Joe Biden defende pela primeira vez destituição de Donald Trump

barackobamadotcom / Flickr

Joe Biden, antigo vice-Presidente dos EUA e candidato à Presidência nas eleições de 2020

O ex-vice-Presidente dos EUA e candidato à Presidência nas eleições de 2020 defendeu, pela primeira vez, a destituição de Donald Trump, considerando que cometeu crimes de obstrução à justiça.

“Com as suas palavras e as suas ações, o Presidente Trump indiciou-se a si mesmo por obstrução à justiça e recusou-se a cooperar com a investigação”, afirmou o antigo vice-Presidente dos EUA num comício em New Hampshire, citado pelo Expresso.

De acordo com o semanário, Joe Biden disse ainda que o Presidente republicano violou o juramento que fez durante a sua tomada de posse.

“Como todos sabemos, é necessário respeitar a nossa Constituição, a nossa democracia e a nossa integridade. E como isso não tem acontecido Trump merece ser destituído“.

Como seria de esperar, a reação de Trump não demorou a chegar. No Twitter, o chefe de Estado considerou que Biden, que neste momento é o candidato favorito para a nomeação democrata para a Casa Branca, está a liderar uma “campanha fracassada”.

É tão patético ver o Sonolento Joe Biden, que com o seu filho Hunter, e em detrimento do contribuinte norte-americano, roubou pelo menos dois países por milhões de dólares, pedindo a minha destituição — e eu não fiz nada errado”, escreveu.

Na terça-feira, a Casa Branca informou o Congresso que se recusa a participar no inquérito em curso para um eventual processo de destituição de Trump.

“As ações sem precedentes [do Congresso] deixaram o Presidente sem escolha. Para poder cumprir as suas obrigações para com o povo norte-americano, a Constituição, o poder Executivo e todos os futuros ocupantes da Presidência, o Presidente Donald Trump e a sua administração não podem participar neste inquérito parcial e inconstitucional sob estas circunstâncias”, escreveu Pat Cipollone, advogado e conselheiro da Casa Branca, numa carta enviada Nancy Pelosi, democrata que é presidente da Câmara dos Representantes.

Em resposta, Pelosi acusou a Casa Branca de “encobrir a traição à democracia” e de “insistir na ideia de que o Presidente está acima da lei”, cita o jornal Público.

“Avisamos a Casa Branca que os seus esforços continuados para esconder do povo norte-americano a verdade sobre o abuso de poder pelo Presidente serão vistos como provas adicionais de obstrução”, lê-se no comunicado, que termina com um aviso a Trump. “Sr. Presidente, não está acima da lei. Será responsabilizado”.

Depois desta troca de argumentos, escreve o Expresso, Trump esclareceu que terá disponibilidade para participar na investigação se forem garantidos os seus direitos e “se as regras forem justas”.

O Presidente norte-americano foi acusado de pressionar o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, a investigar Biden e o seu filho. Esta chamada telefónica, cuja transcrição foi revelada na última semana depois da queixa de um denunciante, levou os democratas a darem início a um processo de impeachment. Na segunda-feira, o advogado pessoal de Trump, Rudy Giuliani, recebeu uma intimação relacionada com os seus contactos com as autoridades ucranianas.

Mais tarde, o Governo australiano confirmou que houve uma segunda chamada, em que Trump pressionou o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, para que este o ajudasse a descredibilizar a investigação do procurador especial Robert Mueller. O Governo australiano confirmou que a chamada aconteceu e que o primeiro-ministro concordou em ajudar.

A Casa Branca restringiu o acesso à transcrição da conversa telefónica entre o Presidente dos EUA e o primeiro-ministro da Austrália a um pequeno grupo de assessores. A decisão é invulgar mas semelhante à que foi tomada no caso da chamada com o Presidente da Ucrânia.

Para o afastamento do Presidente ser confirmado seria preciso que dois terços dos senadores votassem nesse sentido, algo que implicaria que 20 republicanos votassem contra Trump.

Em toda a história dos EUA, nunca houve um Presidente destituído. Apenas dois chefes de Estado enfrentaram esta medida — Bill Clinton em 1998 e Andrew Johnson em 1868 — tendo ambos sido absolvidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Tensão na Catalunha afeta realização do Barcelona-Real Madrid

A violência dos protestos na Catalunha está a fazer com que a Liga e a Federação de futebol espanholas repensem a ideia de o clássico entre Barcelona e Real Madrid se realizar em Camp Nou. O …

Assis critica novo Governo do PS. É "muito António Costa" e feito só para dois anos

O ex-eurodeputado do Partido Socialista (PS) Francisco Assis não poupou nas críticas ao novo Governo, que António Costa apresentou ao Presidente da República na terça-feira ao final do dia, considerando que este é um executivo …

PSD considera que não há novo Governo, mas "remodelação" com alargamento

O PSD defendeu na quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …

Depois do terramoto das legislativas, vem aí um Conselho Nacional difícil para o CDS

O CDS reúne esta noite o Conselho Nacional. Segundo o Público, Assunção Cristas deverá renunciar a lugar de deputada na Assembleia da República. O CDS deverá marcar esta quinta-feira o próximo congresso para janeiro de 2020. …

Rio quer abafar Montenegro ao fazer "multitasking" como líder partidário e parlamentar

Rui Rio pode acumular as funções de líder do partido e líder parlamentar. O objetivo passa por evitar divisões na bancada e esvaziar a oposição de Luís Montenegro. Rio parece já ter uma estratégia delimitada para …

Cabrita mostra desagrado pelo afastamento da mulher do Governo

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, partilhou no Facebook um texto de uma ativista ambiental algarvia crítico do afastamento da ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, com quem é casado. Eduardo Cabrita, ministro da Administração …

Polícia desmantela rede de pornografia infantil e faz mais de 300 detenções

Pelo menos 337 pessoas de 38 países foram detidas numa operação em que foi desmantelada uma rede de pornografia infantil, que usava um site para comercializar vídeos de abuso sexual de crianças. Num comunicado divulgado esta …

Três coelhos de uma cajadada. Vieira renova contratos a três jogadores

No seu regresso de Angola, Luís Filipe Vieira assegurou a renovação do contrato de três jogadores: Grimaldo, Ferro e Jota. O anúncio oficial deverá estar para breve. Esta quinta-feira, o jornal Record fez manchete com a …

Berardo chama Mourinho e Ronaldo a jogo para não perder condecorações

A defesa de Joe Berardo invocou outros casos de personalidades portuguesas para que o empresário não perca as condecorações que recebeu dos antigos Presidentes da República Ramalho Eanes e Jorge Sampaio, escreve o Eco. De acordo …

Decisão "vergonhosa". Iniciativa Liberal e Chega indignados com distribuição de lugares no Parlamento

Está definida a distribuição de lugares do próximo Parlamento. O Iniciativa Liberal e o Chega não estão contentes e criticam a decisão. A decisão da conferência de líderes do Parlamento sobre os lugares que os novos …