Malásia considera “ridícula” acusação que implica Rússia no caso do voo MH17

Fazry Ismail / EPA

O primeiro-ministro da Malásia classificou como “ridícula” a decisão de um comité internacional de acusar três russos e um ucraniano pela queda do voo MH17, em 2014, no leste ucraniano.

O primeiro-ministro da Malásia, Mahathir Mohamad, classificou esta quinta-feira como “ridícula” a decisão de um comité internacional de acusar três russos e um ucraniano pela queda do voo MH17, em 2014, no leste ucraniano, considerando-a uma medida política para visar Moscovo.

“Estamos muito descontentes porque desde o início tornou-se um assunto sobretudo político para saber como acusar a Rússia”, disse o primeiro-ministro em declarações à comunicação social, um dia depois de uma equipa internacional liderada pela Holanda, que investigou a queda do voo MH17, em julho de 2014, no leste da Ucrânia, com 298 pessoas a bordo, ter anunciado a identificação de quatro suspeitos: três russos (Sergei Doubinski, Igor Guirkine e Oleg Poulatov) e um ucraniano (Leonid Khartchenko).

Os quatro suspeitos vão ser julgados por homicídio em março de 2020 na Holanda, país que responsabiliza a Rússia pela participação na destruição do avião. “É ridículo”, acrescentou Mahathir Mohamad. “Naquilo que nos diz respeito, queremos provas de culpabilidade. Até agora não há provas. Apenas boatos.”

Em reação às declarações de Mohamad, o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, acusou hoje o seu homólogo malaio de ter “semeado a confusão” com as suas críticas. “Imagino que os familiares das vítimas devem ter ficado desapontados e que as críticas semearam muita confusão”, afirmou, em declarações aos jornalistas antes do início de uma reunião do Conselho Europeu, a decorrer esta quinta-feira e sexta-feira em Bruxelas.

Mark Rutte também referiu que o ministro dos Negócios Estrangeiros holandês irá contactar o Governo da Malásia a propósito das declarações de Mahathir Mohamad.

Também o Presidente russo, Vladimir Putin, afirmou que “não há provas” sobre a implicação da Rússia na queda do voo MH17 em 2014 no leste ucraniano, em reação à decisão do comité de investigação internacional, do qual também fazem parte peritos malaios.

“O que foi apresentado como provas de responsabilidade da Rússia, não nos convence absolutamente. Acreditamos que não há provas”, disse Putin à comunicação social, no final de uma sessão anual transmitida pela televisão durante a qual o chefe de Estado responde a perguntas do público russo.

O aparelho Boeing 777 da Malaysia Airlines despenhou-se em 17 de julho de 2014 quando sobrevoava um território controlado por separatistas pró-russos no leste ucraniano, cenário de um conflito armado. As 298 pessoas a bordo do avião que fazia a ligação Amesterdão–Kuala Lumpur – maioritariamente holandeses – morreram.

Segundo a Comissão Internacional de Investigação, que também integrou investigadores da Austrália, Bélgica, Malásia e Ucrânia, o aparelho da Malaysia Airlines foi abatido por um míssil proveniente da 53.ª brigada antiaérea russa, baseada em Kursk (oeste da Rússia).

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Riduculo é este palerma da Malásia estar preocupado com a Rússia, quando não faltam indícios que comprovam a acusação apresentada!!

RESPONDER

Défice está a agravar-se. Medidas contra a pandemia custaram 660 milhões ao OE

O défice orçamental em abril agravou-se em 341 milhões de euros, quando comparado com o mesmo mês do ano passado. Os impactos da pandemia de covid-19 já se estão a fazer sentir. De acordo com os …

Equipas da I Liga vão poder fazer cinco substituições até ao final da época

As equipas da I Liga vão poder fazer cinco substituições e ter nove jogadores suplentes nos restantes encontros da edição 2019/20, anunciou a Liga de clubes. "No remanescente da época desportiva 2019/20, os clubes devem designar …

António Costa avisa TAP. Plano de rotas "não tem credibilidade"

O primeiro-ministro considera que a Comissão Executiva da TAP tem o dever legal de "gestão prudente" e "não tem credibilidade" um plano de rotas sem prévia informação sobre a estratégia de reabertura de fronteiras de …

Acordo iminente entre FC Porto e PSG por Alex Telles. Dragões encaixam 25 milhões

O desportivo A Bola garante esta quarta-feira que está praticamente alcançado o acordo para a para a transferência de Alex Telles do FC Porto para o PSG. De acordo com o jornal, o negócio que levará …

Líder do CDS não descarta coligações com o Chega (nem apoio a Marcelo nas Presidenciais)

Francisco Rodrigues dos Santos disse, esta quarta-feira, que os "partidos à direita do PS" devem ter as mesmas ferramentas que a geringonça. Por esse motivo, não descarta coligações com o Chega. Numa entrevista à TSF, o …

Sem contrato com Estado, CP só tem dinheiro até junho

A CP - Comboios de Portugal enfrenta dificuldades de liquidez, não só por causa do impacto económico da pandemia, mas também porque o Estado ainda não pagou a respetiva compensação anual pelo serviço público prestado. De …

Encontradas ruínas de uma cidade chinesa construída há 5.300 anos

As ruínas de uma antiga cidade chinesa com 5.300 anos foram encontradas por uma equipa de investigadores. A descoberta revela um planeamento urbano sem precedentes. Uma equipa de investigadores encontrou as ruínas de uma antiga cidade …

Twitter coloca alerta de "verificação de factos" em publicações de Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos rejeitou na terça-feira a interferência do Twitter na "liberdade de expressão" que a rede social exerceu diretamente contra um texto publicado, através do novo processo de verificação de mensagens. "O Twitter …

PSP detém dois polícias suspeitos de integrar grupo criminoso violento

Dois polícias foram detidos numa operação que a PSP está a realizar, esta quarta-feira, em várias zonas do país, em particular em Lisboa e em Setúbal, no âmbito de uma investigação sobre um grupo criminoso …

Queda de 7% do PIB e desemprego nos 10%. As previsões do Governo divulgadas aos partidos

Queda de 7% no PIB, défice de 6,5% e taxa de desemprego a atingir os 10%. Estas são as previsões macroeconómicas do Governo, que continuou esta terça-feira a ronda com os partidos com assento Parlamentar. …