Governo admite impedir condutores de usar telemóvel, mas não diz como nem quando

eu2018bg / Flickr

O Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita

O Ministério da Administração Interna pondera usar helicópteros da Proteção Civil, drones e inibidores de sinal para fazer o controlo de velocidade nas estradas portuguesas. No entanto, não esclarece como irá pôr em prática este modelo.

José Artur Neves, secretário de Estado da proteção Civil admitiu, na semana passada, a possibilidade de virem a ser usados helicópteros da Proteção Civil ou drones para fazer o controlo de velocidade nas estradas portuguesas, admitindo também a instalação de mais radares, assim como a inibição do sinal de telemóvel ao volante.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse que tudo está ainda em fase de estudo e que o Governo está de “espírito aberto” para acolher sugestões.

Segundo o Observador, o ministério da Administração Interna não respondeu a uma série de perguntas do jornal sobre este assunto, limitando-se a dizer que são ideias a ter em conta no futuro. “É uma possibilidade que existe em alguns países e que Portugal vai estudar e seguir com muita atenção”, disse fonte oficial do ministério.

“Queremos trazer o conhecimento e trazer a melhor experiência técnica, académica e científica para as soluções que são necessárias implementar”, sublinhou. No entanto, contactadas pelo Observador, as várias operadoras preferiram não reagir oficialmente, mas garantiram que ninguém no Governo as contactou nesse sentido.

“Nem sequer fomos contactados pelo Governo. Acho, honestamente, que foi um palpite do secretário de Estado, que não sabia muito bem o que estava a dizer”, referiu a responsável.

No entender de uma responsável de uma operadora de telecomunicações móveis, adotar esta tecnologia obrigaria a um investimento tecnológico “inquantificável”, afirmando ser “quase impossível imaginar uma solução dessa natureza”.

Luís Manuel Ribeiro, professor no Instituto Superior Técnico de Lisboa, no Departamento de Engenharia Eletrónica e de Computadores, concorda e diz “não perceber o alcance” das palavras do secretário de Estado. “Não conheço, neste momento, tecnologia que seja capaz de responder às questões levantadas pelo secretário de Estado”, diz ao Observador.

“Uma solução dessas podia existir, se o carro tivesse inibidores de sinal incorporados, ativados por sensores de velocidade. Mas seriam extensíveis a todos, condutor e passageiros. Não conheço qualquer solução que funcionasse apenas para o condutor e fosse proativa, ou seja, não dependesse exclusivamente da ação do condutor”, nota.

Os inibidores de sinal, quando são ativados, interferem na transmissão do sinal dos telemóveis num determinado raio de influência e são usados, por exemplo, para proteger altas figuras do Estado em deslocações oficiais.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ventura admite que “vitória não foi total” ao falhar objetivo de ficar em terceiro

O líder do Chega admitiu hoje que a “vitória não foi total” nas autárquicas de domingo, ao falhar o objetivo de ser a terceira força política, mas defendeu que se “fez história” em Portugal, recusando …

Liveblog Autárquicas. Carlos Moedas ganha Lisboa

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Medina assume derrota em Lisboa. "É uma indiscutível vitória de Carlos Moedas"

Fernando Medina acaba de assumir a derrota nas eleições autárquicas, felicitando Carlos Moedas pela vitória na Câmara de Lisboa. "É uma indiscutível vitória pessoal e política de Carlos Moedas", sublinha Medina. "Foi um privilégio servir esta …

Contra a "vigarice" das sondagens, "o PSD teve um excelente resultado"

O PSD conseguiu todos os objectivos a que se propôs nestas eleições autárquicas, segundo Rui Rio. O presidente do PSD considera que o partido teve "um excelente resultado" contra a "vigarice" das sondagens e "contra …

Costa: "PS continua a ser o maior partido autárquico nacional"

António Costa canta vitória nas eleições autárquicas, apesar de ainda não se conhecerem os resultados finais de Lisboa, Sintra e Loures. Para o secretário-geral socialista, não há dúvida de que o "PS continua a ser …

O "primeiro amarelo" para Costa e o "CDS superou todos os objectivos"

"O CDS superou todos os objectivos a que se propôs nestas autárquicas". É assim que Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP, canta vitória, considerando que António Costa "viu o seu primeiro cartão amarelo". Na reacção …

Pegadas provam que as Américas foram povoadas milhares de anos antes do que pensávamos

Investigadores descobriram evidências da presença de humanos nas Américas: pegadas com, pelo menos, cerca de 23.000 anos. A nossa espécie começou a migrar para fora de África há cerca de 100.000 anos. Além da Antártida, as …

Jerónimo assume que CDU ficou "aquém", mas não é "determinante para a política nacional"

Jerónimo de Sousa reconhece que os resultados da CDU, nas eleições autárquicas, ficaram "aquém" dos objectivos, mas alerta que não são "determinantes para a política nacional" e rejeita a hipótese de deixar a liderança do …

Geringonça à direita... ou à esquerda? Com Moedas e Medina taco a taco, IL e Bloco entram em jogo

Freguesia a freguesia, eis como Fernando Medina e Carlos Moedas estão a disputar a eleição para a Câmara de Lisboa. As sondagens dão um empate técnico e a Iniciativa Liberal já manifestou que está disponível …

Autárquicas: PS reivindica vitória e acredita que ganha em Lisboa

O secretário-geral adjunto do PS reivindicou hoje vitória do seu partido nas eleições autárquicas, dizendo que irá vencer em número de câmaras e de freguesias, e manifestou-se confiante no quinto triunfo consecutivo em Lisboa. Esta posição …