Dinamarca responde a Trump: A Gronelândia não está à venda

Mette Frederiksen, primeira-ministra da Dinamarca

O Presidente dos Estados Unidos quer comprar a Gronelândia “por razões estratégicas”. A primeira-ministra dinamarquesa já fez questão de relembrar Donald Trump que o território não está à venda.

Segundo o Expresso, as declarações do Presidente norte-americano, Donald Trump, aconteceram no passado domingo, em New Jersey, quando falava numa conferência de imprensa no regresso de férias a caminho da Casa Branca.

Trump explicou aos jornalistas que a ideia de comprar a Gronelândia surgiu quando “olhava para o país” e que esta aquisição seria “por razões estratégicas”, ainda que não fosse “a sua maior prioridade”.

“Essencialmente, a Dinamarca é dona da Gronelândia. Nós somos bons aliados da Dinamarca, protegemos a Dinamarca como protegemos grandes partes do mundo. Estrategicamente é interessante e nós falaremos com eles”, disse o chefe de Estado, citado pelo semanário.

“Trata-se essencialmente de um plano de imobiliário, mas pode fazer-se muita coisa”, disse ainda Trump, que tem planeada uma visita oficial a vários países europeus em setembro, entre os quais a Dinamarca.

No mesmo dia, o principal assessor económico da Casa Branca confirmou o interesse de Trump. Larry Kudlow afirmou à Fox News que não quer prever o que pode acontecer, mas chamou à Gronelândia “um lugar estratégico” com “muitos minerais valiosos”.

A primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, já fez questão de relembrar o Presidente norte-americano que o território não está à venda. “A Gronelândia não está à venda. A Gronelândia não é dinamarquesa. A Gronelândia pertence à Gronelândia. Espero bem que isto não seja dito a sério”, afirmou ao jornal Sermitsiaq.

Os militares dos EUA operam a partir da Base Aérea de Thule, na Gronelândia, há décadas. Esta é a base mais a norte deste país e faz parte da rede militar global de radares e outros sensores de alerta para mísseis balísticos e de vigilância espacial.

A Gronelândia é um dos territórios autónomos ultramarinos do Reino da Dinamarca colonizado há três séculos. A ilha com mais de dois milhões de quilómetros quadrados (80% do território está coberto de gelo permanentemente) é habitada por 56 mil pessoas.

Em 1946, o Presidente dos EUA, Harry Truman, quis comprar a Gronelândia à Dinamarca por 100 milhões de dólares, mas a proposta foi rejeitada. Houve um precedente mais bem-sucedido quando o país adquiriu as Índias Ocidentais dinamarquesas, renomeando-as de Ilhas Virgens Americanas.

Esta não seria a primeira vez que os EUA compravam um território de outro país. Em 1867, os EUA compraram o Alasca à Rússia.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Não seria a primeira vez que a Dinamarca vendia território seu aos EUA.
    Em 1917 os EUA compraram as Virgin Islands à Dinamarca por $25 milhões.
    Desta vez talvez fosse melhor fazer um referendo aos habitantes da Gronelândia primeiro…

  2. Realmente, as Ilhas Virgens e a Gronelândia tem tudo a ver… além disso, 1917 e 2019 é
    quase igual!…
    Já há muito que se fala numa possível independência da Dinamarca e, iam agora regredir e integrar os EUA?
    Tá bonito…

Responder a Eu! Cancelar resposta

Alverca 2-0 Sporting | Leões desinspirados afastados da Taça pelo Alverca

O Alverca surpreendeu hoje o Sporting com uma vitória por 2-0, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, tornando-se no primeiro grande «tomba-gigantes» da competição ao afastar o atual detentor do troféu. Alex Apolinário, aos 10 …

A Barbie também arrenda casa no Airbnb

A boneca mais famosa do mundo celebra 60 anos. Agora, a empresa que produz a Barbie, a Matel, tornou a boneca uma anfitriã no Airbnb e vai arrendar uma mansão à beira-mar em Malibu, na …

Os primeiros bebés podem nascer no Espaço daqui a 12 anos

A empresa SpaceBorn United pretende realizar missões espaciais entre 24 e 36 horas para que algumas mulheres dêem à luz em órbita dentro de 12 anos. A notícia é avançada pelo fundador e CEO da empresa, …

Japão importou cinco vírus mortais, incluindo Ebola, por causa de Tóquio 2020

Com os Jogos Olímpicos à porta, um laboratório japonês decidiu importar cinco vírus mortais, nomeadamente Ebola, para fazer frente a um eventual surto durante a competição que vai levar ao país mais de 600 mil …

Empresa anónima quer os direitos do seu rosto para construir robôs (e paga 115 mil euros)

Uma empresa privada anónima está a oferecer 115 mil euros pelos direitos de usar o seu rosto numa nova linha de robôs humanóides. A empresa quer usar a imagem para dar uma cara a um robô …

Empresa está a vender vinho (com flocos de ouro) para celebrar o Brexit

Quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, uma saída programada para 31 de outubro, é provável que as pessoas celebrem com um vinho especial com flocos de ouro. Para aqueles que querem celebrar a saída …

Neandertais ocuparam ilhas do Mediterrâneo dezenas de milhares de anos antes do que se pensava

Cientistas descobriram provas de que a ilha de Naxos, na Grécia, já era habitada por neandertais há 200.000 anos, dezenas de milhares de anos antes do que se pensava até agora. Um estudo publicado esta quinta-feira …

Testes "bárbaros" em macacos levam ativistas a pedir encerramento de laboratório alemão

Durante meses, um ativista pelos direitos dos animais trabalhou no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT, na sigla inglesa), em Hamburgo, na Alemanha, onde testemunhou situações de violência contra os animais utilizados em testes e …

Próxima cimeira do G7 vai ser num resort de Donald Trump

A próxima cimeira do G7 será realizada num dos clubes de golfe do Presidente norte-americano, Donald Trump, na Florida, e o clima não constará da agenda de trabalhos, disse esta quinta-feira o chefe de gabinete …

Russos e ucranianos estão em guerra por causa de sopa

A sopa de beterraba é russa ou ucraniana? Um tweet do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa veio falar em prato nacional e a reação na Ucrânia não tardou a chegar. O tweet é de …