, ambos médicos, foram interrogados na PJ de Portimão e constituídos arguidos.

A 21 julho de 2008, o Ministério Público decidiu arquivar o inquérito e retirar o estatuto de arguidos ao casal McCann e a Robert Murat, ressalvando que o caso poderia ser reaberto caso surgissem “novos elementos de prova”.

Dez anos depois, a investigação ainda prossegue em Portugal e Inglaterra, apesar de as novas pistas que surgiram se terem revelado infrutíferas.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Plataformas de streaming passam a ter de pagar 1% do seu lucro ao Estado

As plataformas de streaming passam a pagar uma taxa, após a proposta de lei ser aprovada esta sexta-feira, na Assembleia da República. Serviços como a Netflix, a HBO Portugal ou a Disney +, passam a …

Porto 1-0 Gil Vicente | Dupla Shoya-Evanilson embala “dragão”

Difícil, mas justo. O FC Porto recebeu o Gil Vicente numa noite chuvosa no Dragão, dominou claramente até aos 75 minutos – altura em que Zaidu foi expulso – e venceu por 1-0. Um resultado …

O novo recurso da Google encontra qualquer música. Basta cantarolar, assobiar ou cantar

Na semana passada, a gigante tecnológica da Google lançou uma versão atualizada da aplicação que ajuda a encontrar qualquer música que esteja presa na sua cabeça - mas que não saiba o nome. Com a nova …

Pintura de Jacob Lawrence desaparecida há 60 anos foi encontrada em Nova Iorque

Uma visitante do Met, nos Estados Unidos, descobriu o paredeiro do quadro desaparecido de Jacob Lawrence. A mulher associou o quadro a um pendurado na sala de estar dos seus vizinhos, suspeitando que poderia fazer …

Fezes ancestrais ajudam a descobrir como o microbioma afeta a nossa saúde

Um novo estudo, realizado em Israel e na Letónia, analisou fezes ancestrais e comparou-as com o nosso microbioma para tentar descobrir pistas sobre as doenças modernas. A equipa de investigadores, que trabalhou enterrada até aos joelhos …

Santa Clara 1-2 Sporting | “Leão” mostra POTEncial nas ilhas

Ao final da tarde deste sábado, o Sporting venceu o Santa Clara por 2-1, num duelo a contar para a 5ª jornada da Liga NOS que decorreu no Estádio de São Miguel, em Ponta Delgada. …

Robô ultrarrealista pode vir a substituir os golfinhos em cativeiro em parques temáticos

A empresa de engenharia Edge Innovations, com sede em São Francisco, Estados Unidos, projetou e construiu um golfinho-robô que se parece e age quase exatamente como um. Nadando ao redor da piscina enquanto um grupo de …

PCP avisa: Abstenção é “apenas e só” para discutir o OE2021

O secretário-geral do PCP avisou este sábado que a abstenção anunciada pelo partido visa "apenas e só" fazer passar o Orçamento do Estado de 2021 a "outra fase de discussão" e recusou estar garantido um …

Convento medieval encontrado sob parque de estacionamento em Inglaterra

Uma equipa de arqueólogos britânicos encontrou um convento medieval, há muito perdido, debaixo de um parque de estacionamento em Inglaterra. Há muito que os arqueólogos britânicos especulavam sobre a potencial localização de um antigo convento medieval, …

Virgin Galactic leva cientista planetário ao Espaço pela primeira vez

O norte-americano Alan Stern será o primeiro a realizar experiências científicas financiadas pela NASA, a bordo de uma aeronave comercial da empresa espacial privada Virgin Galactic. A NASA revelou a semana passada que o cientista planetário …