Marcelo trava “bloco central”. Só não veta o fim dos debates quinzenais porque não pode

Mário Cruz / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vetou, em menos de 24 horas, duas alterações legislativas fruto do entendimento entre o PS de António Costa e o PSD de Rui Rio – o alegado bloco central.

Em causa estão os diplomas que previam a redução dos debates anuais sobre a Europa de seis para dois e que as petições com quatro mil assinaturas já não tinham de ser discutidos em plenário, precisando para tal de atingir 10.000 assinaturas.

Em ambos os casos de veto, o chefe de Estado deixou duras críticas aos diplomas: no seu entender, a redução dos debates “não foi uma solução feliz” e, no caso das petições, entende que se trata de um “sinal negativo para a democracia portuguesa“.

Fonte de Belém adiantou ao semanário Expresso e ao jornal Observador que Marcelo Rebelo de Sousa é também contra o fim dos debates quinzenais – diploma proposto pelo PSD e aprovado com luz verde do PS – e só não veta a alteração de lei porque não pode.

O Presidente da República é contra a redução do escrutínio parlamentar e só não vota contra o diploma porque em causa está uma alteração do regimento da Assembleia da República, que não passa pelo crivo de Belém.

Em junho, e sem adiantar muito sobre a sua posição, Marcelo Rebelo de Sousa fez saber que não concorda com o fim dos debates quinzenais. “Quando fui candidato à Presidência, discuti com todos os candidatos. Se vier a ser candidato, assunto sobre o qual não pensarei antes de novembro, obviamente discutirei com todos os candidatos presidenciais”.

E foi ainda mais longe: “Quando decidem certas coisas”, os líderes partidários “têm a exata noção das reações que suscitam nos portugueses. Mas só eles são juízes da bondade ou menos bondade dos seus atos”.

De acordo com o Observador, esta posição mantém-se inalterada.

Ao Expresso, fonte de Belém disse que as declarações do chefe de Estado à época da aprovação do fim dos debates quinzenais foi no sentido de mostrar, de uma “maneira civilizada” que o resultado final do acordo PSD/PS era um “exagero”.

ZAP //

 

 

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

"Era como se a morte estivesse num copo." No século XVIII, o gin estava a arruinar a Inglaterra

A bebida alcoólica tornou-se tão popular no Reino Unido que os empresários começaram a utilizar todo o tipo de aditivos para enriquecerem. No século XVIII, o gin tornou-se a maior droga que o homem poderia consumir …

Vacinar animais contra a covid-19? Dezenas de zoos nos EUA estão a avançar com a ideia

Cerca de 70 jardins zoológicos e espaços de conservação nos Estados Unidos estão a administrar a vacina da farmcêutica veterinária Zoetis aos seus animais. Não são só os humanos que estão a ser vacinados contra a …

Lewis Hamilton: "Eu não disse que estava a morrer"

Acidente com Max Verstappen originou dores no campeão; Helmut Marko disse que já era "espectáculo" a mais. Troca de palavras entre os dois candidatos ao título. Como se esperava, o acidente que envolveu Lewis Hamilton e …

Autorretrato de Frida Kahlo deverá ser vendido por um valor recorde de 30 milhões de dólares

A Sotheby’s espera ultrapassar os 30 milhões de dólares (mais de 25 milhões de euros) com o autorretrato da pintora mexicana Frida Kahlo, no qual aparece também o seu marido Diego Rivera. O autorretrato Diego y …

David Luiz: "Um dos dias mais especiais da minha vida" - e ainda se fala sobre Jorge Jesus

Flamengo ficou mais próximo de mais uma final da Libertadores, depois de derrotar o Barcelona de Guayaquil. David Luiz estreou-se. O Flamengo venceu o Barcelona de Guayaquil por 2-0, na primeira "mão" das meias-finais da Copa …

Iémen. Escassez de alimentos empurra 16 milhões de pessoas para a fome, revela ONU

Pelo menos 5 milhões de pessoas no Iémen estão à beira da fome e outros 16 milhões estão "a caminhar para a fome", num país dilacerado pela guerra civil. O Programa Mundial de Alimentos (WFP, na …

Presidente da Tunísia governará por decreto, ignorando partes da constituição

O Presidente da Tunísia, Kais Saied, declarou que governará por decreto e ignorará partes da constituição, enquanto se prepara para mudar o sistema político, gerando críticas imediatas da oposição. Desde 25 de julho, dia em que …

Alemanha deixa de pagar quarentena a trabalhadores não vacinados

A Alemanha vai deixar de indemnizar trabalhadores não vacinados que forem forçados a quarentena devido ao coronavírus, por ser "injusto pedir aos contribuintes que subsidiem aqueles que se recusam a ser vacinados", disse na quarta-feira …

Governo acaba com recomendação do teletrabalho

O Conselho de Ministros decidiu acabar com a recomendação da opção pelo teletrabalho e eliminar a testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores. Estas medidas integram a terceira e última fase do plano …

Cansado de denúncias, Betis pede aos seus sócios: "Portem-se bem"

Clube onde jogam dois portugueses quer que os adeptos tenham um "comportamento adequado" durante os jogos no Benito Villamarín. O Betis de Sevilha jogou seis vezes até agora, nesta época. Quatro desses encontros foram disputados em …