Governo e Everjets em guerra aberta

eu2018bg / Flickr

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, abriu uma “guerra” com a Everjets, a empresa responsável pela manutenção dos helicópteros Kamov, que pode colocar em causa a existência de meios aéreos operacionais para o combate aos fogos.

Eduardo Cabrita foi ao Parlamento esta quarta-feira revelar que a Everjets está “notificada para pagamento de penalidades por incumprimentos em 2017 e 2018 que ascendem a perto de quatro milhões de euros“, por não ter os três Kamov disponíveis.

O ministro da Administração Interna também referiu que a empresa responsável pelos Kamov foi notificada pela Autoridade Nacional de Aviação Civil, na passada quinta-feira, de que “não estava em condições de cumprir as obrigações contratuais relativamente à manutenção dessas aeronaves”. Cabrita deixou assim no ar a possibilidade de um eventual rompimento de contrato com a Everjets.

Na resposta, a Everjets acusa o ministro da Administração Interna de lesar o seu bom nome e reputação e nega ter sido notificada do pagamento dos tais quatro milhões de euros por incumprimentos.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Everjets diz que apenas recebeu até hoje uma “carta de intenção de aplicação de penalidade, no valor de 344.534 euros“, sobre a qual a empresa já se pronunciou.

A ANAC confirmou à TSF, na semana passada, que a Everjets teve os Kamov parados, “sem razão justificável”, durante 224 horas, desde o início do contrato com o Estado, o que implica multas por incumprimento na ordem dos 380 mil euros.

A Everjets assegura que o Estado português “não efectuou qualquer pedido reconvencional relativo a eventuais incumprimentos” da empresa referentes a 2017, garantindo ainda que cumpriu “com sucesso as suas obrigações contratuais sem que o Estado Português lhe tenha invocado ou imputado qualquer não cumprimento”.

A empresa alega também que em Outubro de 2017, manteve as aeronaves Kamov operacionais para combate ao fogo quando não estava previsto no contrato celebrado com o Estado. “Não fora tal cuidado da Everjets e, em 15 de Outubro de 2017, data dos maiores incêndios do ano passado, não estaria qualquer aeronave Kamov disponível para tais missões”, refere o comunicado.

Everjets deixa aviso ao Governo

Para a Everjets, as declarações do ministro da Administração Interna “são desprovidas de fundamento” e pretendem “desviar a atenção da imprensa para a decisão errónea do Estado de encerramento do hangar de Ponto de Sor e expulsão das equipas russas de manutenção”.

A empresa adianta que estas duas decisões do Estado – o pedido de indemnização e o encerramento do hangar – podem ter como consequência “a inoperatividade dos meios aéreos pesados para o próximo Verão”.

A Everjets diz que “aguarda assim que o Ministério da Administração Interna ponha fim às graves consequências decorrentes do encerramento das instalações onde se encontram os Kamov” e que proceda ao “cabal esclarecimento de todas as questões ora suscitadas, que põem em causa a sua reputação, marca e bom-nome”.

PS acusa empresas de meios aéreos de “cartelização”

No Parlamento, questionado pelos deputados da oposição, Eduardo Cabrita não conseguiu explicar como vai o Governo contratar os 28 meios aéreos que continuam a faltar para combater os incêndios deste ano, após o insucesso de dois concursos públicos lançados para esse efeito.

O PS acusou as empresas de meios aéreos de agirem numa “lógica de cartelização”, explicando assim o facto de terem surgido poucos propostas nesses concursos e pouco apelativas. O deputado socialista José Miguel Medeiros acusou estas empresas de “apresentaram valores deliberadamente acima” dos números do Governo, para boicotarem os concursos.

Independentemente das polémicas e dificuldades, Eduardo Cabrita garantiu aos deputados que “Portugal está mais preparado do que alguma vez esteve” para o combate aos incêndios. O ministro diz que haverá no terreno “meios como nunca existiram” e “disponíveis todo o ano”.

Eduardo Cabrita deixou várias perguntas dos deputados sem resposta, mas revelou no Parlamento que o SIRESP, o sistema de comunicações de emergência, teve “nove mil horas de indisponibilidade da rede” em 2017. “Daí tiremos sem demagogias as responsabilidades necessárias”, referiu.

O ministro também revelou que o estudo para que os meios aéreos de combate aos incêndios passem a ser coordenados pelas Forças Armadas está concluído. Agora só falta a aplicação da medida no terreno, o que ainda não vai acontecer este ano, disse.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Estarei parvo? 9 mil horas de indisponibilidade, em 2017? Feitas as contas – corresponde a 375 dias, o que excede o número de dias que 1 ano tem (365). Ou seja, o SIRESP esteve indisponível pelo menos um ano inteiro?! Este ministro está bem?

    • Não sei se estará parvo, ou se o ministro está bem, mas é perfeitamente possível que o SIRESP ter estado indisponível mais de 9.000 horas!!
      Basta entender como o sistema funciona, para perceber que o SIRESP, como é natural, NUNCA falha totalmente; falha em algumas zonas/estações e é a soma das horas de indisponibilidade dessas estações que dá as mais de 9.000 horas!
      Está melhor assim?

  2. Os meus parabéns a Eduardo Cabrita pela defesa dos interesses Nacionais. Pois se estavam contratados, não voaram, à que pedir a devolução do que receberam pelos HELICÓPTEROS parados.

  3. Esta guerrinha entre o Governo e a Everjets, são será a desculpa perfeita para responsabilizar a Everjets com o incêndios deste ano ?!

    • Não pá! É para evitar que a Everjet nos game mais peças (dinheiro!). Ou será que queres pagar mais impostos para repor aquilo que a Everjets nos “palmou”?
      De qualquer forma, essa teoria cai por terra. Basta ler o que diz no 14º parágrafo desta notícia: “Independentemente das polémicas e dificuldades, Eduardo Cabrita garantiu aos deputados que “Portugal está mais preparado do que alguma vez esteve” para o combate aos incêndios.” Será assim tão dificil entender o que está mesmo à sua frente? Ou será que o “clubismo” político o impede de ver?

  4. E muito bem!!
    Quanta mais “guerra” mais se vão descobrir as burlas da Everjects!
    Assim, vai ficar cada vez mais clara a “seriedade” da Everjects e o “excelente” negócio (vigarice!) que o Macedo fez com essa empresa mafiosa!
    Esta “guerra” peca por tardia, pois já se tinha percebido que essa empresa, além de estar a destruir os Kamov, está extorquir o Estado!

RESPONDER

Suspensas marchas populares em Lisboa

As marchas populares em Lisboa, que decorrem em junho, foram suspensas "tendo em conta o atual contexto pandémico e devido às restrições de saúde pública que ainda se mantêm", anunciou esta quinta-feira a Câmara Municipal …

CDS-PP quer manter corridas de touros na RTP e contrariar a “política de gosto”

A bancada parlamentar do CDS-PP questionou hoje o Governo sobre o eventual fim das transmissões televisivas de corridas de touros nos canais públicos da RTP, mostrando-se contra a “tutela política” a ditar “uma política de …

Cabeceiras de Basto recua no desconfinamento. Quatro concelhos podem agora avançar

A ministra Mariana Vieira da Silva apresentou um quadro geral da situação em Portugal e revela que há um concelho que vai recuar no desconfinamento: Cabeceiras de Basto. A ministra de Estado e da Presidência acrescentou …

Aeroporto no Montijo pode levar à perda das principais áreas de alimentação das aves migratórias

Caso o Montijo venha mesmo a receber um novo aeroporto, poderá levar à perda de até 30% das principais áreas de alimentação das aves migratórias que passam o Inverno no estuário do Tejo. A conclusão está …

Príncipe de Liechtenstein acusado de matar Arthur, o maior urso da Roménia

Grupos ambientalistas acusaram um príncipe da família real de Liechtenstein de matar o maior urso da Roménia, violando a proibição da caça de grandes carnívoros. Em comunicado citado pelo jornal britânico The Guardian, a ONG romena …

França e Reino Unido mobilizam navios para Jersey e aumentam a tensão no Canal da Mancha

A Marinha francesa respondeu esta quinta-feira ao envio de dois navios-patrulha britânicos para Jersey, na véspera, e mobilizou as suas próprias embarcações militares para as imediações da ilha, contribuindo, dessa forma, para o aumento da …

Governo aprova a criação da tarifa social de internet. Preço ainda vai ser definido

O Governo aprovou esta quinta-feira, em Conselho de Ministros, a criação de uma tarifa social de acesso a serviços de internet em banda larga, conhecida como tarifa social de internet, anunciou o ministro de Estado …

Cerca sanitária em Odemira diminuiu casos para menos de metade, garante Governo

O ministro da Administração Interna salientou hoje que a cerca sanitária em Longueira-Almograve e São Teotónio permitiu baixar os casos de infeção por covid-19 em Odemira para menos de metade e acusou a direita de …

Joshua Wong condenado a mais dez meses de prisão por participar em vigília que lembrava "massacre de Tiananmen"

O ativista de Hong Kong Joshua Wong foi condenado a dez meses de prisão por participar em 4 de junho de 2020 numa vigília para lembrar o chamado "massacre de Tiananmen", que Pequim não reconhece. A …

Um polícia morto e vários feridos em tiroteio durante operação no Rio de Janeiro

Um polícia morreu e várias outras pessoas ficaram feridas num tiroteio esta quinta-feira durante uma operação da polícia contra o tráfico de droga na comunidade de Jacarezinho, no Rio de Janeiro, Brasil, noticiou a imprensa. Segundo …