Malásia considera “ridícula” acusação que implica Rússia no caso do voo MH17

Fazry Ismail / EPA

O primeiro-ministro da Malásia classificou como “ridícula” a decisão de um comité internacional de acusar três russos e um ucraniano pela queda do voo MH17, em 2014, no leste ucraniano.

O primeiro-ministro da Malásia, Mahathir Mohamad, classificou esta quinta-feira como “ridícula” a decisão de um comité internacional de acusar três russos e um ucraniano pela queda do voo MH17, em 2014, no leste ucraniano, considerando-a uma medida política para visar Moscovo.

“Estamos muito descontentes porque desde o início tornou-se um assunto sobretudo político para saber como acusar a Rússia”, disse o primeiro-ministro em declarações à comunicação social, um dia depois de uma equipa internacional liderada pela Holanda, que investigou a queda do voo MH17, em julho de 2014, no leste da Ucrânia, com 298 pessoas a bordo, ter anunciado a identificação de quatro suspeitos: três russos (Sergei Doubinski, Igor Guirkine e Oleg Poulatov) e um ucraniano (Leonid Khartchenko).

Os quatro suspeitos vão ser julgados por homicídio em março de 2020 na Holanda, país que responsabiliza a Rússia pela participação na destruição do avião. “É ridículo”, acrescentou Mahathir Mohamad. “Naquilo que nos diz respeito, queremos provas de culpabilidade. Até agora não há provas. Apenas boatos.”

Em reação às declarações de Mohamad, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, acusou hoje o seu homólogo malaio de ter “semeado a confusão” com as suas críticas. “Imagino que os familiares das vítimas devem ter ficado desapontados e que as críticas semearam muita confusão”, afirmou, em declarações aos jornalistas antes do início de uma reunião do Conselho Europeu, a decorrer esta quinta-feira e sexta-feira em Bruxelas.

Mark Rutte também referiu que o ministro dos Negócios Estrangeiros holandês irá contactar o Governo da Malásia a propósito das declarações de Mahathir Mohamad.

Também o Presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que “não há provas” sobre a implicação da Rússia na queda do voo MH17 em 2014 no leste ucraniano, em reação à decisão do comité de investigação internacional, do qual também fazem parte peritos malaios.

“O que foi apresentado como provas de responsabilidade da Rússia, não nos convence absolutamente. Acreditamos que não há provas”, disse Putin à comunicação social, no final de uma sessão anual transmitida pela televisão durante a qual o chefe de Estado responde a perguntas do público russo.

O aparelho Boeing 777 da Malaysia Airlines despenhou-se em 17 de julho de 2014 quando sobrevoava um território controlado por separatistas pró-russos no leste ucraniano, cenário de um conflito armado. As 298 pessoas a bordo do avião que fazia a ligação Amesterdão–Kuala Lumpur – maioritariamente holandeses – morreram.

Segundo a Comissão Internacional de Investigação, que também integrou investigadores da Austrália, Bélgica, Malásia e Ucrânia, o aparelho da Malaysia Airlines foi abatido por um míssil proveniente da 53.ª brigada antiaérea russa, baseada em Kursk (oeste da Rússia).

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Riduculo é este palerma da Malásia estar preocupado com a Rússia, quando não faltam indícios que comprovam a acusação apresentada!!

RESPONDER

Acesso à Internet deve ser considerado direito humano básico

Uma nova investigação, levada a cabo pela Universidade de Birmingham, no Reino Unido, concluiu que acesso à Internet deve ser um direito humano básico, pois significa a capacidade participar na vida pública. Merten Reglitz, professor de …

Fórmula 1 quer atingir emissões zero de CO2 até 2030

A Fórmula 1 pretende reduzir a zero as emissões de CO2 até 2030, com base num plano que pretende “pôr em marcha de imediato”, anunciou esta terça-feira a Federação Internacional do Automóvel (FIA). O plano divulgado …

A Tesla vai lançar a sua misteriosa pickup “cyberpunk” elétrica ainda este mês

A nova Tesla Cybetruck já tem data de lançamento após um longo tempo de espera. O fundador da empresa, Elon Musk, anunciou que a carrinha "pickup" será revelada no dia 21 de novembro. O anúncio foi …

Asteróide "potencialmente perigoso" aproxima-se da Terra esta quarta-feira

Um asteróide com 147 metros de diâmetro, caracterizado pela NASA como "potencialmente perigoso" vai aproximar-se da Terra esta quarta-feira. Em causa está o corpo rochoso UN12 2019, explica a agência espacial norte-americana, dando conta que o …

Encontrado submarino da II Guerra Mundial que esteve perdido durante 75 anos (devido a um erro de tradução)

Uma equipa de exploradores oceânicos privada encontrou na costa do Japão um submarino do exército norte-americano do tempo da II Guerra Mundial, que estava desaparecido há 75 anos por causa de um erro num dígito …

Uma casa esteve a afundar-se no Tamisa para alertar para a subida do nível dos oceanos

No passado domingo, quem passou junto ao rio Tamisa, em Londres, não deverá ter ficado indiferente à típica casa dos subúrbios ingleses que se afundava perto da Tower Bridge. Felizmente, de acordo com a agência Reuters, …

A defesa de Lage é a melhor do Benfica em quase 30 anos

A defesa de Bruno Lage leva apenas quatro golos sofridos em 11 jornadas, o que faz dela a melhor defesa do campeonato e a melhor do Benfica desde a temporada de 1990/1991, escreve o jornal …

OE2020. “Não vamos para negociar”, esclarece Jerónimo de Sousa

O PCP vai reunir esta quarta-feira com o Governo com vista ao Orçamento de Estado para 2020. Jerónimo de Sousa esclareceu esta terça-feira que os comunistas não vão para negociar, sendo "manifestamente exagerado dizer que …

Benjamin "morreu" enquanto cumpria pena de prisão perpétua. Agora está vivo e quer a liberdade

Um norte-americano, de 66 anos, que cumpre pena de prisão perpétua por ter espancado um homem até à morte em 1996, pretendia ser libertado, uma vez que o seu coração parou por breves instantes. Em 1996, …

“Máfia do Sangue”. Ministério Público deixa Octapharma fora da acusação

O Ministério Público (MP) deixou a farmacêutica Octapharma fora da acusação da operação "O Negativo" por considerar que o ex-administrador Lalanda e Castro montou um esquema de corrupção para a venda de plasma ao Serviço …