Governos de Guterres e Cavaco perderam mais ministros que todos os outros juntos

André Kosters, Mário Cruz / Lusa

Ex-primeiro-ministro, secretário-geral da ONU António Guterres, e ex-primeiro-ministro, ex-presidente Aníbal Cavaco Silva

O antigo primeiro-ministro António Guterres é o “campeão dos ministros demissionários”. Os governos do atual secretário-geral da ONU e do antigo presidente da República Cavaco Silva perderam mais ministros (47) do que todos os outros governos juntos (39).

Foram poucos os governos portugueses sem demissões por parte dos seus ministros. Alguns, inclusive, viram metade dos seus representantes serem substituídos. Foi o que aconteceu nos mandatos de António Guterres (1995-2002) e de Cavaco Silva (1985-1995), nos quais se demitiram mais oito ministros do que nas outras 15 regências em conjunto.

Analisando a tabela abaixo, é possível verificar que, nos dois mandatos de Guterres, demitiram-se 24 ministros, mais um do que nos três de Cavaco Silva (23). Durante os sete anos em que o socialista esteve à frente do Governo, as pastas da Economia (4), do Equipamento Social (4) e da Defesa Nacional (3) foram as que sofreram mais baixas.

 

no caso de Cavaco Silva, que venceu as eleições legislativas de 1987 e de 1991 pelo PSD, com as primeiras maiorias absolutas conquistadas por uma força política não coligada (50,2%), os ministérios da Defesa Nacional (3), das Finanças (2) e da Agricultura (2) foram os que mais registaram representantes demissionários.

Dos 21 Governos apenas quatro não contaram com demissões: os dos independentes Carlos da Mota Pinto (1978-1979) e Maria de Lurdes Pintasilgo (1979-1980), o de José Sócrates (2009-2011) e o último de Pedro Passos Coelho (2015), que, com a duração de 27 dias, foi o mais curto mandato em Portugal.

Destes quatro governos, três foram dos que tiveram menor duração na História da Terceira República Portuguesa, não ultrapassando, nenhum deles, os seis meses de governação.

No atual governo, liderado por António Costa e em exercício há três anos, ocorreram, até à data, cinco substituições por destituição ou por demissão.

 

Relativamente aos ministérios, a tabela acima não deixa dúvidas: dos 86 ministros despedidos ou que abandonaram as suas funções ao longo dos 21 Governos, as pastas da Defesa Nacional, da Administração Interna e da Economia foram as mais atingidas, perfazendo, juntas, aproximadamente 27% das demissões.

As demissões ou despedimentos nos ministérios da Agricultura e Pescas, da Educação, do Equipamento Social, da Saúde e da Cultura, correspondem a 29% do total de baixas.

Quanto à atividade política, apenas dois dos 47 ministros demissionários ocupam cargos hoje em dia. Um deles é Eduardo Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, que assumiu, nos mandatos de António Guterres, as pastas da Solidariedade e Segurança Social, Trabalho e da Solidariedade e Equipamento Social.

O outro é o atual ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, que esteve à frente dos pelouros da Educação (2000-2001) e da Cultura (2001-2002), também nos governos do socialista.

Ex-ministros: polémicas e processos judiciais

Alguns dos ministros demissionários dos mandatos de Cavaco Silva e de António Guterres estiveram no centro de situações polémicas, durante e depois de terem exercido funções.

Leonor Beleza, ministra da Saúde de Cavaco Silva entre 1985-1990, é um dos exemplos. Demitiu-se na sequência de um caso de distribuição de sangue contaminado, que terá feito inúmeras vítimas de SIDA e hepatite C. A prescrição da acusação de homicídio por negligência e o facto de o crime de homicídio com dolo eventual não ter sido provado, levaram a que não tenha sido condenada.

Durante o terceiro mandato do social-democrata houve lugar para outra controvérsia, associada ao então ministro do Ambiente e Recursos Naturais, Carlos Borrego. À frente da pasta entre 1991 e 1993, demitiu-se no seguimento de uma anedota sobre 25 doentes hemofílicos que haviam falecido depois de terem sofrido uma intoxicação por alumínio, atribuída, em parte, à má qualidade da água da rede pública.

Já o ministro Arlindo de Carvalho, que substituiu Leonor Beleza no pelouro da Saúde, em 1990, e integrou igualmente os primeiros dois anos do terceiro mandato de Cavaco Silva, foi acusado, em 2014, pela co-autoria dos crimes de burla qualificada, abuso de confiança e fraude fiscal agravada, no caso BPN, e condenado, em 2018, a seis anos de prisão.

Mas as polémicas não são exclusivas aos ex-ministros de Cavaco Silva. Alguns dos ex-representantes de António Guterres também estiveram envolvidos em situações de crise.

Foi o que aconteceu com Manuel Maria Carrilho, ministro da Cultura entre 1995 e 2000. Em 2017, foi condenado a quatro anos e seis meses de prisão com pena suspensa e ao pagamento de 50 mil euros a ex-mulher Barbara Guimarães, pelos crimes de violência doméstica, ofensas à integridade física, ameaças e denúncia caluniosas. Um ano depois, viu a pena reduzida para quatro anos e o pagamento para 35 mil euros.

Foi também condenado, em fevereiro de 2018, a oito meses de prisão – com pena substituída por uma multa no valor de 2400€ -, por ter agredido, dois anos antes e em tribunal, o pedopsiquiatra Pedro Strecht.

A outra ocorrência relaciona-se com Armando Vara, que assumiu, entre outros, os pelouros da Juventude e do Desporto, entre 1999 e 2000. Nesse ano, foi forçado a demitir-se após as notícias sobre irregularidades cometidas pela Fundação para a Prevenção e Segurança Rodoviária, que criara no ano anterior, processo que foi arquivado.

Em julho de 2015, foi detido por alegados crimes de corrupção, fraude fiscal e branqueamento de capitais, no âmbito da Operação Marquês, que investiga o ex-primeiro-ministro José Sócrates.

Devido ao envolvimento nesse processo, esteve em prisão domiciliária com pulseira eletrónica até outubro do mesmo ano, tendo sido libertado depois de pagar uma caução de 300 mil euros. Em novembro de 2018, o novo juiz de instrução do processo, Ivo Rosa, determinou que o valor da caução lhe seria restituído.

Armando Vara foi ainda condenado a cinco anos de prisão efetiva por três crimes de tráfico de influência, no processo Face Oculta.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há cinco hábitos comuns que podem matar lentamente

Maus hábitos são difíceis de quebrar. Mesmo quando eles prejudiciais à saúde, pode ser complicado desistir de certas atividades. Há várias práticas que os especialistas associam a uma morte prematura. Antes de sugerir que estas atividades …

Cientistas encontraram uma forma de levitar objetos usando apenas luz

Os cientistas afirmam que a sua nova tecnologia de levitação seria capaz de enviar uma nave espacial para a estrela mais próxima em apenas 20 anos. Cientistas do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) dizem ter …

Estrela hiper-fugitiva foi expulsa do disco da Via Láctea

De acordo com investigadores da Universidade de Michigan, uma estrela veloz pode ter sido ejetada do disco estelar da Via Láctea por um enxame de estrelas jovens. Os cientistas dizem que a estrela não teve …

Cientistas portugueses participam na criação do maior telescópio do mundo

O SKA, Square Kilometre Array, está já em construção e será o maior telescópio do mundo. Cientistas portugueses estão a participar no seu design e alguns dos testes serão feitos em território luso. A construção do …

Bolsonaro pondera não assinar qualquer acordo na próxima cimeira do clima

O Brasil está a considerar não assinar qualquer acordo climático na próxima COP25, anunciou este sábado em Santiago o Presidente brasileiro Jair Bolsonaro, após uma reunião que manteve no sábado no Palácio de La Moneda …

Portugal vs Sérvia | Massacre luso com pólvora seca

Segunda jornada do Grupo B da qualificação para o Euro 2020, segundo empate de Portugal, ambos em casa. Após o nulo ante a Ucrânia na primeira jornada, os campeões da Europa não foram além de …

O "homem-milagre". Carteiro português esteve morto 21 minutos e acordou a caminho da morgue

Declarado morto pelos médicos, depois de ter tido um ataque cardíaco, e "ressuscitado" 21 minutos depois, quando já ia a caminho da morgue, o português João Araújo continua a ser conhecido como o "homem milagre" …

Um dos fármacos mais promissores para tratar o Alzheimer falha nos testes em humanos

Uma onda de choque instalou-se na comunidade de pesquisa sobre o Alzheimer na sexta-feira, depois que a empresa farmacêutica Biogen anunciou a suspensão - na fase final em humanos - dos testes com o fármaco …

Gerente de agência de viagens deixou 84 clientes em terra. Em tribunal, foi absolvida

Paula chegou a tribunal acusada de burla qualificada por ter deixado 84 clientes da agência de viagens que geria no Montijo com as férias ou viagens estragadas em agosto de 2016. Chegou a ser detida …

Italiana de 91 anos distinguida pelos seus feitos na II Guerra Mundial. Aos 17 anos, salvou 38 pessoas

Gabriella Ezra, de 91 anos, vai receber a Estrela de Itália. O Estado decidiu homenageá-la depois de a embaixada italiana em Inglaterra, onde Gabriella vive, ter recebido uma carta do filho, Mark, de 65 anos, …