Ferro Rodrigues está “perfeitamente de acordo” com Marcelo sobre enriquecimento ilícito

Tiago Petinga / Lusa

O Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues

O presidente da Assembleia da República (AR) concorda com o Presidente quanto à urgência de melhorar a lei contra o enriquecimento ilícito e diz que isso pode ser feito sem pôr em causa princípios constitucionais.

Numa entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Eduardo Ferro Rodrigues defende que a lei que existe pode ser melhorada e que tal é possível sem colocar em causa os princípios da presunção da inocência e da inversão do ónus da prova.

O presidente da AR diz também que a proposta da Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) sobre o assunto “é perfeitamente complementar” e pode melhorar a verdadeira ação contra o que apelida de “vigarices”.

“Com o que o senhor Presidente da República diz sobre essa matéria eu estou perfeitamente de acordo. Há condições para melhorar e fazer leis mais ativas e mais capazes de acabar com todas as vigarices em todos os planos da vida pública e que isso pode ser feito sem pôr em causa os princípios constitucionais da presunção da inocência e da inversão do ónus da prova.

“Com a atual lei já é obrigatório que os titulares de cargos que referi [deputados, membros do Governo, autarcas juízes e procuradores] façam as declarações de rendimento e património. Acontece que há uma Entidade da Transparência que ainda não foi instalada e que depende do Tribunal Constitucional”, afirma Ferro Rodrigues, acrescentando que “não faz sentido” esta entidade não ter sido ainda instalada.

Contudo, o presidente do Parlamento sublinha o relatório do grupo internacional que estuda a evolução da corrupção nos diversos países (Greco), que considera positiva a evolução de Portugal no que diz respeito ao cumprimento das recomendações sobre o tema da prevenção da corrupção.

“O que quer dizer que há quem, sem querer, faça o jogo de todos os populismos, sobretudo os do nacionalismo de extrema-direita, ao estar a gritar ‘corrupção, corrupção, corrupção’ quando os organismos internacionais que fiscalizam o Estado e o funcionamento da sociedade portuguesa não provam nada disso“, afirma.

Sobre as declarações do presidente da Câmara de Lisboa, que afirmou que o comportamento do antigo primeiro-ministro José Sócrates corrói o sistema democrático, Ferro Rodrigues recusa comentar, diz que não é comentador político e que seria “impróprio” que o presidente da AR se manifestasse “fosse a que nível fosse” sobre um processo que ainda está a decorrer.

“Mesmo em termos políticos ou morais, só me pronunciarei quando ele tiver transitado em julgado”, afirma.

Ferro Rodrigues diz ainda que a atitude do primeiro-ministro sobre este assunto “foi uma atitude de defesa do PS, como lhe competia”.

Sobre o próximo Orçamento do Estado, Ferro Rodrigues defende que o Governo deve ser “mais pró-ativo” a negociar com os partidos de esquerda, mas também a dialogar com o PSD e que quem tiver responsabilidade por qualquer crise política “vai pagar severamente nas urnas”.

“Quem tiver responsabilidade por uma crise política vai pagar severamente nas urnas essa responsabilidade. O país está numa situação muito grave, não só por causa da pandemia, mas devido à crise económica. Estamos a viver um período em que o que era desejável era que a base de apoio das decisões fosse mais alargada e não menos alargada”, afirmou.

O presidente da AR defende igualmente que a pandemia “devia ter levado os partidos a entenderem-se mais” e a “terem uma base mais forte de convergência”, dizendo ainda que “quanto mais cedo se desdramatizar a viabilidade do próximo Orçamento melhor para o país”.

“Conviver com a pandemia, a crise económica, a crise social e um ponto de interrogação sobre como vai passar o próximo Orçamento seria uma coisa de evitar o mais cedo possível”, afirma.

Sobre o comportamento dos diversos grupos parlamentares nas negociações e votações do Orçamento do Estado, Ferro afirma: “Há sempre uma coisa que é perigosa: um ou dois grupos parlamentares votarem de determinada maneira porque estão convencidos de que outro grupo parlamentar impedirá uma crise grave de governação”.

E isso é um jogo perigoso. É um jogo em que às vezes se erra e pode conduzir a uma situação grave para o país e para a democracia nesta fase”, insiste.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Argentina cria documento de identidade para pessoas não binárias

O Presidente da Argentina anunciou, esta semana, que o país tem um novo documento de identidade para incluir pessoas não binárias. É o primeiro país da América Latina a fazê-lo. De acordo com o chefe de …

Costa diz que Portugal vai ter "o dobro" de fundos comunitários para investir

O primeiro-ministro afirmou, este sábado, que Portugal vai contar, nos próximos sete anos, com "o dobro" de fundos comunitários para investimento, considerando que esta "é uma oportunidade única" que não pode ser desperdiçada. "Vamos ter a …

Chinesa morre após salvar a filha de deslizamento de terra. Bebé esteve 24 horas nos escombros

Uma mulher morreu após salvar o seu bebé quando um deslizamento de terra e uma forte inundação atingiram a sua casa na China, revelam as equipas de resgate. Como noticia a BBC, a bebé foi resgatada …

Caso Ihor. IGAI pede expulsão do ex-diretor de fronteiras do SEF

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou ao ministro Eduardo Cabrita o relatório final do processo disciplinar contra o inspetor coordenador do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) António Sérgio Henriques, que propõe a …

Chuvas torrenciais fazem mais de uma centena de mortos na Índia

Pelo menos 136 pessoas morreram na Índia, em consequência de chuvas torrenciais que assolaram o país e causaram fortes enchentes e deslizamentos de terra, enterrando casas e submergindo ruas. Numa altura em que as alterações climáticas …

China inaugurou o comboio mais rápido do mundo

O comboio-bala maglev, que pode atingir uma velocidade de 600 quilómetros por hora, fez a sua estreia em Qingdao, na China, esta semana. Tal como conta a cadeia televisiva CNN, este comboio-bala maglev foi desenvolvido pela …

Quatro portugueses detidos em Espanha por alegada violação de duas mulheres

A polícia espanhola anunciou, este sábado, ter detido quatro cidadãos portugueses por suposta violação múltipla e abusos sexuais a duas mulheres de 22 e 23 anos, numa pensão em Gijón, no norte do país. Segundo a …

Stonehenge pode perder estatuto de património mundial da UNESCO

Depois de Liverpool, também Stonehenge pode perder o estatuto de património mundial da UNESCO. O aviso surge após o secretário dos transportes, Grant Shapps, ter dado luz verde aos planos de construção de um túnel …

Mais 20 mortes e 3396 casos de covid-19. Não havia tantos óbitos desde março

Portugal registou, este sábado, mais 20 mortes e 3396 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3396 novos …

"Integral confiança". Chega segura militantes acusados de agredir homossexual

O Chega anunciou, esta sexta-feira, que mantém "integral confiança" nos candidatos e estruturas local e distrital de Viseu, referindo que só se pronunciará sobre alegadas agressões de motivação homofóbica naquela cidade depois de apurados os …