73 anos após Hiroshima, Japão volta a pedir fim das armas nucleares

Jiji Press / EPA

O primeiro bombardeamento atómico mundial, a 6 de agosto de 1945, vitimou 140 mil pessoas

O Japão voltou esta segunda-feira a apelar para o fim das armas nucleares, no 73.º aniversário do bombardeamento atómico de Hiroshima, num clima entre o ressurgimento mundial do nacionalismo e a esperança da desnuclearização da Coreia do Norte.

“Se a humanidade esquecer a história ou parar de a confrontar, ainda poderemos cometer um erro terrível, e é exatamente por isso que temos de continuar a falar sobre Hiroshima”, declarou o presidente da câmara, Kazumi Matsui.

O Parque Memorial da Paz, em Hiroshima, voltou a ser palco de uma cerimónia de homenagem às vítimas do primeiro bombardeamento atómico mundial, a 6 de Agosto de 1945, que matou 140 mil pessoas.

“Certos países proclamam descaradamente o nacionalismo e estão a modernizar os seus arsenais nucleares, reacendendo as tensões que haviam diminuído com o fim da Guerra Fria”, lamentou Matsui, sem identificar os países.

Ao mesmo passo, o 73.º aniversário assinala-se em meio de uma clima de esperança, depois de Pyoyngang prometer a “completa desnuclearização” da Coreia do Norte na histórica cimeira entre Kim Jong-un e o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em Junho passado, em Singapura.

No ano passado, o Japão preferiu não assinar um tratado de proibição de armas nucleares, adotado pela ONU, apontando a ingenuidade do texto e alinhando-se com as potências nucleares que invocavam a ameaça norte-coreana.

Esta segunda-feira, o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou que, “nos últimos anos, ficou claro que existem diferenças entre os países sobre como proceder com a redução de armas nucleares”, mas assumiu a vontade do seu país em “trabalhar pacientemente para servir de ponte entre os dois lados e liderar os esforços da comunidade internacional para a desnuclearização”, assumiu.

Três dias depois da bomba nuclear que atingiu Hiroshima, causando 140 mil mortos, os Estados Unidos lançaram, a 9 de Agosto de 1945, uma segunda bomba atómica sobre Nagasaki, levando à capitulação do Japão e ao fim da Segunda Guerra Mundial.

Em Março, o número total de “hibakusha” [sobreviventes] ascendia a 154.859, face aos 372.264 contabilizados em 1980. A idade média dos sobreviventes dos bombardeamentos nucleares de Hiroshima e Nagasaki é superior a 82 anos.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Bilhetes de avião podem ficar 10% mais caros devido a novo imposto

Um novo imposto sobre as emissões de dióxido de carbono na aviação pode fazer com que os bilhetes fiquem 10% mais caros. A subida rondaria os 24 euros no preço médio das viagens. Os bilhetes de …

CEO do BCP defende taxa sobre transações financeiras para pagar Novo Banco

O CEO do Millennium BCP, Miguel Maya, defendeu a criação de taxas sobre transações financeiras sobre contribuintes portugueses como uma alternativa ao mecanismo de capital contingente para pagar o Novo Banco. Entre as contribuições para o …

Totti deixa Roma. "Chegou o dia que eu esperava que nunca chegasse"

O diretor técnico da Roma anunciou que vai deixar o cargo, por as suas opiniões não terem sido consideradas na escolha do novo treinador da equipa de futebol, o português Paulo Fonseca. "Chegou o dia que …

Bruges limita turismo "para não se tornar uma Disneylândia"

Burges, na Bélgica, é a mais recente cidade europeia a impor limites ao turismo para que "não se torne a Disneylândia". Dirk De Fauw, presidente da câmara local, anunciou em declarações ao jornal Het Nieuwsblad que …

Hospital Santa Maria abre inquérito a morte de Ruben Carvalho

A administração do Centro Hospitalar Lisboa Norte decidiu abrir um processo de inquérito na sequência de notícias sobre eventual negligência hospitalar no internamento do histórico dirigente do PCP. Fonte oficial do Centro Hospitalar, que integra o …

Nós, Cidadãos! convida Aliança para coligação. Partido de Santana ainda está "a examinar"

O partido Nós, Cidadãos! desafiou a Aliança para uma coligação eleitoral “ao centro”, mas fonte oficial da força política liderada por Santana Lopes esclareceu que ainda está “a examinar”. O presidente do Nós, Cidadãos!, Mendo Castro Henriques, confirmou à …

Benfica desmente negociações com Atlético de Madrid por João Félix

O Benfica desmentiu, em nota divulgada esta segunda-feira, todas as notícias que dão conta de uma transferência iminente de João Félix para o Atlético de Madrid. João Félix tem feito capa em vários jornais espanhóis, que insistem …

Não havia tantos pré-avisos de greve desde o tempo da troika

Nas próximas semanas, são poucos os dias úteis que não têm pelo menos uma greve. Se o ritmo se mantiver, este será o ano da legislatura com mais pré-avisos. Dos hospitais aos tribunais, passando pelos transportes …

“Maré vermelha” interdita banhos em várias praias do Algarve

As praias entre a Ilha do Farol e Vilamoura, no Algarve, estão interditadas a banhos devido a uma concentração de uma alga marinha que pode ser perigosa para a saúde. As praias algarvias entre a Ilha …

Gulbenkian vende petrolífera Partex por 555 milhões de euros

A Fundação Gulbenkian assinou, esta segunda-feira, um acordo para a venda da Partex com a PTT Exploration and Production por 555 milhões de euros. Em comunicado hoje divulgado, a Fundação Gulbenkian informou que "a operação terá um …