Marcelo ateou fogueira, mas agora recua. Acordo Ortográfico é “não tema”

Nuno Veiga / Lusa

Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa reacendeu a polémica do Acordo Ortográfico, colocando-o na agenda política, mas agora recua, sublinhando que se trata de “um não tema”.

O Presidente da República aproveitou a visita a Moçambique, na semana passada, para realçar que o facto de haver países que não ratificaram o Acordo Ortográfico (AO), nomeadamente Moçambique e Angola, poderia ser um bom pretexto para “repensar o tema”.

Agora, Marcelo considera que o AO “é um não tema”, “uma não questão”, conforme declarações recolhidas pela Rádio Renascença, após a Assembleia Geral da COTEC Portugal, organização da qual é presidente honorário.

A posição do Presidente da República surge, num tom apaziguador, depois do desconforto que gerou em Cabo Verde e em Angola e na própria CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa), onde o secretário executivo Murade Murargy salientou que “não há volta atrás no AO”.

Na mesma toada conciliadora, fugindo a polémicas, Marcelo evita comentar a questão dos contratos de associação do Estado com os colégios privados, que o governo do PS quer limitar, com o intuito de reduzir os gastos com o Ensino particular, e que tem dividido a Esquerda parlamentar e a direita, em particular o PSD.

“Eu sei, eu sei. Eu vejo a televisão. Como dizia a Sophia Mello Breyner, ‘vemos, ouvimos e lemos. Não podemos ignorar’, mas outra coisa é falar”, atira o Presidente da República.

ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. O mal começou com a reforma ortográfica de 1911, e tentativas sucessivas de revisões e acordos. com fartura, e com a tentativa de reforma e acordo de 1940. O Brasil continuou com a ortografia que herdou.
    Agora, que se alcançou um acordo, quando todas as tentativas anteriores falharam, não vamos criar mais confusão e desunião. Este acordo une os utilizadores da língua portuguesa. Um destes dias, os nacionalistas brasileiros adoptam a sua língua brasileira, se continuarmos a brincar às ortografias e aí, a língua portuguesa perderá a sua relevância internacional. A haver reforma, reforme-se a reforma voltemos ao modelo de base grega e latina anterior a 1911.
    Há um revivalismo e muitas edições facsimiladas de obras na sua ortografia original, que é um prazer ler, sem acentos e sem etimologias aldrabadas.
    Afinal, fomos vítimas do provincianismo modernista e vingador dos republicanos radicais de 1911.
    Haja respeito pelo portuguez.

  2. Haja respeito por Portugal e pelos portugueses!
    Pois parece que ninguém o tem, nem mesmo aqueles que por força das suas obrigações!!

  3. Nunca acreditei neste presidente. É um treteiro. Não tem personalidade alguma. Jurou defender a Constituição e está a fazer dela um tapete onde limpa os pés.
    Este presidente não defende Portugal nem a identidade portuguesa.
    É um maria-vai-com-as-outras.

  4. Qual o motivo que leva tanta gente a lutar contra este (e só este) acordo ortográfico? É que já houve muitas alterações à ortografia do Português e parece-me que nunca se discutiu tanto como hoje.
    De facto, o meu pai, que era médico e que se ainda vivesse teria hoje 110 anos, nunca deixou de escrever farmácia com ph ou seja “pharmacia”; mas já não escrevia “vi hoje hum doente de Vizeu”. E eu deixei de acentuar com acento grave os advérbios de modo; não recordo protestos contra isso. Na verdade as línguas não mortas evoluem… Não vale a pena lutarmos contra isso. Eu apoio este AO.

RESPONDER

Maior ameaça ao crescimento português vem de Espanha

Diz o ditado popular que de Espanha nem bom vento, nem bom casamento. Mas, na verdade, o crescimento económico do país vizinho tem contribuído para puxar pela economia portuguesa. Agora, quando se prevê um abrandamento …

Cabo Verde esteve sem Internet durante 24 horas

O arquipélago de Cabo Verde voltou a ter acesso à Internet na tarde desta sexta-feira, cerca de 24 horas depois de uma instabilidade provocada por falhas no fornecedor internacional do serviço. O país tinha ficado sem …

Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas …

Assistente social acusada de maltratar 14 crianças em centro de acolhimento

O Ministério Público (MP) acusa uma mulher de 46 anos, que era assistente social e diretora técnica de um centro de acolhimento na Maia, no distrito do Porto, de maltratar 14 crianças nesta instituição. De …

Marcelo não vê razão de preocupação com empresas portuguesas de Isabel dos Santos

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse esta sexta-feira ter sinais de que não há razão para preocupação nos setores económicos e empresas portuguesas nas quais a Isabel dos Santos está a vender …

Mina de lítio em Montalegre. "Impactes negativos minimizáveis” e 370 empregos

O Estudo de Impacte Ambiental (EIA) da concessão de exploração de lítio, em Montalegre, conclui que o projeto possui “impactes negativos” que, no entanto, “não são significativos”, “são minimizáveis” e de “abrangência local”. O EIA do …

Cristas faz o mea culpa e abandona o congresso. Corrida à sucessão faz-se a cinco

O 28.º congresso nacional do CDS arrancou este no Parque de Feiras e Exposições de Aveiro com o discurso da líder demissionária Assunção Cristas, que fez uma espécie de mea culpa e agradeceu aos centristas …

Sérgio Conceição sai do FC Porto no fim da época

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, deixará o comando dos dragões no final da temporada. A derrota em casa com o Braga terá ditado a saída do técnico azul e branco. O técnico do FC …

Joacine quer mais direitos para deputados sem partido. "Está a antecipar" o futuro

A deputada Joacine Katar Moreira, do partido Livre, defendeu esta sexta-feira o alargamento dos direitos regimentais dos deputados não inscritos em partidos. A deputada única do Livre assumiu esta posição no final de uma reunião do …

França confirma 3 casos de coronavírus chinês. Já chegou à Austrália e Malásia

Depois de França ter confirmado três pessoas infetadas com o novo coronavírus oriundo da China, também a Austrália e Malásia reportaram casos. As autoridades da Malásia anunciaram este sábado terem registado os primeiros três casos de …