Maratona final pelo OE Suplementar. Já há acordo para pagar baixas médicas por covid-19 a 100%

Mário Cruz / Lusa

Arrancou nesta terça-feira, na Comissão parlamentar de Orçamento e Finanças, a votação na especialidade das propostas de alteração ao Orçamento de Estado Suplementar (OES). São, no total, 265 propostas, com a votação a arrastar-se até quarta-feira. E ainda há muitas dúvidas no ar, com o Governo a temer eventuais maiorias negativas que possam pôr em xeque as contas públicas.

Propostas como o apoio a sócios-gerentes, menos descontos em IRS, a isenção dos pagamentos por conta, a facilidade de acesso ao subsídio de desemprego e as rendas nos centros comerciais podem vir a ser aprovadas pela oposição contra a vontade do Governo que está focado no equilíbrio das contas públicas.

No arranque das votações, o PS pediu o adiamento de algumas votações, nomeadamente da proposta para apoio a sócio-gerentes que pode levar a oposição a unir-se em bloco para a aprovar, o que exigirá um investimento extra do Estado.

Medidas sobre o apoio extraordinário a desempregados, a redução do prazo de garantia para aceder ao subsídio de desemprego, o pagamento de rendas e bolsas de estudo, igualmente passíveis de suscitarem uma coligação negativa, foram também adiadas.

No arranque da discussão, o deputado Fernando Anastácio, do PS, vincou que o “ponto de partida importantíssimo” é que as propostas não devem “pôr em causa o equilíbrio das contas públicas”, apelando cuidado perante medidas que “acarretem um peso significativo” na despesa do Estado.

Acordo para pagar baixas médicas por covid-19 a 100%

A coordenadora do Bloco de Esquerda anunciou que o subsídio de doença às pessoas infectadas com covid-19 vai ser pago a 100 por cento, na sequência de um acordo com o governo em sede de OES.

A dirigente bloquista lembrou que, actualmente, o isolamento profilático, quando as pessoas estão a aguardar a confirmação se estão doentes ou não, é pago a 100 por cento, mas a baixa médica não o é.

“A partir de agora, vamos então garantir que essa baixa médica é paga a 100 por cento, esse subsídio de doença, que é verdadeiramente essencial para que as pessoas possam mesmo ficar em casa”, acrescentou.

Catarina Martins falava junto ao Hospital de Viana do Castelo, durante um protesto dos técnicos de radiologia do Serviço de Imagiologia da Unidade Local de Saúde do Alto Minho (ULSAM) contra a não internalização naquela instituição.

Em situação de outsourcing, aqueles profissionais queixam-se de trabalhar em regime precário desde 2004 e de estarem a receber “muito menos” do que outros colegas do quadro da ULSAM que fazem “exactamente o mesmo” que eles.

Segundo adiantaram, as diferenças salariais podem ir até aos 500 euros.

“Esta é uma situação perfeitamente inaceitável”, referiu a líder do Bloco de Esquerda, sublinhando que o OE deste ano “prevê expressamente” que se continue o processo de regularização de vínculos precários.

Catarina Martins reforçou que a situação “assume contornos ainda mais graves” porque em causa estão profissionais de saúde “que estão na primeira linha” de resposta à covid-19, já que são eles que fazem os exames aos doentes.

“Estão aqui a ganhar pouco mais que o salário mínimo nacional e sem sequer terem um vínculo”, criticou.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …

Federer sente falta de Wimbledon. "Deu-me tudo"

Roger Federer admitiu sentir a falta de Wimbledon, o torneio do "Grand Slam" que, se não tivesse sido cancelado devido à pandemia de covid-19, estaria a decorrer em Londres. O tenista suíço Roger Federer admitiu, esta …

Vanessa Guillen foi espancada até à morte. Jovem soldado tinha dito à mãe que era vítima de assédio

Vanessa Guillen foi vista pela última vez a 22 de abril, pouco tempo depois de confessar à mãe que estava a ser assediada por um sargento. O principal suspeito da morte da jovem suicidou-se e …

Presidente da Câmara do Funchal envia carta a Boris Johnson a defender a Madeira

O presidente da Câmara do Funchal escreveu uma carta a Boris Johnson, na qual realça "alguns argumentos fortes" a favor da Madeira como destino de férias para os cidadãos do Reino Unido. O presidente da Câmara …

Livros pró-democracia desapareceram das bibliotecas de Hong Kong

Livros escritos por importantes ativistas da democracia de Hong Kong começaram a desaparecer das bibliotecas da cidade, avança a agência noticiosa francesa AFP, citando registos online destes espaços. Os livros pró-democracia desapareceram das prateleiras da …