Grécia prepara-se para falhar pagamento ao FMI e sair do Euro

matthew_tsimitak / Flickr

Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia

Alexis Tsipras, primeiro-ministro da Grécia

A Grécia estará a preparar um plano drástico de nacionalização do sistema bancário e introdução de uma moeda paralela para efectuar pagamentos correntes, para o caso de os países da zona euro não tomarem medidas concretas de combate à crise nem suavizarem as suas exigências.

O ministro-adjunto das Finanças da Grécia, Dimitris Mardas, garantiu esta sexta feira que a Grécia tem dinheiro suficiente e vai pagar os cerca de 450 milhões de euros devidos brevemente ao FMI,  acrescentando que, por enquanto, as “coisas estão bem”.

Em declarações a uma cadeia privada de televisão, citadas pela EFE, Mardas assegurou que com “base nos dados actuais podem-se pagar” as obrigações do estado grego.

Mas segundo o The Telegraph, a Grécia não tem fundos suficientes para pagar ao FMI a tranche de 458 milhões de euros que vence a 9 de abril, e imediatamente a seguir os salários dos funcionários públicos e a segurança social, devidos a 14 de abril – excepto se a zona euro e os credores internacionais decidirem adiantar a próxima tranche do resgate transitório recentemente negociado.

Fontes próximas do Syrziza, citadas pelo jornal britânico, revelaram que o governo está determinado a manter em funcionamento os serviços públicos e a pagar as pensões. Com os fundos públicos em níveis criticamente baixos, o governo grego poderá ser forçado a dar um passo sem precedentes durante a próxima semana: falhar um pagamento ao FMI.

Somos um governo de esquerda. Vamos ter que decidir entre falhar um pagamento ao FMI ou falhar ao nosso povo. Não tem nada que saber“, diz um alto responsável do Syriza, citado pelo Telegraph.

“Poderemos ter que gerir um atraso nos pagamentos ao FMI. Isso poderá causar alguma perturbação nos mercados”, acrescentou a mesma fonte.

O governo de esquerda radical do Syriza preferia restringir o seu braço aos credores da zona euro, mas o próximo pagamento a vencer é ao FMI. Falhar um pagamento é uma decisão de alto risco e de consequências imprevisíveis, que nunca aconteceu a um país desenvolvido.

Caso falhe a data de pagamento, após um período de tolerância de seis semanas a Grécia entra formalmente em incumprimento.

Apesar de o Syriza não pretender despoletar uma situação formal de “default“, considera que uma situação de pré-incumprimento ou um atraso poderão ser uma escalada necessária no seu confronto com os credores europeus e o FMI.

A perspectiva de Atenas é a de que os seus credores ainda não perceberam que a situação mudou dramaticamente desde a eleição do Syriza, em janeiro, e que terão que fazer concessões reais se pretendem evitar que aconteça uma desastrosa ruptura da união monetária – situação repetidamente considerada como impensável.

Mas as pretensões gregas têm esbarrado na insistência dos credores em que sejam implementadas medidas concretas – a que a lista de 26 páginas de reformas apresentada na quarta-feira parece não ter dado resposta.

O antigo presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, recordou que a Grécia tem uma obrigação moral para com os outros países, considerando as exigências gregas de mais tempo e dinheiro como “completamente inaceitáveis”.

“Devemos lembrar-nos de que há países mais pobres do que a Grécia que lhe estão a emprestar dinheiro”, diz Barroso, “portanto uma proposta de corte na dívida grega receberá certamente um não dos seus parceiros”.

ZAP

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Agora é o momento certo pra essa gente incomprir. Assim e até outubro o colapso seria visível. Visível o suficiente para que os eleitores portugueses tivessem juízo!

  2. Faço votos que a Grécia entre em default para a seguir sermos nós e quem sabe a UE e sabe-se lá quem mais. Este sistema capitalista económico que não serve as pessoas terá o seu fim concerteza! Para quando? É uma questão de tempo. Os sistemas, sejam eles quais forem, são para servir as pessoas, as sociedades. Caso contrário têm o destino traçado. Nada como uma crise de sangue para eliminar o joio e surgir uma nova sociedade mais justa, com outra consciência.

    • Este senhor não é bom da cabeça… crise de sangue??? Assim que perdesses uma gota num dedinho estavas a dizer que o teu filho estava traumatizado e que exigias que a NATO restabelecesse a paz no teu bairro…
      Concordo que “Os sistemas, sejam eles quais forem, são para servir as pessoas, as sociedades” e nesse caso o sistema que temos é mau pois rouba a quem trabalha para sustentar chulos pobres ou ricos, os primeiros dão-lhes o voto eos últimos muito dinheirinho e bons tachos…

  3. Gostava de saber onde tantos jornalistas vão buscar tantas diferentes noticias sobre os mesmos assuntos .
    Considerando que as mesmas são tão dispares, obviamente uma grande parte são mentiras. Será que a lei permite isso? E se não permite… porque tal acontece?

França bate recorde com 13.498 novos casos. Espanha não vai confinar

A França registou este sábado um recorde diário de casos de covid-19, com 13.498 novos infetados nas últimas 24 horas, anunciou a Agência Nacional de Saúde, acrescentando que, no mesmo período, morreram mais 26 pessoas. No …

Diogo Jota no Liverpool

O Liverpool oficializou hoje a contratação do futebolista internacional Diogo Jota, de 23 anos, num contrato “de longa duração”, sem especificar a duração. A imprensa inglesa tem adiantado que o jogador vai assinar por cinco épocas, …

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …