Um milhão nas ruas pela independência da Catalunha

Quique Garcia / EPA

O “Diada”, dia nacional da Catalunha, contou com uma das maiores participações populares dos últimos anos: um milhão saiu à rua pela independência da Catalunha.

Na segunda-feira, um milhão de catalães pediu nas ruas a independência da região. A grande marcha marcou o dia nacional da Catalunha, ou “Diada”, que se celebra a 11 de setembro.

A palavra de ordem foi “A Diada do Sim”, uma alusão explícita ao sentido de voto em 1 de outubro, que foi criticada por vários partidos que consideram ilegal a consulta popular.

Por todo o lado, as ruas encheram-se de bandeiras que marcavam as cores da região – vermelha, amarela e azul – e as palavras de ordem ecoavam por toda a Catalunha, na esperança de que ocupassem os ouvidos de todo o país.

“Independência”, “vamos ser um país livre”, “referendo é democracia” foram as mensagem que marcaram o dia. Em defesa do referendo, até torres humanas marcaram presença nas ruas de Barcelona.

Os catalães presentes gritavam, na manifestação que ainda decorria no final da tarde, palavras de ordem a favor da independência desta região espanhola e vestiam t-shirts a pedir o voto no “sim” no referendo de 1 de outubro.

O “Diada” é o dia que assinala a conquista de Barcelona pelo rei de Espanha Filipe V em 1714 depois de um cerco de 14 meses. Nos últimos anos é utilizada para defender a causa da independência, com imagens que passam em todas as televisões do mundo de uma concentração ordeira e de grandes dimensões.

A marcha contou com uma das maiores participações populares dos últimos anos. Este ano foi pretexto não só para se celebrar a região, mas também para reivindicar o referendo à independência convocado pelo governo da Catalunha, para 1 de Outubro, que foi suspenso pelo Tribunal Constitucional, mas que o catalães continuam a acreditar ter direito a ele.

Aos jornalistas, Carles Puigdemont, líder do governo regional, disse que “não é uma opção não realizar o referendo” e por isso a consulta popular vai mesmo avançar. “Faltam 20 dias e estamos preparados para ultrapassar muitos obstáculos”, declarou.

Puigdemont enfrenta acusações por uso indevido de dinheiros públicos, desobediência e abuso por organizar o referendo. No entanto, o presidente do governo regional da Catalunha garante estar disposto a ir para a prisão, se isso se revelar necessário.

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, afirmou na semana passada que “qualquer ação contra a Constituição de um Estado-membro é uma ação contra o quadro institucional da União Europeia”.

Os partidos separatistas têm uma maioria de deputados no parlamento regional da Catalunha desde setembro de 2015, o que lhes deu a força necessária, em 2016, para declararem que iriam organizar este ano um referendo sobre a independência, mesmo sem o acordo de Madrid.

O conflito entre Madrid e a região mais rica de Espanha, com um PIB superior ao de Portugal, cerca de 7,5 milhões de habitantes, um terço da área de Portugal, uma língua e culturas próprias, arrasta-se há várias décadas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

No regresso ao Superior, o Ministério recomenda aulas presenciais, com máscara e ao sábado

No regresso do Ensino Superior, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior recomenda que voltem as aulas em regime presencial com uso obrigatório de máscara e algumas das quais lecionadas ao sábado. Num comunicado …

"A profissionalização é fundamental". Este ano já morreram quatro bombeiros, todos voluntários

Nos incêndios deste ano já morreram quatro bombeiros. O último ano tão mortífero foi 2013, em que sete bombeiros perderam a vida. Em comparação, nos incêndios de 2019, não se registaram vítimas mortais entre esses profissionais. Como …

Portugal só tem 4 fiscais da ferrovia (e cada um tem de inspecionar 811 quilómetros)

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) tem apenas quatro técnicos afetos à fiscalização do setor. O organismo está a pedir o reforço destes profissionais desde 2014. De acordo com a edição desta quarta-feira do …

Dybala eleito melhor jogador do ano em Itália. Ronaldo fora da lista

O avançado argentino da Juventus foi eleito o melhor jogador da temporada 2019/20 do futebol italiano, enquanto o português Cristiano Ronaldo ficou de fora da lista de premiados. Na nota publicada no site oficial da Série …

Novo Banco registou perdas de 260 milhões à revelia do Banco de Portugal

A equipa António Ramalho terá inscrito nas contas 260 milhões de euros em perdas, passíveis de reembolso, sem falar com o Fundo de Resolução. O Público avança que a equipa de António Ramalho sinalizou, nos resultados …

Pingo Doce

Vídeo denuncia desperdício alimentar em supermercado. Jerónimo Martins está a investigar

Hugo Breda e João Relógio, ambos associados à produtora Swag On, publicaram na suas contas de Instagram um vídeo no qual denunciam o desperdício alimentar numa cadeia de supermercados em Lisboa.  O vídeo publicado nas …

O adeus de uma lenda. Ronaldo, Messi e Buffon despedem-se de "San Iker"

O internacional português Cristiano Ronaldo e o argentino Lionel Messi recorreram às redes sociais para se despedirem de Iker Casillas, que esta terça-feira anunciou o fim da sua carreira.  "Foi um orgulho ter partilhado grandes momentos …

Há trabalhadores que estiveram em lay-off sem direito ao apoio salarial

O apoio destinado a trabalhadores que estiveram em regime de lay-off só se aplica a quem tenha estado nesta situação um mês civil completo. A 19 de junho, o Governo aprovou o decreto-lei que criou o …

Ordenado de 3 milhões e outros tantos em prémios. O contrato de Jesus à lupa

Jorge Jesus, que esta segunda-feira foi oficialmente apresentado como treinador do Benfica, vai ganhar três milhões de euros líquidos temporada, valor a que acrescem outros tantos milhões mediante prémios. Apesar de vir auferir um salário …

Já com luz verde de Bruxelas, Governo quer Banco de Fomento a funcionar no final do ano

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital disse esta terça-feira à agência Lusa que quer o Banco Português de Fomento a funcionar no final do ano, depois da sua criação ter sido …