Marinha dos EUA obrigada a divulgar relatório secreto sobre o USS Thresher

US Navy

USS Thresher

O submarino USS Thresher afundou misteriosamente em 1963, e as razões são, até hoje, desconhecidas. Graças a um processo interposto por Jim Bryant, um capitão da Marinha norte-americana já reformado, estamos prestes a descobrir a razão.

No dia 12 de abril de 1963, às 9h17, o submarino nuclear norte-americano USS Thresher emitiu a sua última mensagem, antes de afundar e ser esmagado pela pressão da água nas profundezas do Atlântico. A bordo do navio estavam 129 oficiais e marinheiros.

Quase 57 anos depois, este continua a ser o pior desastre submarino da Marinha dos Estados Unidos, além de ser um dos mais enigmáticos. Ao longo deste anos, a Marinha recusou divulgar o relatório, de 1.700 páginas, alegando a sua extrema confidencialidade. Até hoje, foram divulgadas apenas 19 páginas.

Jim Bryant, um capitão da Marinha norte-americana já reformado, fez da divulgação do relatório uma causa. “Sinto responsabilidade para com os homens que estavam a bordo e para com as suas famílias”, disse, citado pelo portal Stars and Stripes.

“As primeiras sociedades indígenas norte-americanas provaram ser um livro aberto,  ao contrário dos submarinos da Marinha movidos a energia nuclear. Mesmo o material já desclassificado sobre estes sistemas de propulsão está bloqueado, fora da vista do público”, salientou Bryant.

Em duas ocasiões diferentes, a primeira em junho de 2017 e a segunda em abril do ano passado, o capitão de 72 anos recorreu, ainda que sem sucesso, à Lei de Liberdade de Informação, adianta o Popular Mechanics.

No início de 2019, apresentou um pedido de divulgação do relatório no Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito da Columbia, tendo um juiz federal ordenado que a Marinha fosse tornando públicos excertos do relatório em segmentos mensais de 300 páginas, desde 15 de maio até 15 de outubro.

A Marinha recorreu, solicitando mais tempo para analisar os documentos e apagar informações confidenciais. O advogado de Bryant contestou, sublinhando que a Marinha norte-americana já havia prometido fazer isso há 22 anos.

Este mês, o juiz recusou o recurso da Marinha norte-americana.

Em 1963, um tribunal de investigação naval determinou que a causa do acidente terá sido o rompimento de um tubo, que terá provocado o afundamento do submarino.

Bruce Rule, um oficial da Marinha, também reformado, que era responsável pela rede secreta de hidrofones instalados no fundo do oceano (que servia para escutar os submarinos russos), escreveu um pequeno livro de 42 páginas sobre o assunto.

Rule concluiu que o submarino perdeu energia por razões desconhecidas. Depois de ter afundado, foi esmagado pela pressão da água do oceano. Bryant não descarta esta hipótese, mas insiste em ler o relatório oficial da Marinha dos Estados Unidos.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

Astrónomos localizaram com precisão o centro do Sistema Solar

Pela primeira vez, uma equipa internacional de cientistas foi capaz de localizar com precisão o centro de gravidade do Sistema Solar. De acordo com o portal Science Alert, que recorda que o baricentro (centro gravidade) …

Misteriosa cruz de mármore com 1.200 anos encontrada no Paquistão

Uma cruz de mármore foi recentemente descoberta no cimo das montanhas do Baltistão, no Paquistão. Os investigadores acreditam que tem cerca de 1.200 anos e que pode ser um sinal da presença de uma antiga …

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …