Macron em Beirute: “Se não houver reformas, Líbano continuará a afundar-se”

Thibault Camus / POOL / EPA

O Presidente francês, Emmanuel Macron, de visita a Beirute, depois das explosões que destruíram parte da capital libanesa

O Presidente francês chegou, esta quinta-feira, a Beirute, no Líbano. É o primeiro chefe de Estado a visitar o país depois das explosões que destruíram parte da capital. 

Emmanuel Macron aterrou no Líbano, esta quinta-feira, e na bagagem trouxe várias promessas. “Ajudaremos a organizar, nos próximos dias, apoio suplementar ao francês, a nível europeu”, disse, no aeroporto internacional de Beirute, onde foi recebido pelo seu homólogo libanês, Michel Aoun.

“Espero organizar a cooperação europeia e, a nível mais vasto, a cooperação internacional”, declarou. Mas o chefe de Estado francês também trazia um pedido na manga: reformas imediatas neste país do Médio Oriente.

“Hoje, a prioridade é a ajuda, o apoio à população sem condições. Mas existe o pedido que França faz há meses, há anos, de reformas indispensáveis nalguns setores”, atirou Macron, tendo indicado, por exemplo, o setor da eletricidade.

“Não podemos deixar de dizer uns aos outros algumas verdades duras. Se não forem levadas a cabo reformas indispensáveis, o Líbano continuará a afundar-se”, alertou.

O Presidente francês indicou ainda que queria ter “um diálogo de verdade” com os responsáveis libaneses. “Além da explosão, sabemos que a crise é grave, e isto implica uma responsabilidade histórica dos dirigentes em funções.”

Depois, Macron e Aoun deslocaram-se ao bairro cristão de Gemmayzé, um dos devastados pelas explosões, na terça-feira, que, segundo o último balanço, causaram 137 mortos e mais de cinco mil feridos.

Neste local, contou uma jornalista da agência France-Presse, foram vários os libaneses que se juntaram para ver o político francês. Os ânimos exaltaram-se e muitos vaiaram o Presidente libanês, pedindo a ajuda de França para expulsar os dirigentes no poder.

“Ajudem-nos! Revolução!”, “Michel Aoun é um terrorista” e “o povo quer a queda do regime” foram algumas das palavras de ordem de uma multidão enfurecida.

Macron garantiu à população que iria propor um “novo pacto” político aos responsáveis do país e que lhes iria pedir para “realizar reformas (…), mudar o sistema, parar a divisão do Líbano e combater a corrupção”.

Segundo o semanário Expresso, começam a surgir cada vez mais provas, como e-mails e documentos de tribunal, de que as autoridades libanesas tinham conhecimento do depósito de toneladas de nitrato de amónio guardado num armazém do porto.

Beirute foi declarada “zona de desastre” e foi decretado o estado de emergência por duas semanas na cidade. Dezenas de pessoas continuam desaparecidas. O Presidente libanês já prometeu uma investigação para apurar as causas da explosão, garantindo que os responsáveis enfrentam “punições sérias”.

Mas o povo libanês está cansado de promessas. O país vive uma crise económica séria, marcada por uma desvalorização sem precedentes da sua moeda, hiperinflação e despedimentos em massa, agora agravada pela pandemia de covid-19.

O Governo teme que a catástrofe possa precipitar um aumento nos casos de infeção. E, para além disso, há receio de que comece a faltar cereais no país.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Grande carruagem cerimonial descoberta quase intacta em Pompeia

Uma grande carruagem cerimonial de quatro rodas, com elementos de ferro, decorações de bronze e estanho, restos de madeira mineralizada e vestígios de elementos orgânicos, como cordas, foi encontrada quase intacta na área arqueológica de …

FC Porto 0-0 Sporting | Nulo com sabor a vitória para o "leão"

O “clássico” do Dragão, entre FC Porto e Sporting, terminou sem golos, sem grande futebol, e com um “leão” cada vez mais perto do título, apesar de ainda faltar muito campeonato.  A igualdade permite à formação …

Adolesceste entusiasta por pirotecnia construiu o seu próprio simulador profissional de fogos de artifício

O FWsim foi lançado pela primeira vez em 2010 como um software de planeamento de fogos de artifício, voltado para profissionais de pirotecnia e entusiastas de fogos de artifício. Em 2006, conta o Vice, Lukas Trötzmüller …

Pela primeira vez em 45 anos, uma casa vitoriana "flutuou" pelas ruas de San Francisco

A manhã de 21 de fevereiro em San Francisco, nos Estados Unidos, foi um pouco diferente do normal: uma casa vitoriana passou a "flutuar" pelas ruas da cidade. De acordo com o BuzzFeed News, uma equipa …

Nação Cherokee pede à Jeep que deixe de usar o nome da tribo nos seus carros

"É hora de a Jeep reconsiderar chamar os seus SUVs Cherokee e Grand Cherokee". Pela primeira vez, a tribo norte-americana Nação Cherokee pediu diretamente à Jeep para parar de usar o seu nome nos seus …

PCP quer apoios a 100% para pais "imediatamente e com efeitos retroativos"

O secretário-geral do PCP pediu ao Governo, este sábado, apoios a 100% para os trabalhadores que estão em casa com os filhos, pagos "imediatamente e com efeitos retroativos", e defendeu um plano de desconfinamento "setor …

Naufrágio grego que levava partes do Partenon está a revelar os seus segredos

A última expedição de mergulhadores ao navio grego Mentor, que naufragou perto da ilha Citera em 1802, recuperou várias peças do cordame, moedas, a sola de couro de um sapato, uma fivela de metal, uma …

Chega vai reagir "muito veementemente" na rua à tentativa de ilegalização

O líder do Chega disse, este sábado, que o partido vai responder "muito veementemente" e com "presença na rua", já em março, à tentativa de ilegalização da estrutura promovida por Ana Gomes. "Quero deixar claro aqui, …

Procura-se candidato para dormir. Site oferece 1650 euros e uma noite num resort

Este pode ser, literalmente, um emprego de sonho: fazer dinheiro enquanto se dorme, incluindo uma noite num resort de 5 estrelas. O site Sleep Standards, que se dedica a dar informação sobre pesquisas e produtos relacionados …

Catarina Martins faz apelo a Costa. "Moratórias têm de ser estendidas já"

A coordenadora do Bloco de Esquerda fez um apelo direto ao primeiro-ministro, este sábado, para que não espere que "seja tarde demais" e decida já estender as moratórias, evitando assim uma vaga de despejos e …