“A nossa dor não tem medida”. Balanço de mortos sobe para 62

Paulo Cunha / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conforta o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves. à esquerda, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, conforta o presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves. à esquerda, o secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes

O Presidente da República afirmou hoje que o incêndio no distrito de Leiria que matou pelo menos 62 pessoas é “uma tragédia quase sem precedente na história do Portugal democrático”, e provoca uma dor sem medida.

“A nossa dor neste momento não tem medida, como não tem medida a nossa solidariedade, a solidariedade de todos nós para com os familiares das vítimas da tragédia de Pedrógão Grande”, declarou o chefe de Estado, numa comunicação ao país, a partir da Sala das Bicas do Palácio de Belém, em Lisboa.

Marcelo Rebelo de Sousa referiu que “uma só morte em tais circunstâncias é sempre uma tragédia, mas tantas dezenas de mortos representam uma tragédia quase sem precedente na história do Portugal democrático“.

“Nesta hora, há também interrogações e sentimentos que não podem deixar de nos angustiar, a começar por um sentimento de crescida injustiça, porque a tragédia atingiu aqueles portugueses de quem menos se fala, de um país rural, isolado, com populações dispersas, mais idosas, mais difíceis de contactar, de proteger e de salvar”.

“Guardemos, contudo, no imediato, este e outros sentimentos que legitimamente nos sobressaltam, inconformistas que somos, no mais fundo do nosso coração”, pediu.

“Sem os esquecermos, concentremos agora a nossa vontade no essencial: prosseguir o combate em curso, manter e alargar de forma ativa e consequente a nossa solidariedade a todos quantos sofreram e ainda sofrem a tragédia, demonstrando que nos instantes mais difíceis da nossa vida como nação, somos como um só, por Portugal”, acrescentou.

O Presidente da República expressou “gratidão” e “incondicional apoio” a todos os que estão envolvidos no combate ao incêndio e no apoio às populações atingidas, “bombeiros, Proteção Civil, INEM, Guarda Nacional Republicana, Polícia Judiciária, Forças Armadas, autarquias locais, estruturas de saúde e sociais, povo anónimo”.

“Com eles estarei nos próximos dias, a partir já desta segunda-feira”, adiantou.

O Presidente promulgou o decreto do Governo que declara luto nacional por 3 dias, pelas vítimas do incêndio no distrito de Leiria, anunciou a Presidência da República, numa nota enviada à agência Lusa.

“Em consequência, toda a programação dos próximos dias da agenda presidencial foi anulada e a bandeira nacional está a meia haste no Palácio de Belém”, refere a nota.

62 mortos. Incêndio alastra

Entretanto, o número de mortos no incêndio que atinge Pedrógão Grande e outros dois concelhos do distrito de Leiria aumentou para 62, adiantou a ministra da Administração Interna, Constança Urbano de Sousa. O balanço anterior era de 61 vítimas.

Segundo a governante, o incêndio já alastrou para o distrito de Castelo Branco, tendo entrado no concelho da Sertã.

Num ponto de situação aos jornalistas pouco depois das 20 horas, Constança Urbano de Sousa adiantou que o trabalho de remoção das vítimas mortais está “praticamente concluído”, estando os corpos a ser transportados para o Instituto de Medicina Legal de Coimbra.

Segundo a ministra, os 834 operacionais no terreno “estão a ser reposicionados” para combater durante a noite de forma eficaz este grande incêndio.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Os responsáveis devem ser encontrados, amarrados em postes com mangueiras enfiadas no cu, mas não me surpreendia que, um dia, recebam uma ordem de mérito ou outra condecoração a condizer.
    Triste país!

    • Alguém me diga porque é que não havemos de pensar que existe interesse em desertificar e acabar com os pequenos proprietários de floresta? E que isto que aconteceu até que daria um certo… Ah, porque não se pode pensar isso!! Pois é. É por essas espécies de atavismos que ninguém quer ver o filme. Mas o filme anda a ser rodado. Muito devagar, leva anos e anos e anos, tem de ser assim, para não ser percebido pelos interessados. Pressuposto 1 – moral existe: Só se aplica ao povinho, não às elites. Pressuposto 2 – defesa do povo: mesma coisa. Vote em quem o representa! É como um advogado, também o representa! Pena é que ele(a) ande a ser bem melhor pago pelo oponente e você às escuras a confiar, confiar, confiar… A terra sair das mãos dos privados e passar para o Estado. É o nome do jogo. Quem quiser que duvide. Depois de estar no Estado, bem,… é como a EDP.

RESPONDER

Covid-19. Médicos devem dar prioridade a quem pode recuperar vida normal e não à idade

Os doentes que podem recuperar para uma vida normal devem ter prioridade face aos que têm baixa probabilidade de recuperação e a idade não pode por si só ser critério, recomenda um parecer do Colégio …

"Há doentes a ficar para trás". Ex-ministro da Saúde diz que mortes por falta de cuidados são inaceitáveis

O ex-ministro da Saúde Adalberto Campos Fernandes afirmou esta terça-feira que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) está a ser exposto a um teste de stresse devido à pandemia e que não é aceitável que …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar a médica que divulgou receita para enganar testes à covid-19

Depois de médica divulgar receita para os possíveis infetados testarem negativo à covid-19, a Ordem dos Médicos abriu o terceiro processo contra membros do movimento que contesta o uso de máscaras - os "Médicos pela …

Aprovado alargamento das taxas agravadas do IMI e IMT para empresas em offshores

As empresas localizadas em offshore que criem um veículo para deter imóveis em Portugal vão passar a estar sujeitas a taxas agravadas de IMI e de IMT, segundo uma proposta aprovada pelo Parlamento nesta terça-feira. A …

Processo de contratação pública "é um terror" que "torna um inferno" o trabalho do Estado

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, afirmou esta terça-feira que "o processo de contratação pública é um terror" que "torna num inferno" o trabalho do Estado e das empresas que fazem investimento público. "O processo …

"Não fui eu que o fiz". Nélio Lucas não se lembra de detalhes dos negócios com o FC Porto

O ex-presidente da Doyen, Nélio Lucas, disse esta terça-feira em tribunal, no âmbito do julgamento do caso Football Leaks, que não se recorda das circunstâncias e detalhes dos empréstimos que o fundo fez à SAD …

Juízes indeferem requerimentos da Doyen contra defesa de Rui Pinto

O coletivo de juízes do processo Football Leaks indeferiu os requerimentos apresentados hoje pelos advogados da Doyen para travar a linha de inquirição da defesa de Rui Pinto, alegando estar em causa um "escrutínio" dos …

Do gesto altruísta à "bomba" que deixaria Scholes orgulhoso. Bruno Fernandes brilha na Champions

Bruno Fernandes esteve em destaque ao serviço do Manchester United em noite de Liga dos Campeões. O português marcou um golaço e teve oportunidade de fazer o hat-trick, mas ofereceu o penálti. Num grupo H ainda …

Sucessivos adiamentos e conversas de backstage entre PS e PCP. As medidas encalhadas vão hoje à prova de fogo

As negociações entre PS e PCP continuam, mesmo enquanto decorrem as votações do Orçamento do Estado para 2021. Os ex-parceiros de geringonça estão a adiar sistematicamente a votação de algumas propostas desde sexta-feira - mas …

Inspeção atrasa viagem do FC Porto para Marselha. Clube culpa o Estado

Uma inspeção da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) na zona VIP do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto, atrasou em uma hora a viagem da equipa do FC Porto para Marselha, onde vai jogar …