CGD serviu para “comprar aliados”. E há mais uma “bomba prontinha a explodir”

Mário Cruz / Lusa

A ativista do Agir, Joana Amaral Dias, reforça o uso do corpo como instrumento político

Joana Amaral Dias ganhou relevância política nos últimos dias, depois de ter divulgado a auditoria realizada à Caixa Geral de Depósitos. Numa grande entrevista, ela fala do “regabofe” no banco público e conta como foi apupada quando deixou a Assembleia da República como deputada do Bloco de Esquerda.

Em grande entrevista ao jornal i, publicada na versão impressa desta sexta-feira, Joana Amaral Dias, ex-deputada do Bloco de Esquerda, conta que foi apupada “como se fosse ´a gaja gira vai-se embora` quando deixou a Assembleia da República (AR). Foi “ridículo” e “patético”, conta, falando de uma “ovação digna do 8.º D” quando o Presidente da AR anunciou a sua saída do Parlamento.

Numa altura em que saltou para a ribalta política, depois de ter divulgado o relatório da auditoria à Caixa Geral de Depósitos (CGD) que aponta actos de gestão de danosa, Joana Amaral Dias situa a sua decisão no âmbito da “acção política directa” do movimento a que pertence, o Agir.

Notando que o Agir tem como uma das prioridades o “combate à corrupção”, a actual comentadora política considera que o que se passou na CGD representa “um crime contra o país, contra a nação”.

“A Caixa sempre foi um poço sem fundo“, que “serviu como braço forte do poder político para basicamente comprar aliados, para arquitectar uma perigosa rede clientelar que contribui para que Portugal seja campeão da corrupção”, diz Joana Amaral Dias.

“Todos sabiam o que se passava, uns melhores do que outros”, acrescenta, concluindo que “a CGD demonstra que não existe democracia em Portugal“.

Sobre o relatório da auditoria, refere que “passou pelas mãos de muitas pessoas”, que não o divulgaram, e garante que a versão final “não diferia em nada substantivo” da versão preliminar que foi noticiada.

Joana Amaral Dias deixa ainda o alerta de que o Montepio é “uma bomba que está prontinha para nos explodir na cara”.

“Já recebi várias ameaças de morte”

Na entrevista ao jornal i, Joana Amaral Dias conta como sempre recebeu ameaças de morte, “desde a extrema-direita, até ameaças isoladas”.

Até na sua profissão como psicóloga clínica isso lhe sucedeu, com pacientes que a “ameaçaram de morte, que desmaiaram e que ficaram agressivos”.

Na longa conversa, a ex-deputada conta como aos 14 anos, saltava do seu quarto, “o equivalente a um segundo andar”, pela janela “para sair à noite” e como ser mãe aos 22 anos “foi maravilhoso”.

Sobre a experiência como deputada, refere que chegou ao Parlamento por ter “a experiência muito desenvolvida nas áreas da exclusão social”, por ter “facilidade na parte oratória” e por ser “combativa em debate”. Mas também por ser bonita, admite, notando que “tudo tem influência”.

Depois de ter dado que falar por ter posado nua em revistas, ela reforça a ideia que já defendeu antes, de que “o corpo é um instrumento político”, porque “a mente também é corpo”.

“Da esquerda à direita, ficam sempre muito melindrados quando vêem o corpo da mulher”, lamenta ainda, salientando que “essa ideia do controlo do corpo das mulheres” é “absolutamente ridícula”. “Fiz aquilo que achei que devia fazer e estou de consciência tranquila”, constata.

Voltando ao Parlamento, Joana Amaral Dias queixa-se de ter encontrado um “ambiente extremamente conservador, com ar viciado e muito pouco saudável“. Mas, apesar disso, frisa que luta pelo “direito de lá voltar” com o Agir.

Como principal batalha do Agir, Joana Amaral Dias coloca, além da já mencionada corrupção, a “reforma do sistema político”, nomeadamente para implementar a “avaliação” e ranking dos deputados” e o “registo biométrico no Parlamento”.

A comentadora política também defende a “limitação dos mandatos dos deputados“, notando que “é venenoso” e “não é aceitável que estejam lá deputados sentados há 40 anos”. A “alternância é um dos princípios fundamentais para a existência da democracia”, conclui.

Na entrevista ao i, Joana Amaral Dias revela ainda que Paulo Campos a convidou para ser deputada pelo PS, quando ainda estava ligada ao Bloco de Esquerda, dizendo-lhe que, “se não quisesse ficar na Assembleia da República por muito tempo, poderia ir dirigir um instituto como o Instituto Português da Juventude ou da Droga e Toxicodependência”. “Recusei de uma forma gentil e educada”, refere.

SV, ZAP //

 

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. O Bloco de Esquerda, que poderia ser o “partido que faria a diferença”, julga que esquecemos que foi ele que impediu, em devido tempo, que se atentasse nas negociatas na CGD. SEM VERGONHA!

  2. No tempo dos nossos antepassados, estes políticos corruptos e ladrões eram todos enforcados na praça pública por traição ao país. Mas agora nada se faz porque realmente a justiça é madrasta para o zé povinho. Mas quando se descobre estes escândalos, ficam impunes porque ou não há culpados, ou já prescreveram.É imperativo que os altos cargos políticos se protejam uns aos outros, porque se viesse-mos a saber tudo, julgo que havia uma revolução. Precisamos de mais Joanas Amaral .

  3. Esta senhora é um não exemplo pela manipulação que faz da opinião publica….. Achar que na admi nistração da CGD só estiveram corruptos é muito básico mas obviamente numa opinião pública pouco esclarecida tem muito impacto. Lastimável Joana Amaral Dias

  4. Cada um tem o que merece. De que é que eu gosto mais? Adivinhem!! Ganham uma bicazinha e um pastelinho de natinha! Mas eu ajudo: amo o meu clube mais do que qualquer pessoa; tenho muita fé -super religioso-, mas não perco a derrière de uma boa femme; e “adôro” chanter le fado, acompanhado de arroz malandro e sardinhas mortas à “bofatada”. Oops!!!

  5. Não sendo seguidor da ideologia de Joana Amaral, tenho de aceitar que prestou um enorme serviço público ao abrir essa caixa de pandora chamada CGD !!
    A maioria dos portugueses ainda não avaliou bem o maior roubo que foi feito em Portugal : Mais de CINCO MIL MILHÕES DE EUROS que os contribuintes terão de pagar. E os culpados têm nome e são protegidos pelo BE e PCP que rejeitaram os inquéritos.
    Como pode este país se aproximar dos níveis europeus, se a riqueza é desviada por estes tubarões ?

RESPONDER

Trump sugere que os mexicanos são uma ameaça terrorista maior do que o Daesh

O Presidente Donald Trump sugeriu que os mexicanos são uma ameaça muito maior do que o Daesh. Respondendo uma vez mais às críticas sobre ter retirado as tropas dos Estados Unidos (EUA) junto à fronteira …

Grécia. Incêndio em campo de refugiados deixa 600 pessoas sem alojamento

Um incêndio no campo de identificação e registo de migrantes de Vathy, na ilha grega de Samos, deixou 600 refugiados sem alojamento, alertou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF). "Em Vathy, seis …

Lista candidata à Ordem dos Enfermeiros excluída por ter poucos homens

Uma das listas candidatas às eleições para a Ordem dos Enfermeiros foi excluída por ter poucos homens. A comissão eleitoral nomeada explica que a lista não respeita a lei da paridade, aprovada pela Assembleia da …

“É a desilusão”. PSD queria novos ministros na Saúde, Educação e Justiça

  O PSD defendeu esta quarta-feira que "não há um novo Governo", mas "uma remodelação com alargamento", com um executivo aumentado e "mais partidário", considerando "uma desilusão" a continuidade em pastas como Saúde, Educação e Justiça. "Não …

Dobradinha poderá render 1,6 milhões de euros a Bruno Lage

Caso consiga alcançar a dobradinha, isto é, vencer o campeonato e a Taça de Portugal, o treinador do Benfica, Bruno Lage, receberá em prémios cerca de 1,6 milhões de euros brutos, avança a imprensa desportiva. A …

Lisboa aumenta seis vezes IMI de prédios devolutos nos centros

A Câmara de Lisboa vai aumentar, em 2020, seis vezes a taxa do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) para os prédios devolutos nas zonas de maior pressão urbanística, anunciou esta quarta-feira o vereador das Finanças, …

Polícia entrou na federação de futebol da Bulgária e deteve cinco pessoas

Já depois de Borislav Mihailov se ter demitido da presidência da federação da Bulgária, uma unidade da estrutura policial que luta contra o crime organizado no país entrou esta terça-feira na sede da federação, em …

Família holandesa vivia há 9 anos numa cave à espera “do fim dos tempos”

A policia holandesa encontrou uma família de seis pessoas na cave de uma quinta no nordeste do país, onde viviam em isolamento há nove anos e, segundo a imprensa, esperavam “o fim dos tempos”. A polícia …

Kim Jong-un subiu montanha sagrada a cavalo (e deixou a Coreia à espera de um grande anúncio)

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, foi ao monte Paektu, a montanha considerada sagrada pelos norte-coreanos, dar um passeio a cavalo. As imagens foram divulgadas pela agência estatal KCNA, tendo surgido especulações de que virá aí …

Uma questão de físico. Já se sabe porque o Manchester United desistiu de João Félix

Foi a "falta de físico" que afastou João Félix do Manchester United. O clube inglês ponderou contratar a jovem estrela do Benfica, antes da sua mudança para o Atlético de Madrid, mas acabou por desistir …