/

Marcelo continua a “desejar e a esperar que haja uma possibilidade de o OE passar”

3

Hugo Delgado / Lusa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República afirmou, esta quinta-feira, que continua “a desejar e a esperar que haja uma possibilidade de o Orçamento passar” e considerou que os próximos dias, com reuniões partidárias até ao fim-de-semana, “são muito importantes”.

Em resposta a questões dos jornalistas, no final de um encontro com representantes de startups portuguesas que vão participar na Web Summit, Marcelo Rebelo de Sousa mostrou-se expectante em relação à evolução do “diálogo entre partidos e Governo” neste período que antecede a votação do Orçamento do Estado para 2022 na generalidade, agendada para a próxima quarta-feira, 27 de outubro.

“Eu continuo a desejar e a esperar que haja uma possibilidade de o Orçamento passar. Vamos ver”, afirmou, acrescentando: “Mantenho o mesmo desejo e a mesma expectativa, e vou manter o mesmo desejo e a mesma expectativa até ver os dados deste diálogo em curso entre partidos políticos fora do Parlamento ou no quadro do Parlamento”.

Interrogado se tem falado com líderes partidários, respondeu: “Não, não tenho tido nenhum contacto com partidos neste momento. Eu deixei, depois de ter falado com eles, toda a liberdade e todo o à vontade para os diálogos, que são diálogos por um lado parlamentares e por outro lado partidários”.

Questionado se admite ponderar novos prazos para eventuais eleições legislativas antecipadas em caso de chumbo do Orçamento do Estado, tendo em conta o processo eleitoral interno no PSD, Marcelo Rebelo de Sousa recusou falar agora nesse cenário.

“Eu funciono na base do cenário de que não há chumbo do Orçamento. Portanto, não estou a funcionar, nem mesmo especulativamente, na base de outro cenário. Tenho só um cenário na cabeça”, declarou.

A 13 de outubro, quando avisou que um chumbo do Orçamento para 2022 “muito provavelmente” conduziria à dissolução do Parlamento, o Presidente da República estimou que as eleições legislativas antecipadas se realizariam em janeiro, que o novo Governo tomaria posse em fevereiro e que só em abril haveria Orçamento, o que conduziria a “seis meses de paragem na vida nacional”.

  // Lusa

3 Comments

  1. Passa sr. PR, passa e, o sr. sabe que o orçamento passa! Eles falam, falam e no fim, entendem-se todos! O Costa é demasiado marau para dizer a verdade e agora com a filhinho a presidente de Junta sabe-se lá como,tem que continuar para o rapazinho chegar ao verdadeiro poleiro!

  2. por causa dos medos das crises politicas é que o pais chegou ao que chegou
    se em vez de andar nas selfies devia puxar as orelhas de vez em quando ao governo
    se cair o governo nao faz mal,
    vamos para eleiçoes e pode ser que o proximo seja mais consencioso

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE