Limitação de energia em edifícios públicos. Governo prepara medidas obrigatórias

3

José Coelho / Lusa

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro.

Portugal vai também adotar medidas obrigatórias para cumprir as metas acordadas entre os Estados-membros da União Europeia (UE) relativamente à poupança no consumo de energia, com impacto nos serviços públicos, empresas, comércio, indústria e consumidores.

Segundo o Expresso, o Governo solicitou à Agência para a Energia (ADENE) a preparação de um “plano de poupança de energia e eficiência hídrica”. O presidente da ADENE, Nelson Lage, confirmou que o objetivo é ter o plano pronto nas próximas “duas ou três semanas”, podendo haver medidas de caráter provisório.

A UE acordou um plano de poupança de 15% do consumo de gás para aumentar as reservas no inverno e ajudar os países que mais venham a precisar, como a Alemanha. Portugal e Espanha ficaram com uma meta de poupança de 7%, devido à menor dependência da Rússia e às fracas interconexões com outros países da UE.

Ao que o Expresso apurou, as medidas do plano assentam em sete áreas fundamentais: edifícios residenciais; comércio e serviços; indústria; Administração Pública; mobilidade, transportes e frotas; formação e qualificação, com vista a uma melhor gestão dos recursos; e informação e sensibilização.

A intenção do Governo, continuou o semanário, é identificar as medidas que poderão produzir resultados práticos na poupança de energia e, depois, ver se é preciso uma nova fonte de financiamento para as pôr em prática.

Na terça-feira, o ministério do Ambiente confirmou que seria apresentado um plano de poupança de energia, que passaria, “por exemplo, por uma campanha de sensibilização geral para a redução do consumo de energia por parte de empresas e famílias e medidas de limitação de consumo de energia nos edifícios da Administração Pública”.

Em entrevista à TVI, o ministro Duarte Cordeiro, sugeriu que Portugal não precisaria de medidas adicionais porque já estava a conseguir reduzir significativamente o consumo de gás desde o início do ano, “só com o aumento do preço”.

Redução de temperatura e cortes na iluminação

Entre as medidas para a redução do gás, Espanha aprovou esta semana a limitação da temperatura nos edifícios administrativos, comerciais e culturais; obrigatoriedade de manter as portas fechadas nos locais públicos e reduções de iluminação nas montras das lojas e fachadas de edifícios, cuja luz deve ser cortada a partir das 22:00.

Na Alemanha o plano alemão prevê três fases. Em Berlim, começou pela redução da iluminação de quase 200 edifícios e monumentos; em Hanover foi suspensa de água quente nos chuveiros dos edifícios públicos, piscinas, e centros desportivos e em Ludwigshafen estão a fazer um levantamento das infraestruturas que têm de permanecer abertas no pior cenário possível.

A França está a preparar decretos que proíbem as lojas com ar condicionado de terem portas abertas, sob pena de lhes serem aplicadas multas, além de restringir os letreiros luminosos.

  ZAP //

3 Comments

  1. E podemos avançar em primeira mão as medidas definidas pelo governo:

    PROGRAMA NACIONAL DE RACIONALIZAÇÃO ENERGÉTICA (PNRE)

    1-A utilização de ar condicionado ou qualquer outro sistema de climatização é proibida.
    2-É proibida a utilização de qualquer sistema de iluminação.
    3-É proibido ligar qualquer aparelho à tomada.
    4-Todos os locais de trabalho deverão estar totalmente às escuras. Poupa-se energia na iluminação e será necessária menos energia para a climatização.
    5-Os PC’s terão de funcionar através de um pequeno gerador que funciona a pedais. Assim, cada trabalhador deverá gerar a sua própria energia. Nos equipamentos partilhados (por exemplo, impressora) as empresas podem optar por ter um ciclista a tempo inteiro ou cada um pedala para imprimir as suas próprias folhas.
    6-Todos os trabalhadores deverão apresentar-se nus ao trabalho.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.