Após 53 mil páginas de provas, a fase de instrução da Operação Marquês arranca esta segunda-feira

Fernando Veludo / Lusa

Passados quase cinco anos da detenção de José Sócrates, a fase de instrução do processo Operação Marquês vai arrancar esta segunda-feira no Tribunal Central de Instrução Criminal, em Lisboa, sob a direção do juiz Ivo Rosa.

O processo – que tem mais 53 mil páginas de papel – envolve vários ex-governantes. A investigação da Operação Marquês envolveu mais de duas centenas de buscas, foram ouvidas mais de duas centenas de testemunhas e recolhidos dados bancários sobre 500 contas, em Portugal e no estrangeiro. Foram ainda autorizadas e transcritas 2.600 escutas e enviadas nove cartas rogatórias para vários países, entre eles Suíça e Angola.

A fase processual facultativa que se inicia esta segunda-feira funciona como um mecanismo de controlo jurisdicional da acusação do MP e termina com a decisão do juiz de levar ou não a julgamento os arguidos, de acordo com o Expresso.

A instrução foi requerida por 19 arguidos, entre os quais o ex-primeiro-ministro José Sócrates, o ex-ministro Armando Vara, os ex-administradores da PT Henrique Granadeiro e Zeinal Bava e o empresário Carlos Santos Silva.

José Sócrates, acusado de 31 crimes, pede que o processo seja encerrado sustentando de forma genérica que “não cometeu qualquer crime”. Mas opta por não discutir, em concreto, qualquer um dos factos que lhe são imputados.

Por sorteio eletrónico, calhou ao juiz Ivo Rosa dirigir esta fase processual. Ivo Rosa já marcou diligências até maio, sempre nas tardes dos últimos três dias de cada mês, prevendo-se que a decisão final seja conhecida perto do final do ano, dado o número de diligências e o número de testemunhas e de arguidos que querem depor.

Esta segunda-feira a primeira arguida a falar é Bárbara Vara, filha de Armando Vara, que está acusada de branqueamento de capitais. José Sócrates, que esteve preso preventivamente e em prisão domiciliária e está acusado de 31 crimes económico-financeiros, pediu para depor nesta fase processual.

Entre os 28 arguidos estão Carlos Santos Silva, Henrique Granadeiro, Zeinal Bava, Armando Vara, Joaquim Barroca, Helder Bataglia, Rui Mão de Ferro e Gonçalo Ferreira, empresas do grupo Lena e a sociedade Vale do Lobo Resorts Turísticos de Luxo.

Segundo o Jornal de Notícias, a estratégia de defesa passará por levantar questões e nulidades com o objetivo de tornar inválida parte ou mesmo a totalidade do processo.

Outro dos temas será também a forma como as provas foram recolhidas. Os advogados de Carlos Santos Silva já afirmaram no passado que muitas das evidências foram recolhidas à margem da lei, sem controlo judicial.

“O arguido descobriu pela consulta dos autos ter sido investigado durante mais de uma década em processos administrativos que devassaram por completo a sua vida pessoal, societária e financeira, fazendo tábua rasa das exigências legais prescritas no Código de Processo Penal para a derrogação do sigilo fiscal e bancário”, afirma a defesa.

Os advogados de Santos Silva insistem que o inquérito devia ter sido aberto em março de 2012, quando havia notícia de um crime.

Crítico da atuação do MP é o antigo líder da Portugal Telecom, Henrique Granadeiro, que se queixa de ter sido confrontado, em fevereiro de 2017, com informação bancária da Suíça que só chegou ao processo meses mais tarde e diz não compreender como é que esses dados chegaram ao conhecimento dos investigadores.

Granadeiro diz que o MP violou as condições impostas pelas autoridades suíças para enviarem as informações e, por isso, os dados constituem um meio proibido de prova, logo são inválidos.

Já a defesa do fundador do Grupo Lena, Joaquim Barroca, opta por analisar se os factos descritos na acusação preenchem os requisitos dos crimes imputados. Está acusado por um crime de corrupção de titular de cargo político, que envolve José Sócrates, por este alegadamente ter favorecido o Grupo Lena através de diplomacia económica junto de líderes estrangeiros sobre quem tinha influência.

Mas os advogados do empresário notam que “as decisões tomadas em países estrangeiros, relativas a negócios contratados por esses mesmos países, extravasam o conteúdo funcional do cargo de primeiro-ministro de Portugal”, não constituindo, por isso, o crime imputado a Barroca.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Conceição queixou-se das condições, mas a realidade é bem diferente

No fim do jogo da final da Taça da Liga, Sérgio Conceição desabafou sobre as condições em que trabalha. No entanto, a realidade mostra algo bem diferente daquilo que o treinador dá a entender. Após a …

Estado Islâmico elege Israel como "alvo específico" da sua luta

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) afirmou na segunda-feira, através de uma mensagem áudio, pretender desencadear uma "nova fase" da sua 'jihad', ao eleger Israel como alvo específico. O apelo foi emitido quando o Presidente norte-americano …

Francisco Rodrigues dos Santos: "No CDS não existem Joacines"

O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje ter uma "confiança inabalável em todos os deputados" que representam o partido na Assembleia da República, e remeteu para mais tarde a questão da liderança …

Cada vez mais freiras sofrem de burnout no Vaticano

Há cada vez mais freiras a sofrerem de burnout no Vaticano. Várias irmãs denunciaram excesso de trabalho, stress, exploração laboral e abusos por parte dos superiores. Sem contrato de trabalho ou horários definidos, muitas freiras que …

"Foi uma cena de acidente devastadora". Helicóptero que matou Kobe Bryant não tinha caixa negra

As circunstâncias do acidente que provocou a morte de Kobe Bryant, da filha do ex-basquetebolista da NBA e de mais quatro pessoas, continuam a ser investigadas. Sabe-se, agora, que o helicóptero onde seguiam as vítimas …

EUA apresentam plano de paz para o Médio Oriente já condenado pela Palestina

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, apresenta esta terça-feira o seu plano de paz para o Médio Oriente, após reuniões com líderes israelitas, que poderá estar condenado ao fracasso, perante a rejeição dos …

Vacina chinesa para o coronavírus pode começar a ser testada em menos de 40 dias

A equipa chinesa que trabalha no desenvolvimento de uma vacina para combater o coronavírus de Wuhan disse que espera poder começar os testes em menos de 40 dias, informou a agência estatal Xinhua. Pelo menos 106 …

Netanyahu anuncia retirada da sua imunidade parlamentar

Benjamin Netanyahu retirou o pedido de imunidade ao Parlamento israelita contras as três acusações de que foi alvo em novembro, que envolvem casos de corrupção, fraude e abuso de confiança. O primeiro-ministro de Israel disse, em …

Vitória já tem proposta por Tapsoba (e pode fazer encaixe histórico)

O Vitória de Guimarães recebeu uma proposta por Edmond Tapsoba que pode levar os vimaranenses a abrir mão do jogador. Sabe-se que a proposta recebida ronda os 20 milhões de euros. A notícia avançada esta terça-feira …

Livre exige que património das ex-colónias em museus portugueses seja devolvido

O Livre quer que todo o património das ex-colónias, presente em território português, possa ser restituído pelos países de origem de forma a “descolonizar” museus e monumentos estatais. O partido da papoila quer que o património …