Igreja Ortodoxa rompe com Constantinopla. Maior cisma do cristianismo em 1.000 anos

A Igreja Ortodoxa Russa decidiu, esta segunda-feira, durante o Sínodo que se realiza em Minsk, na Bielorrússia, romper todos os vínculos com o Patriarcado de Constantinopla, anunciou o arcebispo metropolitano Hilarion.

A Igreja Ortodoxa Russa decidiu romper todos os vínculos com o Patriarcado de Constantinopla. “Não poderemos celebrar em comum, os nossos sacerdotes não participarão mais nas liturgias com o Patriarcado de Constantinopla”, disse o arcebispo Hilarion, responsável pelas relações exteriores do patriarcado de Moscovo.

Esta reação surge depois de a igreja de Constantinopla ter anulado os tomos (decretos) que subordinavam a igreja ucraniana à russa desde 1686.

A Igreja Ortodoxa Russa lamentou aquela que é a maior divisão do cristianismo dos últimos mil anos, comparando os movimentos de independência da Ucrânia ao Grande Cisma de 1054, que dividiu o cristianismo ocidental e oriental.

O Sínodo do Patriarcado Ecuménico de Constantinopla, cujo patriarca, Bartolomeu, era considerado até então uma espécie de “guia supremo” do mundo ortodoxo, pronunciou-se a favor da “autocefalia” – termo usado quando o líder de determinada denominação cristã não precisa de reportar a um superior -, de duas igrejas ortodoxas ucranianas.

Segundo Hilarion, a decisão de conceder autocefalia à Igreja Ortodoxa Ucraniana e à Igreja Ucraniana Ortodoxa Autocéfala, que se unirão em uma só, é “ilegítima”.

“Esperamos que o bom senso vença e que o Patriarcado de Constantinopla mude a sua postura, reconhecendo a realidade eclesiástica existente. Enquanto essas decisões ilegais e anticanónicas estiverem em vigor, não poderemos ter laços com essa igreja, que a partir de hoje está em divisão“, disse Hilarion.

A autocefalia encontrou forte oposição dentro da Igreja Russa, deixando a Rússia e a Ucrânia perante uma autêntica guerra religiosa.

O cristianismo ortodoxo foi formalmente adotado na Ucrânia em 988 por Vladimir, o Grande. Desde o século XVII, as igrejas de ambos os países, juntamente com a Bielorrússia, foram unidas sob uma liderança centralizada em Moscovo.

No entanto, segundo o The Week, houve vários apelos para a independência a Igreja ucraniana, com o antigo líder da Igreja, o Patriarca Filaret, a liderar uma campanha que foi drasticamente prejudicada pela sua excomunhão em 1997.

Nos últimos anos, as tensões entre a Ucrânia e a Rússia atingiram níveis críticos após a anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia, em 2014. Assim, como resultado, o reconhecimento de uma Igreja ucraniana que não está sob a jurisdição de Moscovo tornou-se novamente uma questão cada vez mais tensa e primordial.

A verdade é que a demanda por uma Igreja Independente é encarada pela Ucrânia como um meio de afirmar a sua independência territorial.

ZAP // EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Imposto Mortágua foi aplicado a 75 mil contribuintes

O novo escalão do Adicional ao IMI, que prevê a aplicação de uma taxa de 1,5% sobre o valor patrimonial dos imóveis que ultrapasse os dois milhões, chegou a 331 contribuintes. Ao todo, o imposto …

Preço da luz vai descer 18 cêntimos no mercado regulado

Os preços da eletricidade no mercado regulado vão voltar a descer em 2020, segundo a proposta avançada esta terça-feira pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE). Esta terça-feira, a ERSE propôs uma atualização em baixa de …

Portugal teve perdas fiscais de 900 milhões de euros por menor tributação do gasóleo

A tributação ao gasóleo é mais baixa do que os impostos à gasolina. A diferença entre os dois combustíveis leva a perdas de 900 milhões de euros ao Estado. Quem abastece um carro a gasóleo na …

Dulce Neto é a primeira mulher a presidir a um Supremo Tribunal português

A juíza conselheira toma posse, esta quarta-feira, como presidente do Supremo Tribunal Administrativo (STA), tornando-se na primeira mulher a ocupar o lugar cimeiro de um supremo tribunal em Portugal. Dulce Neto, de 58 anos, foi eleita …

Défice zero e mais crescimento. Previsões de Centeno para o OE2020 são de "elevado risco"

O Governo faz uma revisão das metas para 2020 no esboço do Orçamento de Estado para o próximo ano que enviou à Comissão Europeia, prevendo um aumento do crescimento económico e um saldo orçamental equilibrado, …

Conselho nacional do PSD pode ser atirado para novembro. Apoios a Rio e Montenegro equilibrados

Rui Rio mantém o silêncio sobre uma recandidatura a líder do PSD, o que está a ser visto como um condicionamento do partido, tendo também nas suas mãos o calendário interno. O conselho nacional para …

Varandas quer vender já em janeiro (e há três nomes em cima da mesa)

O Sporting deverá vender um jogador já no próximo mercado de transferências em janeiro. O dinheiro será destinado a renovações e a trazer um novo reforço para o ataque. Frederico Varandas continua a sua saga para …

Médicos, enfermeiros e professores lamentam recondução de ministros

Médicos, enfermeiros e professores lamentaram a recondução de ministros na pasta da Saúde, Educação e das Finanças, reagindo assim à constituição do novo Governo entregue em Belém pelo primeiro-ministro indigitado, António Costa. O secretário-geral do …

"Batalha campal" na Catalunha: 40 mil pessoas nas ruas, 50 detidos e mais de 100 feridos

Pelo menos 51 pessoas foram detidas e 70 polícias ficaram feridos desde o início dos atos de violência que começaram na segunda-feira na região espanhola da Catalunha após a sentença que condenou políticos separatistas catalães …

Kristalina Georgieva exige maior inclusão de mulheres nos mercados de trabalho

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional exigiu esta terça-feira, nos Encontros Anuais, uma maior inclusão de mulheres nos mercados de trabalho, dizendo que quando um país ignora "parte das suas capacidades" enfraquece o desempenho económico. Kristalina …