Governo e Everjets em guerra aberta

eu2018bg / Flickr

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, abriu uma “guerra” com a Everjets, a empresa responsável pela manutenção dos helicópteros Kamov, que pode colocar em causa a existência de meios aéreos operacionais para o combate aos fogos.

Eduardo Cabrita foi ao Parlamento esta quarta-feira revelar que a Everjets está “notificada para pagamento de penalidades por incumprimentos em 2017 e 2018 que ascendem a perto de quatro milhões de euros“, por não ter os três Kamov disponíveis.

O ministro da Administração Interna também referiu que a empresa responsável pelos Kamov foi notificada pela Autoridade Nacional de Aviação Civil, na passada quinta-feira, de que “não estava em condições de cumprir as obrigações contratuais relativamente à manutenção dessas aeronaves”. Cabrita deixou assim no ar a possibilidade de um eventual rompimento de contrato com a Everjets.

Na resposta, a Everjets acusa o ministro da Administração Interna de lesar o seu bom nome e reputação e nega ter sido notificada do pagamento dos tais quatro milhões de euros por incumprimentos.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Everjets diz que apenas recebeu até hoje uma “carta de intenção de aplicação de penalidade, no valor de 344.534 euros“, sobre a qual a empresa já se pronunciou.

A ANAC confirmou à TSF, na semana passada, que a Everjets teve os Kamov parados, “sem razão justificável”, durante 224 horas, desde o início do contrato com o Estado, o que implica multas por incumprimento na ordem dos 380 mil euros.

A Everjets assegura que o Estado português “não efectuou qualquer pedido reconvencional relativo a eventuais incumprimentos” da empresa referentes a 2017, garantindo ainda que cumpriu “com sucesso as suas obrigações contratuais sem que o Estado Português lhe tenha invocado ou imputado qualquer não cumprimento”.

A empresa alega também que em Outubro de 2017, manteve as aeronaves Kamov operacionais para combate ao fogo quando não estava previsto no contrato celebrado com o Estado. “Não fora tal cuidado da Everjets e, em 15 de Outubro de 2017, data dos maiores incêndios do ano passado, não estaria qualquer aeronave Kamov disponível para tais missões”, refere o comunicado.

Everjets deixa aviso ao Governo

Para a Everjets, as declarações do ministro da Administração Interna “são desprovidas de fundamento” e pretendem “desviar a atenção da imprensa para a decisão errónea do Estado de encerramento do hangar de Ponto de Sor e expulsão das equipas russas de manutenção”.

A empresa adianta que estas duas decisões do Estado – o pedido de indemnização e o encerramento do hangar – podem ter como consequência “a inoperatividade dos meios aéreos pesados para o próximo Verão”.

A Everjets diz que “aguarda assim que o Ministério da Administração Interna ponha fim às graves consequências decorrentes do encerramento das instalações onde se encontram os Kamov” e que proceda ao “cabal esclarecimento de todas as questões ora suscitadas, que põem em causa a sua reputação, marca e bom-nome”.

PS acusa empresas de meios aéreos de “cartelização”

No Parlamento, questionado pelos deputados da oposição, Eduardo Cabrita não conseguiu explicar como vai o Governo contratar os 28 meios aéreos que continuam a faltar para combater os incêndios deste ano, após o insucesso de dois concursos públicos lançados para esse efeito.

O PS acusou as empresas de meios aéreos de agirem numa “lógica de cartelização”, explicando assim o facto de terem surgido poucos propostas nesses concursos e pouco apelativas. O deputado socialista José Miguel Medeiros acusou estas empresas de “apresentaram valores deliberadamente acima” dos números do Governo, para boicotarem os concursos.

Independentemente das polémicas e dificuldades, Eduardo Cabrita garantiu aos deputados que “Portugal está mais preparado do que alguma vez esteve” para o combate aos incêndios. O ministro diz que haverá no terreno “meios como nunca existiram” e “disponíveis todo o ano”.

Eduardo Cabrita deixou várias perguntas dos deputados sem resposta, mas revelou no Parlamento que o SIRESP, o sistema de comunicações de emergência, teve “nove mil horas de indisponibilidade da rede” em 2017. “Daí tiremos sem demagogias as responsabilidades necessárias”, referiu.

O ministro também revelou que o estudo para que os meios aéreos de combate aos incêndios passem a ser coordenados pelas Forças Armadas está concluído. Agora só falta a aplicação da medida no terreno, o que ainda não vai acontecer este ano, disse.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Estarei parvo? 9 mil horas de indisponibilidade, em 2017? Feitas as contas – corresponde a 375 dias, o que excede o número de dias que 1 ano tem (365). Ou seja, o SIRESP esteve indisponível pelo menos um ano inteiro?! Este ministro está bem?

    • Não sei se estará parvo, ou se o ministro está bem, mas é perfeitamente possível que o SIRESP ter estado indisponível mais de 9.000 horas!!
      Basta entender como o sistema funciona, para perceber que o SIRESP, como é natural, NUNCA falha totalmente; falha em algumas zonas/estações e é a soma das horas de indisponibilidade dessas estações que dá as mais de 9.000 horas!
      Está melhor assim?

  2. Os meus parabéns a Eduardo Cabrita pela defesa dos interesses Nacionais. Pois se estavam contratados, não voaram, à que pedir a devolução do que receberam pelos HELICÓPTEROS parados.

  3. Esta guerrinha entre o Governo e a Everjets, são será a desculpa perfeita para responsabilizar a Everjets com o incêndios deste ano ?!

    • Não pá! É para evitar que a Everjet nos game mais peças (dinheiro!). Ou será que queres pagar mais impostos para repor aquilo que a Everjets nos “palmou”?
      De qualquer forma, essa teoria cai por terra. Basta ler o que diz no 14º parágrafo desta notícia: “Independentemente das polémicas e dificuldades, Eduardo Cabrita garantiu aos deputados que “Portugal está mais preparado do que alguma vez esteve” para o combate aos incêndios.” Será assim tão dificil entender o que está mesmo à sua frente? Ou será que o “clubismo” político o impede de ver?

  4. E muito bem!!
    Quanta mais “guerra” mais se vão descobrir as burlas da Everjects!
    Assim, vai ficar cada vez mais clara a “seriedade” da Everjects e o “excelente” negócio (vigarice!) que o Macedo fez com essa empresa mafiosa!
    Esta “guerra” peca por tardia, pois já se tinha percebido que essa empresa, além de estar a destruir os Kamov, está extorquir o Estado!

RESPONDER

Pentágono escolheu Microsoft para guardar os dados. Amazon contesta o contrato de 10 mil milhões de dólares

A Amazon anunciou esta sexta-feira que vai contestar a atribuição por parte do Pentágono de um contrato de armazenamento de dados 'online' (nuvem) no valor de 10 mil milhões de dólares à Microsoft. "Muitos aspetos do …

Queriam definir cidade à francesa, mas Marcelo não concordou e fez-se ouvir na Academia

A Academia Francesa apresentou, esta quinta-feira, ao Presidente português a nova definição da palavra cidade, mas Marcelo não esteve inteiramente de acordo, causando, segundo o próprio, um dos debates mais intensos dos mais de 350 …

Bolsonaro vai criar um partido "pobre, sem dinheiro, sem televisão". Quem for para lá, vai por amor

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, afirmou na quinta-feira que os parlamentares que o acompanharem na mudança para o Aliança pelo Brasil, o seu novo partido, apenas o farão por amor, já que terá poucos recursos …

"Solução razoável". Marcelo promulga já aumento do salário mínimo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai promulgar já esta sexta-feira o diploma que estabelece um aumento do salário mínimo nacional para 635 euros em 2020, que considera "uma solução razoável, a pensar …

Filósofo francês diz aos homens para violarem mulheres. "Eu violo a minha todas as noites"

O filósofo e escritor francês Alain Finkielkraut afimrou na quarta-feira, durante um programa da TF1 sobre casos de violação divulgados pelos media, que diz aos homens para violarem as suas mulheres. "Eu violo a minha …

Ex-administrador da TAP Luís Rodrigues é o novo presidente da SATA

O antigo administrador da TAP Luís Rodrigues é o novo presidente da transportadora aérea açoriana SATA, informou hoje o executivo regional. "O presidente do Governo [Regional], Vasco Cordeiro, comunicou à Assembleia Legislativa o nome de Luís …

Mãe que deixou recém-nascido no caixote do lixo não quis abortar

A jovem cabo-verdiana, em prisão preventiva por suspeitas de ter abandonado o seu filho recém-nascido no lixo, teve a oportunidade de abortar, mas não quis. O Supremo Tribunal de Justiça rejeitou, esta quinta-feira, o pedido de …

Face Oculta. MP pede 12 anos e 10 meses para Manuel Godinho

O Ministério Público (MP) defendeu esta sexta-feira a aplicação de uma pena única de 12 anos e 10 meses de prisão para o sucateiro Manuel Godinho, principal arguido do processo Face Oculta, durante a audiência …

Maioria acredita que Governo vai durar quatro anos

Uma sondagem da Aximage revela que a maioria das pessoas entrevistadas acredita que António Costa vai concluir a sua legislatura, mesmo com um Governo que consideram de "estrutura exagerada". Uma sondagem da Aximage para o Jornal …

Tecnologia usada em Marte ajuda a detectar fugas de água em Gaia

Um sistema "pioneiro em Portugal" que recorre a tecnologia usada em Marte, para detectar água, está a ser utilizada pela empresa municipal Águas de Gaia, em Vila Nova de Gaia, para detectar fugas no sistema …