Dinamarca responde a Trump: A Gronelândia não está à venda

Mette Frederiksen, primeira-ministra da Dinamarca

O Presidente dos Estados Unidos quer comprar a Gronelândia “por razões estratégicas”. A primeira-ministra dinamarquesa já fez questão de relembrar Donald Trump que o território não está à venda.

Segundo o Expresso, as declarações do Presidente norte-americano, Donald Trump, aconteceram no passado domingo, em New Jersey, quando falava numa conferência de imprensa no regresso de férias a caminho da Casa Branca.

Trump explicou aos jornalistas que a ideia de comprar a Gronelândia surgiu quando “olhava para o país” e que esta aquisição seria “por razões estratégicas”, ainda que não fosse “a sua maior prioridade”.

“Essencialmente, a Dinamarca é dona da Gronelândia. Nós somos bons aliados da Dinamarca, protegemos a Dinamarca como protegemos grandes partes do mundo. Estrategicamente é interessante e nós falaremos com eles”, disse o chefe de Estado, citado pelo semanário.

“Trata-se essencialmente de um plano de imobiliário, mas pode fazer-se muita coisa”, disse ainda Trump, que tem planeada uma visita oficial a vários países europeus em setembro, entre os quais a Dinamarca.

No mesmo dia, o principal assessor económico da Casa Branca confirmou o interesse de Trump. Larry Kudlow afirmou à Fox News que não quer prever o que pode acontecer, mas chamou à Gronelândia “um lugar estratégico” com “muitos minerais valiosos”.

A primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, já fez questão de relembrar o Presidente norte-americano que o território não está à venda. “A Gronelândia não está à venda. A Gronelândia não é dinamarquesa. A Gronelândia pertence à Gronelândia. Espero bem que isto não seja dito a sério”, afirmou ao jornal Sermitsiaq.

Os militares dos EUA operam a partir da Base Aérea de Thule, na Gronelândia, há décadas. Esta é a base mais a norte deste país e faz parte da rede militar global de radares e outros sensores de alerta para mísseis balísticos e de vigilância espacial.

A Gronelândia é um dos territórios autónomos ultramarinos do Reino da Dinamarca colonizado há três séculos. A ilha com mais de dois milhões de quilómetros quadrados (80% do território está coberto de gelo permanentemente) é habitada por 56 mil pessoas.

Em 1946, o Presidente dos EUA, Harry Truman, quis comprar a Gronelândia à Dinamarca por 100 milhões de dólares, mas a proposta foi rejeitada. Houve um precedente mais bem-sucedido quando o país adquiriu as Índias Ocidentais dinamarquesas, renomeando-as de Ilhas Virgens Americanas.

Esta não seria a primeira vez que os EUA compravam um território de outro país. Em 1867, os EUA compraram o Alasca à Rússia.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Não seria a primeira vez que a Dinamarca vendia território seu aos EUA.
    Em 1917 os EUA compraram as Virgin Islands à Dinamarca por $25 milhões.
    Desta vez talvez fosse melhor fazer um referendo aos habitantes da Gronelândia primeiro…

  2. Realmente, as Ilhas Virgens e a Gronelândia tem tudo a ver… além disso, 1917 e 2019 é
    quase igual!…
    Já há muito que se fala numa possível independência da Dinamarca e, iam agora regredir e integrar os EUA?
    Tá bonito…

Responder a Eu! Cancelar resposta

Cientistas produziram um processador quântico em larga escala feito apenas de luz

Uma equipa internacional de cientistas da Austrália, Japão e Estados Unidos produziu um protótipo de um processador quântico em larga escala feito apenas de luz laser. O mais recente processador quântico é baseado num projeto com …

FIFA investe 449 milhões de euros para desenvolver o futebol feminino

A FIFA anunciou que vai investir 500 milhões de dólares no desenvolvimento do futebol feminino. Em cima da mesa está uma Liga das Nações, um mundial de clubes e torneios para camadas jovens. A FIFA vai …

Escritor famoso escreve livro para ser lido apenas em 2114

O famoso escritor norueguês Karl Ove Knausgaard, autor de romances como A Morte do Pai e a Ilha da Infância, onde explora a sua história pessoal e o seu dia a dia, aceitou escrever um …

PS deverá aprovar recandidatura de Ferro à presidência da Assembleia da República

O Grupo Parlamentar do PS vai reunir-se na quinta-feira, com a presença do secretário-geral, António Costa, ocasião em que deverá aprovar a recandidatura de Ferro Rodrigues ao cargo de presidente da Assembleia da República. Fonte oficial …

Perito revela que arma que investigação diz que matou Luís Grilo foi adulterada

O perito que examinou a arma que, segundo o Ministério Público, António Joaquim usou para matar o triatleta Luís Grilo revelou hoje em tribunal que o revólver foi adulterado, não conseguindo garantir se essa foi …

Cientistas criam vasos sanguíneos artificiais funcionais

Cientistas nos Estados Unidos usaram impressão 3D para fabricar vasos sanguíneos funcionais que poderão vir a ser usados clinicamente em casos de doenças vasculares. O resultado das experiências é relatado num estudo publicado esta terça-feira no …

Ordem suspende durante seis meses obstetra do caso do bebé sem rosto

O Conselho Disciplinar do Sul da Ordem dos Médicos decidiu suspender preventivamente o obstetra envolvido no caso do bebé que nasceu em Setúbal com malformações graves. A informação foi avançada à Lusa por fonte oficial da …

A China está a criar porcos gigantes (tão grandes como ursos polares)

https://vimeo.com/368036025 Porcos tão pesados como ursos polares. Esta é a solução encontrada por produtores chineses de porcos que tentam resolver o problema da falta de carne no mercado, muito por culpa da gripe suína africana dizimou …

Rússia e Síria vão partilhar controlo do nordeste sírio

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse hoje que a Turquia e a Rússia alcançaram um acordo pelo qual as forças curdas da Síria vão recuar 30 quilómetros a partir da zona fronteiriça do nordeste …

Câmara dos Comuns aprova acordo do Brexit (mas rejeita calendário apertado)

A Câmara dos Comuns aprovou esta terça-feira a primeira votação do acordo para o Brexit. No entanto, a calendarização da saída foi rejeitada numa segunda votação, deixando um impasse na data para o Brexit. Pela primeira …