Japão regressa à energia nuclear quatro anos depois de Fukushima

Gill Tudor / IAEA

Trabalhadores em Fukushima

Trabalhadores em Fukushima

O primeiro reator nuclear foi hoje reativado no Japão, mais de quatro anos depois do acidente na central de Fukushima, que suspendeu a atividade em todas as centrais do país desde setembro de 2013.

“O reator número 1 da central de Sendai – a 1.000 quilómetros a sudoeste de Tóquio – foi reiniciado às 10h30 locais (02h30 em Lisboa), disse à AFP um porta-voz da empresa Kyushu Electric Power.

O reator deverá começar a gerar eletricidade na sexta-feira, a qual será explorada comercialmente a partir de setembro, segundo a companhia.

A reativação de Sendai foi levada a cabo com o impulso do governo nipónico, que defende a necessidade de retomar a energia nuclear para estimular o crescimento económico, apesar de a maioria da população japonesa rejeitar a medida por receio de que se repita um desastre como o de Fukushima, em 2011.

Hoje mesmo cerca de 200 pessoas concentraram-se junto à central de Sendai, no estremo sul da ilha de Kyushu, e protestaram contra a reativação do reator 1, informou a estação pública nipónica NHK.

Em Tóquio, grupos de pessoas também se manifestaram contra a decisão em frente ao parlamento.

O sismo de magnitude 9 na escala de Richter e consequente tsunami, que devastaram o nordeste do Japão a 11 de março de 2011, deixaram mais de 18 mil mortos e desaparecidos, e causaram na central de Fukushima Daiichi o pior acidente nuclear desde Chernobil, em 1986.

As emissões e derrames resultantes mantêm deslocadas milhares de pessoas que viviam junto da central e afetaram gravemente a agricultura, a pecuária e a pesca locais.

O desmantelamento da central de Fukushima Daiichi é um processo complexo que vai levar no total entre três e quatro décadas.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Em momento "de vida ou morte" da empresa, Huawei tenta evitar despedimentos

O fundador da Huawei, Ren Zhengfei, escreveu na segunda-feira um comunicado interno no qual admite que a empresa está "num momento de vida ou morte" e pediu aos funcionários que não estão com muito trabalho …

Honduras. Ex-primeira dama condenada por desviar verbas quando marido era Presidente

Um tribunal hondurenho condenou a ex-primeira dama Rosa Elena Bonilla por desviar cerca de 600 mil dólares (540 mil euros) em dinheiro do Governo (2010-2014), quando o marido, Porfirio Lobo, era Presidente. Segundo informou esta quarta-feira …

Maduro confirma conversações ao mais alto nível com EUA

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, confirmou esta quarta-feira que membros do seu governo mantêm contactos de alto nível com funcionários da administração norte-americana de Donald Trump. "[Donald] Trump disse que os Estados Unidos [EUA] dialogam …

Pardal Henriques desmente Marinho e Pinto. Recebeu convite mas ainda não é candidato

O presidente do Partido Democrático Republicano (PDR) anunciou que o porta-voz do SNMMP é candidato às legislativas de outubro. Pardal Henriques confirmou o convite mas diz que ainda não tomou uma decisão. "Pardal Henriques vai ser …

Desemprego registado cai em julho para o valor mais baixo desde 1991

O número de desempregados inscritos nos centros de emprego em Portugal continua a diminuir. O desemprego registado cai em julho para o valor mais baixo desde 1991. É o chamado desemprego registado que, depois de em …

Nova acusação contra Plácido Domingo. Jornalista espanhola diz que o tenor se aproximou “mais do que devia”

A jornalista espanhola Karmele Marchante acusou o tenor Plácido Domingo de se ter aproximado "mais do que devia com cara de quero, posso e mando". É um dos desenvolvimentos mais recentes do caso Plácido Domingo e …

China confirma detenção de funcionário do consulado britânico em Hong Kong

A China confirmou esta quarta-feira a detenção de um funcionário do consulado britânico em Hong Kong, Simon Cheng Man-kit, desaparecido desde 08 de agosto, numa altura de tensão diplomática entre Pequim e Londres, devido aos …

Parlamento chinês proíbe casamento entre pessoas do mesmo sexo

A China não segue a lei da Formosa, que autorizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo, e declara que a posição oficial do Parlamento chinês continua a ser de limitar a autorização do casamento …

Mais de 200 mortos em cheias de verão na China

Pelo menos 201 pessoas morreram, em julho e agosto, e 63 estão desaparecidas, na sequência de cheias em diferentes regiões da China, revelaram esta quarta-feira as autoridades chinesas. As vítimas mais recentes foram registadas numa região …

Trump volta a defender regresso da Rússia ao G7

O Presidente dos Estados Unidos voltou nesta terça-feira a defender o regresso da Rússia ao grupo das oito nações mais industrializadas (G8), que afastaram a Rússia em 2014, no seguimento da anexação da Crimeia, em …