Após ameaças da Al-Qaeda, jornalistas franceses escrevem carta em defesa da Charlie Hebdo

@libe / Twitter

Capa da primeira edição do Charlie Hebdo após o atentado

Cerca de 100 órgãos de comunicação social em França publicaram hoje uma carta aberta apelando à defesa da liberdade de expressão, em apoio à revista Charlie Hebdo, quando decorre o julgamento dos atentados de 2015.

A carta surge na sequência de novas ameaças, nomeadamente da organização extremista islâmica Al-Qaeda, contra a Charlie Hebdo, três semanas após o início do julgamento do atentado contra o jornal que fez 12 mortos, em 2015, e da republicação das caricaturas de Maomé, a 2 de setembro – que foi condenada por vários países muçulmanos.

Em declarações à agência de notícias France-Presse (AFP), o responsável do semanário, Riss, disse que a revista satírica francesa tinha sido “mais uma vez ameaçada por organizações terroristas”, em pleno julgamento dos atentados de janeiro de 2015″, com as ameaças a visar também “todos os meios de comunicação e mesmo o Presidente”.

“Achámos necessário sugerir aos meios de comunicação social que pensassem na resposta coletiva que merecia ser dada a esta situação”, explicou o responsável do semanário Riss, sem especificar a natureza das ameaças.

“Graças à mobilização histórica dos meios de comunicação social franceses, ao publicar hoje esta carta aos nossos concidadãos, queremos enviar uma mensagem poderosa em defesa do nosso conceito de liberdade de expressão”, explicou o editor do semanário.

Na carta aberta, intitulada “Juntos, vamos defender a liberdade”, alerta-se para a necessidade de defender a liberdade de expressão contra os ataques de que é alvo.

“Em 2020, alguns de vós estão a receber ameaças de morte nas redes sociais quando expõem opiniões. Os meios de comunicação social são abertamente visados por organizações terroristas internacionais. Os Estados exercem pressões sobre os jornalistas franceses (considerados) ‘culpados’ de publicarem artigos críticos”, pode ler-se no documento.

“É todo o edifício jurídico construído ao longo de mais de dois séculos para proteger a liberdade de expressão que está sob ataque, como nunca esteve durante 75 anos. E desta vez por novas ideologias totalitárias, por vezes alegando inspirar-se em textos religiosos”, prossegue o texto.

“Precisamos da sua mobilização. É preciso que os inimigos da liberdade compreendam que somos os seus adversários resolutos, quaisquer que sejam as nossas diferenças de opinião ou crença”, apelaram os signatários, que incluem a imprensa nacional e regional, os principais canais de televisão, semanários e estações de rádio franceses.

Na terça-feira, Marika Bret, a diretora de recursos humanos da revista Charlie Hebdo, que se encontra sob proteção da polícia desde 2015, disse que foi obrigada a abandonar a casa onde reside na semana passada, devido a ameaças.

Em declarações à rádio France Info, Bret referiu que, “perante a gravidade das ameaças”, que não foram detalhadas por motivos de segurança, a polícia lhe comunicou, na semana passada, “que tinha dez minutos para preparar uma mala” e abandonar o edifício onde reside.

O processo judicial sobre o atentado contra a revista Charlie Hebdo, no dia 7 de janeiro de 2015, e outros ataques radicais islâmicos que se seguiram, começou em Paris no início do mês.

Do episódio resultaram 17 mortos, durante os ataques levados a cabo pelos irmãos Kouachi e Amedy Coulibaly.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …

O Arecibo desabou. É o fim de uma era à procura de vida extraterrestre

O Observatório de Arecibo, em Porto Rico, morreu. Três semanas depois de um dos principais cabos de sustentação da sua cúpula ter desabado, danificado irremediavelmente o radiotelescópio, o icónico caçador de vida extraterrestre antecipou-se à …

O maior elevador panorâmico do mundo tem vista para os cenários de Avatar

Com o recente lançamento de fotografias subaquáticas dos bastidores do Avatar 2 e a notícia de que Avatar 3 está quase a terminar as filmagens, não há melhor momento para revisitar o parque nacional que …

Pandemia tirou comida da mesa, mas deu asas a startup que transforma plástico do mar em máscaras

A startup portuguesa Skizo transformou a pandemia numa oportunidade de crescimento. Quando faltava comida nalgumas mesas, a empresa de produção de sapatilhas e bolsas passou a fazer máscaras a partir de plástico retirado dos oceanos …

Na Irlanda, o Pai Natal é considerado um "trabalhador essencial"

A Irlanda fez esta semana um anúncio especialmente dedicado às crianças, afirmando que o Pai Natal é considerado um trabalhador essencial no país e, por isso, não terá as suas deslocações restringidas no período natalício. …

Mais 2400 novos casos. Portugal ultrapassa os 300 mil desde o início da pandemia

Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou mais 2.401 novos casos, tendo passado a contabilizar …

Medidas para o Natal conhecidas no sábado. Passagem de ano com todas as restrições

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”. “O Governo …

Os assentos do meio da Delta Air Lines vão continuar vazios

A companhia norte-americana Delta Air Lines anunciou esta semana que continuará a manter os assentos do meio vazios, mantendo a política de distanciamento social decretada por causa da pandemia de covid-19. A bloqueio destes lugares intermediários …

A queda da Aurora Dourada. Como a Grécia lidou com a onda de extrema-direita

Quando uma onda da extrema-direita atingiu a Grécia em 2012, poucos previram que a Aurora Dourada, um dos grupos envolvidos, cresceria e tornar-se-ia o terceiro maior partido no parlamento grego. Este foi o início de um …