/

“O futuro é liberal”, mas o presente nem tanto. O balanço da estreia da IL nas autárquicas

Tiago Petinga / Lusa

O presidente da Iniciativa Liberal (IL), João Cotrim de Figueiredo.

A Iniciativa Liberal conseguiu apenas um vereador no Porto. Apesar da presença entre assembleias municipais e juntas de freguesia, falhou a conquista de autarquias.

Numa estreia absoluta em eleições autárquicas, a Iniciativa Liberal ficou aquém das suas modestas expectativas. O partido queria ultrapassar o resultado do Bloco de Esquerda em 2001 e conseguir “vereadores e deputados municipais”.

A concorrer a 53 concelhos, onde 46 eram candidaturas próprias, os liberais conseguiram apenas um vereador no Porto — que já o era ainda antes de ser liberal, realça o Observador.

Em Lisboa, enquanto as sondagens apontavam para um empate entre Fernando Medina e Carlos Moedas, o porta-voz da Iniciativa Liberal, Rodrigo Saraiva, veio dizer que o partido estava disponível para dar uma mão a Moedas, abrindo a porta a uma possível geringonça de direita em Lisboa.

No entanto, a Iniciativa Liberal não conseguiu eleger Bruno Horta Soares e ficou de fora das contas na capital portuguesa. Contados os votos, a vitória acabou por ser mesmo de Carlos Moedas.

Falhado o objetivo de ter alguém em Lisboa, o partido tem de se contentar com a eleição de Ricardo Valente no Porto, após a vitória de Rui Moreira. Hervé Marrinhas, que ocupava o nono lugar da lista de Moreira, ficou naturalmente de fora. O autarca portuense apenas conseguiu seis lugares.

Em 2001 o BE concorria a 70 concelhos e conquistava 61.789 votos dos portugueses, ou seja, 1,18% dos votos, recapitula o Observador. Por sua vez, a IL teve 63.870 votos, ou seja, 1,29% dos votos nos 53 concelhos a que se candidatou. Os resultados são semelhantes, mas os liberais levam uma ligeira vantagem.

Há 20 anos, o Bloco conquistou logo uma autarquia, Salvaterra de Magos. Contudo, Ana Cristina Ribeiro, que recebeu o apoio bloquista, já ocupava o lugar, anteriormente eleita pelo PCP.

“Que fique claro a Iniciativa Liberal não ganhou estas eleições, mas ganhou o futuro. O futuro é liberal, eu já tinha essa convicção, o que vocês fizeram nesta campanha e os resultados que hoje apresentamos dão-nos essa certeza. Pela adesão da juventude, pela adesão das camadas mais dinâmicas da nossa população, eu tenho a certeza que o futuro será liberal. Esse futuro começa já esta segunda-feira. Vamos preparar o partido para as próximas batalhas”, disse Cotrim Figueiredo no seu discurso.

“A partir de amanhã teremos autarcas liberais eleitos em Odemira, em Oeiras, Faro, Póvoa de Varzim, Ponta Delgada, São Vicente (Madeira), Lisboa, Odivelas, Porto, Pombal, Guimarães, Cascais, Batalha, Santa Maria da Feira e Gondomar”, acrescentou.

Além de Ricardo Valente, os restantes mandatos conseguidos pela Iniciativa Liberal distribuem-se entre assembleias municipais e juntas de freguesia. Tiago Mayan Gonçalves foi eleito presidente da União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.