/

Detido jihadista suspeito de ser mandante de ataque ao Charlie Hebdo

France Diplomatie

Peter Chérif, suspeito de ser o mandante do ataque ao Charlie Hebdo, que foi executado pelos irmãos Kouachi em 2015, terá sido detido em Djibuti, em África.

O jihadista francês Peter Chérif, próximo aos irmãos Kouachi, foi detido, segundo noticiou o Le Parisien. Estará também relacionado com o ataque ao Charlie Hebdo que fez 12 mortos, em 2015.

Peter Chérif, de 36 anos estava foragido desde 2011 é suspeito de ser o mandante do atentado ao jornal francês Charlie Hebdo em janeiro de 2015. Foi detido em Djibuti, um pequeno país no norte de África. De acordo com a France Presse, a detenção foi feita no domingo.

O jihadista Peter Chérif, também conhecido pelo pseudónimo de Adbou Hamza, foi colocado sob custódia, segundo uma fonte ligada ao processo, citada pela AFP. Peter Chérif era próximo dos autores materiais do atentado, os irmãos Kouachi, que foram mortos pela polícia na sequência de uma perseguição policial.

A 7 de janeiro de 2015, os jihadistas irromperam no edifício do jornal à hora da reunião da redação e mataram 12 pessoas, nomeadamente os caricaturistas históricos Cabu, Charb, Honoré, Tignous e Wolinski que são regularmente evocados numa redação “reconstruida e sólida”.

O homem de 36 anos estava em fuga desde 2011 e era conhecido pelos serviços franceses por ter combatido no Iraque no início dos anos 2000. Em 2006 foi condenado a quinze anos de prisão por “atravessar de forma ilegal a fronteira do Iraque”. Peter Cherif conseguiu escapar da prisão Badouche, no norte do Mosul, onde cumpria a sua sentença.

Em 2008, o mentor do ataque terrorista foi preso novamente e entregue às autoridades francesas. Ficou preso durante 18 meses, mas foi deixado em liberdade antes do julgamento. Peter Cherif voltou, então, a fugir, estando em fuga desde janeiro de 2011.

Quatro meses depois, revela ainda a imprensa francesa, foi detetado no Iémen, onde se alistou à al Qaeda e deu formação aos irmãos que atacaram o semanário, em Paris.

Atualmente suspeita-se que o homem de 36 anos seja o cérebro do ataque à redação do jornal Charlie Hebdo e de ter estado em contacto com Amedy Coulibaly, o suspeito do tiroteio no supermercado Hyper Cacher, em 2015.

O mentor do ataque terrorista deverá ser extraditado para França.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.