/

Mais 37 cidadãos afegãos chegaram este sábado a Portugal

1

Mário Cruz / Lusa

O ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho

Um grupo de 37 refugiados afegãos, retirados de Cabul nos últimos dias, chegou este sábado a Lisboa, disse à agência Lusa fonte do Ministério da Defesa Nacional.

Um primeiro grupo, de 18 pessoas, chegou ao aeroporto de Lisboa durante a madrugada em voo fretado e o segundo, de 19, aterrou em Lisboa, já esta manhã, num avião C295 da Força Aérea, acrescentou a mesma fonte do ministério.

Estes grupos juntam-se a um outro de 24 cidadãos afegãos, e suas famílias, que colaboraram com as forças portuguesas que nos últimos anos estiveram em missão no Afeganistão, no aeroporto da capital. No total, já chegaram ao país 61 afegãos.

A retirada deste grupo de cidadãos segue-se à tomada do poder pelos talibãs em Cabul,  que levou milhares de pessoas a aglomerar-se no aeroporto para tentar deixar o país.

Os 24 cidadãos afegãos que trabalharam com as Forças Nacionais Destacadas portuguesas para o Afeganistão, assim como os seus familiares, chegaram esta sexta-feira, por volta das 21h15, ao aeroporto de Lisboa, em resultado de uma missão de resgate feita por quatro militares portugueses que estiveram em Cabul.

No total, segundo o ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, terão sido retirados 58 cidadãos afegãos, que chegam a Portugal entre hoje e domingo.

Na sexta-feira, na chegada dos militares portugueses e do primeiro grupo de refugiados, o ministro considerou que “ao longo de quase 20 anos, Portugal desenvolveu dívidas de gratidão em relação a afegãos que trabalharam, em muitos casos sob o risco da sua própria vida, para as nossas Forças Nacionais Destacadas (FND). Esta força, de quatro homens apenas, foi a Cabul honrar essas dívidas de gratidão“, afirmou.

Tal como já tinha sido antecipado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros esta semana, o número avançado inicialmente pelas autoridades portuguesas relativo ao número de afegãos que o país deveria receber será largamente ultrapassado.

  ZAP // Lusa

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.