Governo e Everjets em guerra aberta

eu2018bg / Flickr

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, abriu uma “guerra” com a Everjets, a empresa responsável pela manutenção dos helicópteros Kamov, que pode colocar em causa a existência de meios aéreos operacionais para o combate aos fogos.

Eduardo Cabrita foi ao Parlamento esta quarta-feira revelar que a Everjets está “notificada para pagamento de penalidades por incumprimentos em 2017 e 2018 que ascendem a perto de quatro milhões de euros“, por não ter os três Kamov disponíveis.

O ministro da Administração Interna também referiu que a empresa responsável pelos Kamov foi notificada pela Autoridade Nacional de Aviação Civil, na passada quinta-feira, de que “não estava em condições de cumprir as obrigações contratuais relativamente à manutenção dessas aeronaves”. Cabrita deixou assim no ar a possibilidade de um eventual rompimento de contrato com a Everjets.

Na resposta, a Everjets acusa o ministro da Administração Interna de lesar o seu bom nome e reputação e nega ter sido notificada do pagamento dos tais quatro milhões de euros por incumprimentos.

Num comunicado enviado à agência Lusa, a Everjets diz que apenas recebeu até hoje uma “carta de intenção de aplicação de penalidade, no valor de 344.534 euros“, sobre a qual a empresa já se pronunciou.

A ANAC confirmou à TSF, na semana passada, que a Everjets teve os Kamov parados, “sem razão justificável”, durante 224 horas, desde o início do contrato com o Estado, o que implica multas por incumprimento na ordem dos 380 mil euros.

A Everjets assegura que o Estado português “não efectuou qualquer pedido reconvencional relativo a eventuais incumprimentos” da empresa referentes a 2017, garantindo ainda que cumpriu “com sucesso as suas obrigações contratuais sem que o Estado Português lhe tenha invocado ou imputado qualquer não cumprimento”.

A empresa alega também que em Outubro de 2017, manteve as aeronaves Kamov operacionais para combate ao fogo quando não estava previsto no contrato celebrado com o Estado. “Não fora tal cuidado da Everjets e, em 15 de Outubro de 2017, data dos maiores incêndios do ano passado, não estaria qualquer aeronave Kamov disponível para tais missões”, refere o comunicado.

Everjets deixa aviso ao Governo

Para a Everjets, as declarações do ministro da Administração Interna “são desprovidas de fundamento” e pretendem “desviar a atenção da imprensa para a decisão errónea do Estado de encerramento do hangar de Ponto de Sor e expulsão das equipas russas de manutenção”.

A empresa adianta que estas duas decisões do Estado – o pedido de indemnização e o encerramento do hangar – podem ter como consequência “a inoperatividade dos meios aéreos pesados para o próximo Verão”.

A Everjets diz que “aguarda assim que o Ministério da Administração Interna ponha fim às graves consequências decorrentes do encerramento das instalações onde se encontram os Kamov” e que proceda ao “cabal esclarecimento de todas as questões ora suscitadas, que põem em causa a sua reputação, marca e bom-nome”.

PS acusa empresas de meios aéreos de “cartelização”

No Parlamento, questionado pelos deputados da oposição, Eduardo Cabrita não conseguiu explicar como vai o Governo contratar os 28 meios aéreos que continuam a faltar para combater os incêndios deste ano, após o insucesso de dois concursos públicos lançados para esse efeito.

O PS acusou as empresas de meios aéreos de agirem numa “lógica de cartelização”, explicando assim o facto de terem surgido poucos propostas nesses concursos e pouco apelativas. O deputado socialista José Miguel Medeiros acusou estas empresas de “apresentaram valores deliberadamente acima” dos números do Governo, para boicotarem os concursos.

Independentemente das polémicas e dificuldades, Eduardo Cabrita garantiu aos deputados que “Portugal está mais preparado do que alguma vez esteve” para o combate aos incêndios. O ministro diz que haverá no terreno “meios como nunca existiram” e “disponíveis todo o ano”.

Eduardo Cabrita deixou várias perguntas dos deputados sem resposta, mas revelou no Parlamento que o SIRESP, o sistema de comunicações de emergência, teve “nove mil horas de indisponibilidade da rede” em 2017. “Daí tiremos sem demagogias as responsabilidades necessárias”, referiu.

O ministro também revelou que o estudo para que os meios aéreos de combate aos incêndios passem a ser coordenados pelas Forças Armadas está concluído. Agora só falta a aplicação da medida no terreno, o que ainda não vai acontecer este ano, disse.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Estarei parvo? 9 mil horas de indisponibilidade, em 2017? Feitas as contas – corresponde a 375 dias, o que excede o número de dias que 1 ano tem (365). Ou seja, o SIRESP esteve indisponível pelo menos um ano inteiro?! Este ministro está bem?

    • Não sei se estará parvo, ou se o ministro está bem, mas é perfeitamente possível que o SIRESP ter estado indisponível mais de 9.000 horas!!
      Basta entender como o sistema funciona, para perceber que o SIRESP, como é natural, NUNCA falha totalmente; falha em algumas zonas/estações e é a soma das horas de indisponibilidade dessas estações que dá as mais de 9.000 horas!
      Está melhor assim?

  2. Os meus parabéns a Eduardo Cabrita pela defesa dos interesses Nacionais. Pois se estavam contratados, não voaram, à que pedir a devolução do que receberam pelos HELICÓPTEROS parados.

  3. Esta guerrinha entre o Governo e a Everjets, são será a desculpa perfeita para responsabilizar a Everjets com o incêndios deste ano ?!

    • Não pá! É para evitar que a Everjet nos game mais peças (dinheiro!). Ou será que queres pagar mais impostos para repor aquilo que a Everjets nos “palmou”?
      De qualquer forma, essa teoria cai por terra. Basta ler o que diz no 14º parágrafo desta notícia: “Independentemente das polémicas e dificuldades, Eduardo Cabrita garantiu aos deputados que “Portugal está mais preparado do que alguma vez esteve” para o combate aos incêndios.” Será assim tão dificil entender o que está mesmo à sua frente? Ou será que o “clubismo” político o impede de ver?

  4. E muito bem!!
    Quanta mais “guerra” mais se vão descobrir as burlas da Everjects!
    Assim, vai ficar cada vez mais clara a “seriedade” da Everjects e o “excelente” negócio (vigarice!) que o Macedo fez com essa empresa mafiosa!
    Esta “guerra” peca por tardia, pois já se tinha percebido que essa empresa, além de estar a destruir os Kamov, está extorquir o Estado!

RESPONDER

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …

Gruta em Setúbal mostra que os Neandertais também eram pescadores

Cientistas encontraram restos de alimentos numa gruta, no distrito de Setúbal, que comprovam que os Neandertais também se alimentavam de espécies marinhas. De acordo com o jornal espanhol ABC, restos encontrados por uma equipa de arqueólogos …

Associação alerta para riscos da mudança da hora em tempos de confinamento

O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono advertiu hoje que os efeitos potencialmente adversos causados pela mudança da hora podem acentuar-se devido ao confinamento obrigatório das pessoas na sequência da pandemia …

Governo português legaliza estrangeiros ilegais. "A prioridade é a defesa da saúde"

O Governo português decidiu regularizar os estrangeiros com pedidos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, medida em vigor desde a declaração do estado de emergência, no dia 19, e que lhes garante os mesmos …