Os macacos selvagens fizeram da abandonada Fukushima a sua casa (e o Japão não os consegue tirar de lá)

Nova anos após o desastre nuclear em Fukushima, a natureza e a vida selvagem instalaram-se na área abandonada. Agora, as autoridades do Japão não conseguem expulsá-los.

De acordo com a NPR, macacos, javalis e outros animais selvagens fizeram das cidades próximas e abandonadas por centenas de milhares de pessoas a sua nova casa. Agora, conforme as ordens de evacuação são levantadas e as pessoas voltam, encontrar formas de coexistir tornou-se um sério desafio.

Para ajudar a assustar os macacos, os governos locais subsidiaram enormes quantidades de fogos de artifício. Os cidadãos patrulham as cidades e disparam-nos sempre que vêem os macacos, que foram atraídos para as cidades para se alimentarem nos jardins abandonados, mas ainda em crescimento, e nas árvores frutíferas perto das casas dos residentes.

“Eu acho que eles são fofos. Eu absolutamente nunca os magoaria”, disse Shuichi Kanno, um homem de 79 anos que voltou para a sua casa perto de Minamisoma, em declarações à NPR. “Nada disto é culpa deles. É culpa da energia nuclear. É culpa dos humanos”.

Os fogos de artifício não são uma solução perfeita. Os macacos normalmente voltam alguns dias depois de serem assustados. Isto provavelmente acontece porque as pessoas têm demorado a voltar para as suas antigas casas – em parte devido aos altos níveis de radiação e ao facto de já terem partido há quase uma década.

“Eu adorava fazer caminhadas, procurar vegetais silvestres e encontrar cogumelos silvestres. Mas agora é tão perigoso”, disse Kanno. “Já não podemos ter um relacionamento com a natureza. Foi-se.”

O desastre nuclear em Fukushima Daiichi foi desencadeado por um maremoto em março de 2011. Aproximadamente 52 mil pessoas continuam deslocadas devido àquele que foi o segundo pior acidente nuclear de sempre, depois do desastre de Chernobyl, na Ucrânia, em 26 de abril de 1986.

A onda gigantesca criada pelo violento de sismo de 9,0 de magnitude em 11 de março de 2011 submergiu as instalações, a eletricidade foi cortada, os sistemas de arrefecimento do combustível nuclear pararam, levando à fusão do combustível do núcleo de três dos seis reatores. As explosões de hidrogénio destruíram parte dos edifícios de Fukushima Daiichi. Só em maio de 2011, dois meses depois do acidente, a TEPCO usou a expressão “fusão do núcleo” do reator.

Mais de um milhar de enormes reservatórios guardam importantes quantidades de água, em parte contaminada, à qual ninguém sabe ainda o que fazer. As autoridades nucleares japonesa e internacionais continuam a considerar o lançamento no mar.

Serão precisas pelo menos quatro décadas para desmantelar esta central, situada a pouco mais de 200 quilómetros a nordeste de Tóquio, com tecnologias que, na maioria dos casos, ainda estão por inventar.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …

Lola, a robô humanóide, dá "passos de bebé" (e equilibra-se com as mãos)

Uma equipa de cientistas está a ensinar a robô humanóide Lola a dar "passos de bebé", equilibrando-se com as suas mãos em vários pontos de contacto. Há muito tempo que os investigadores estudam a locomoção de …

Presidente da República veta decreto sobre inseminação post mortem

O Presidente da República vetou, esta quinta-feira, o decreto do Parlamento sobre inseminação post mortem, considerando que suscita dúvidas no plano do direito sucessório e questionando a sua aplicação retroativa. Na mensagem dirigida à Assembleia da …

Primeiro-ministro francês está a receber centenas de peças de lingerie no correio

O primeiro-ministro francês tem estado a receber roupa interior feminina na sua caixa de correio. Foi a forma encontrada pelas lojas de lingerie para protestarem contra as restrições da pandemia que as obrigam a estar …

Inteligência artificial "identifica" autores dos Manuscritos do Mar Morto

Investigadores da Universidade de Groningen, nos Países Baixos, recorreram à inteligência artificial para concluir que os Manuscritos do Mar Morto foram redigidos por vários escribas, o que abre uma "nova janela" para o estudo do …

Inteligência Artificial vai ajudar a identificar fontes de poluição no Bangladesh

A produção de tijolos é uma fonte de poluição que ameaça a saúde da população e do planeta, mas regular esta indústria pode ser uma tarefa difícil para as autoridades. Para resolver o problema, uma …

Portimonense 1-5 Benfica | "Águia" arrasa em solo algarvio

O Benfica regressou aos triunfos depois de ter vencido o Portimonense por 5-1, numa partida relativa à 28.ª jornada da Liga NOS, após o desaire registado na recepção ao Gil Vicente.  Porém, não foi um duelo …

Vigaristas burlaram mulher de 90 anos em 32 milhões de dólares

Uma mulher de Hong Kong, de 90 anos, foi defraudada em 32 milhões de dólares por burlões que se fizeram passar por agentes policiais chineses, via chamada telefónica. A Agence France-Presse (AFP) escreve que um jovem …