Governo suspende transferência do Infarmed para o Porto

José Sena Goulão / Lusa

O ministro da Saúde considera que a decisão de suspender para já a deslocalização do Infarmed para o Porto “é coerente” com o que Governo tem afirmado e foi tomada tendo em conta a vontade dos trabalhadores da instituição.

Em resposta a críticas do CDS-PP, Adalberto Campos Fernandes disse esta sexta-feira na comissão parlamentar de Saúde que “há uma decisão coerente com o que foi dito na altura” em que o Governo anunciou a deslocalização da sede da Autoridade do Medicamento de Lisboa para o Porto e quando nomeou a comissão para estudar os cenários e impactos dessa deslocalização.

O ministro entende que o contexto político mudou, uma vez que foi constituída uma comissão na Assembleia da República para avaliar questões da descentralização de serviços públicos e entende que a questão do Infarmed não deve ser extraída dessa comissão, apesar de no caso da Autoridade do Medicamento se tratar de uma deslocalização.

No final da audição na comissão parlamentar, na qual fez o anúncio sobre o Infarmed em declarações à Lusa, Campos Fernandes reiterou que “sempre disse” que a decisão política de deslocalizar a sede da instituição estava subordinada a linhas vermelhas, sendo uma dessas linhas a vontade dos trabalhadores do Infarmed de mudarem.

Segundo o ministro, o Ministério da Saúde terminou este mês a análise ao relatório do grupo de trabalho criado para estudar os cenários da deslocalização do Infarmed e foi com base nesse relatório, em conjunto com o “atual contexto político”, que decidiu que a questão do Infarmed iria ser analisada para a comissão criada na Assembleia da República.

Para Campos Fernandes, a análise feita pelo grupo de trabalho sobre a manifestação da vontade dos trabalhadores, que não pretendiam mudar para o Porto, constitui uma “barreira” à deslocalização do Infarmed.

“É uma decisão tomada pelo ministro da Saúde tendo em conta o que resulta do relatório e tendo em conta o contexto político”, afirmou à agência Lusa.

“Isto resulta de um conjunto de fatores que nós ponderámos. O estudo que nos foi apresentado, com muita qualidade, aponta aspetos do ponto de vista estratégico e económico, mas deixa algumas dúvidas em aberto, nomeadamente sobre a questão operacional e dos trabalhadores. Sempre disse, desde o primeiro minuto, que estava subordinado a duas linhas vermelhas: não levantar nenhum tipo de dificuldades aos trabalhadores e que a operacionalidade não fosse comprometida”, insistiu.

Questionado pela agência Lusa sobre se a decisão já tinha sido comunicada à câmara municipal do Porto, o ministro disse que não o fez antes de anunciar aos deputados, tendo apenas comunicado a sua decisão previamente ao primeiro-ministro.

“Esta decisão é assumida pelo ministro da Saúde, tendo em conta o que resulta do relatório [da comissão] e do contexto que nós vivemos agora e do que sempre disse que seria uma barreira intransponível”, acrescentou em resposta à Lusa.

Ordem dos Médicos/Norte acusa ministro de não cumprir

Face à decisão, o Conselho Regional do Norte da Ordem dos Médicos acusou o ministro da Saúde de “afirmar coisas que no futuro não cumpre”.

“Mais uma vez o senhor ministro afirmou coisas que no futuro não cumpre, nem tem intenção de cumprir, e isto é algo de grave porque criou expectativas numa região e obrigou a mobilizar meios e estruturas de forma a realizarem estudos para verificarem que, realmente, era possível, exequível e interessante trazer o Infarmed para o Porto”, salientou o presidente do Conselho Regional.

Reagindo às declarações do ministro da Saúde aos deputados na Assembleia da República, António Araújo ver agora “com muita dificuldade a deslocalização de Lisboa para o Porto do Infarmed”, sustentou.

António Araújo referiu não estar “espantado” com as afirmações do ministro, porque é “habitual” o ministro “afirmar coisas que no futuro não cumpre”. O presidente sustentou que depois de se gastar tempo e dinheiro, Adalberto Campos Fernandes acabou por devolver o processo a uma comissão.

António Araújo entendeu que “não há motivo nenhum que justifique a não deslocalização de Lisboa para Porto”, a não ser “vontade política ou força política”.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Rangel: Maioria absoluta é possível, crise política improvável e acordos com o Chega para descartar

Candidato à liderança do PSD diz não ter "estados de alma" sobre os próximos passos de Rio. É da opinião que os portugueses não compreenderiam uma crise política no contexto atual, mas também considera que …

Salários em atraso no Boavista: alguns funcionários já deixaram o clube

Guarda-redes queixou-se mas não é o único jogador a não receber os últimos vencimentos, no Bessa. O Boavista estará a atravessar uma situação financeira delicada. Depois das dúvidas à volta do pagamento do relvado do Estádio …

Football Leaks. Autoridades francesas suspeitam que Rui Pinto também pirateou Paris Saint-Germain

As autoridades francesas suspeitam que Rui Pinto pode ter estado na origem do ataque informático ao clube de futebol Paris Saint-Germain (PSG), que resultou na divulgação de alguns documentos internos. Segundo noticia o Público, a investigação …

"É o melhor depois de Napoleão." Para Cassano, Ronaldo não está entre os cinco melhores da história

O antigo jogador italiano António Cassano não coloca Cristiano Ronaldo no top cinco, depois de Jorge Mendes ter considerado o avançado português "o melhor da história".  Antonio Cassano, o antigo jogador italiano de 39 anos, foi …

O ministro das Finanças, João Leão

"Contas certas" de dentro para fora. Promessa feita a Bruxelas, no esboço orçamental para 2022

O Governo enviou um rascunho do Orçamento do Estado à Comissão Europeia, no qual sublinha a importância das "contas certas". O discurso das "contas certas" repete-se dentro e fora. Esta segunda-feira, o Executivo entregou em Bruxelas …

Ricardo Salgado já admite ser condenado - mas pede pena suspensa

A defesa de Salgado requereu a suspensão do julgamento que decorre no âmbito da Operação Marquês, argumentando que o antigo banqueiro é inimputável por sofrer de Alzheimer. Se o pedido não for atendido, a …

O esqui recentemente encontrado na Noruega

Foi encontrado o "par de esquis mais bem preservado da pré-história"

Dois esquis da Idade do Ferro puderam finalmente "reencontrar-se", depois de 1300 anos separados, após a descoberta do segundo par numa montanha na Noruega. Tudo começou em 2014, quando o grupo de arqueologia glaciar Secrets of …

Sismo de grande dimensão atinge costa da Grécia

Um sismo atingiu a costa do Mediterrâneo esta manhã. Acredita-se que o epicentro esteja próximo da ilha grega de Rodes. Segundo o Expresso, o terramoto atingiu a ilha grega de Karpathos esta terça-feira, mas os tremores …

E depois do adeus? Medina vai voltar ao trabalho como economista, mas sempre atento

Carlos Moedas tomou posse esta segunda-feira e Fernando Medina despediu-se da liderança do município com "tristeza pessoal", mas com "sentimento de missão cumprida". O futuro traça-se no exercício da sua profissão de formação. Esta segunda-feira, Fernando …

Sentido de voto do PAN "está em aberto" e depende do Governo

O sentido de voto do PAN na proposta Orçamento do Estado para 2022 (OE2022) está em aberto. Tudo depende do Governo. A porta-voz do PAN – Pessoas-Animais-Natureza, Inês de Sousa Real disse esta segunda-feira “estar …