//

PS aponta o dedo à direita e Bloco. “Quiseram transformar este inquérito num ajuste de contas”

5

O Partido Socialista (PS) entregou, esta segunda-feira, uma longa declaração de voto para explicar a oposição à versão final do relatório da comissão de inquérito ao Novo Banco.

Na extensa declaração de voto, o PS divulga os motivos pelos quais votou contra a versão final do documento, que responsabiliza o Governo socialista pelo processo de venda do Novo Banco em 2017.

De acordo com o jornal Público, o partido começa por lembrar que foi a bancada socialista que propôs a Comissão de Inquérito em causa. Aliás, “também foi o PS que propôs a auditoria especial ao Tribunal de Contas sobre a salvaguarda do interesse público na criação, venda e alienação de ativos do Novo Banco”.

O PS entende que “o relatório preliminar foi injustamente acusado de enviesamento” e que as acusações chegaram “precisamente dos partidos que abandonaram a linha factual das conclusões no capítulo da venda” do Novo Banco e que “quiseram transformar este inquérito num ajuste de contas com o PS“.

Cabia ao PSD não ceder à vertigem das conclusões políticas”, lê-se, ainda.

O relatório final atribui mais responsabilidades ao Governo socialista do que as que o PS aceita. Segundo o matutino, entre as alterações aprovadas pelo PSD e BE estão duas conclusões: a de que que o Ministério das Finanças, à data tutelado por Mário Centeno, colaborou “permanentemente” com o Banco de Portugal na venda do Novo Banco; e a de que o Executivo socialista teve um “papel determinante” no processo.

O PS considera que existem sete conclusões do relatório “sem qualquer ligação aos factos apurados, algumas delas falsas”. “A opção de abandonar a linha factual do relatório levou à aprovação de conclusões de juízo político, algumas delas falsas, transformando o rol das conclusões numa amálgama inaceitável”, pode ler-se na declaração.

Entre elas está a afirmação de que “a ameaça de liquidação, imposta pelas autoridades europeias e aceite pelo Governo e pelo Banco de Portugal, degradou o poder negocial do acionista Estado e introduziu elementos de instabilidade no sistema financeiro ao impedir que fossem considerados cenários alternativos que melhor protegessem o interesse público”, aponta o diário.

O PS argumenta que estas conclusões “são contrariadas por outras conclusões igualmente aprovadas e de base factual”, nomeadamente pelo facto de, no mesmo relatório, se ler que a separação entre ativos tóxicos “está na origem das perdas suportadas pelos portugueses desde 2014” e que “a resolução incorporou também o compromisso da rápida reprivatização do banco, o que representou um constrangimento à tomada de outras opções no futuro”.

A alternativa à venda seria a liquidação“, sublinha o PS, acrescentando que a venda “preservou o sistema financeiro, salvaguardando o interesse público”.

“Foram rejeitadas conclusões factuais porque, e só por esta razão, não serviam a narrativa do BE e da direita“, acusa o partido.

O relatório final da comissão de inquérito ao Novo Banco foi aprovado na semana passada com o voto contra do PS e o voto favorável do PSD, BE, PCP, PAN e Iniciativa Liberal. O CDS absteve-se.

A declaração de voto do PS foi conhecida no mesmo dia em que foram divulgados os resultados semestrais do Novo Banco, que apresentou lucros de 137,7 milhões de euros no primeiro semestre.

  Liliana Malainho, ZAP //

5 Comments

      • Para o PS é sempre muito difícil aceitar culpas de qualquer uma das suas borradas. Quando há culpas dos outros, o PS farta-se de malhar sem dó nem piedade. Este é um partido algo manhoso e em que a ação política é sempre muito esmiuçada. Sobre o assunto desta notícia, não conseguiram desta vez reduzir a cinzas a sua culpabilidade na venda desastrosa do Novo Banco.

  1. Lucros de cento e tal milhões quando tem lá nossos mais de três mil milhões de euros, grandes contabilistas! E o que é que o PS tem que se pôr em bico dos pés quando o seu governo tem insistido na injeção de dinheiro num Banco que alcunharam de Banco Bom e que continua com os mesmos erros do antecessor? Tantas culpas têm os “responsáveis” por esse Banco como os “responsáveis” do governo, prisão para todos deveria ser o caminho a tomar!

  2. Então o Novo Banco deu o ano passado um prejuízo de quase 600 milhões de euros e este ano apresenta lucro ? Isto tem que ser verificado imediatamente, por quem tem poder para tal. Em período de pandemia, como é que é possível? É como alguém diz: Os apoios financeiros são tão grandes que já dá para apresentar um lucro fictício! Meus senhores acabem com esta treta. Este banco está falido e bem falido e nunca mais será viável porque está sempre à beira da derrocada, por influência do modo como nasceu.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.