Funcionários públicos sem acesso à pré-reforma por falta de informação

José Sena Goulão / Lusa

A falta de informação está a dificultar o processo para os funcionários públicos acederem à pré-reforma na função pública.

Apesar de a pré-reforma na função pública estar prevista há já vários anos, só a 6 de fevereiro deste ano entrou em vigor o decreto que regulamenta o intervalo de valores a pagar.

No entanto, segundo o Público, existem vários problemas com o decreto. Um deles está relacionado com a ausência de critérios que fixem o valor da prestação da pré-reforma. A lei diz apenas que pode oscilar entre 25% e 100% do salário e que esse valor pode ser negociado pelo trabalhador e o empregador.

No entanto, a questão dos interlocutores não é clara, uma vez que, se em alguns empregos é fácil perceber quem é o empregador público e o dirigente máximo, noutros serviços, como escolas ou autarquias, a questão não é tão simples assim.

O matutino adianta que desde a entrada em vigor do decreto ainda não foi recebido qualquer processo de pré-reforma para ser aprovado. Fonte do Ministério das Finanças confirmou que foram recebidos, no entanto, pedidos de informação e “mensagens com declarações de interesse que têm sido reencaminhadas para as respetivas tutelas, uma vez que o processo tem de ser iniciado por acordo entre a entidade empregadora pública e o trabalhador, sendo esse acordo da iniciativa de qualquer uma das partes”.

Segundo o Governo, não foram esclarecidas dúvidas concretas, mas está a ser preparado um documento pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público que vai ser publicitado em breve.

Os sindicatos têm também recebido vários pedidos de esclarecimento, pedidos esses a que não conseguem dar resposta. Por esse mesmo motivo, a Fenprof (Federação Nacional de Professores) pediu uma reunião com a secretária de Estado da Administração Pública.

Mário Nogueira, líder da estrutura sindical, deixou ainda um alerta: o sindicalista estima que 40% dos professores têm mais de 55 anos e reúnem as condições necessárias para pedir a pré-reforma. “São à volta de 50 mil professores. Se todos saíssem, havia escolas que ficavam sem docentes.

Mas os professores não são os únicos interessados na pré-reforma. O dirigente da Federação de Sindicatos da Administração Pública, José Abraão, diz que os sindicatos têm sido também contactados por técnicos superiores, assistentes técnicos e operacionais, em particular das áreas da saúde e das autarquias.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo elogia Portugal enquanto critica "cegueira" a nível mundial face às alterações climáticas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, criticou na segunda-feira a "cegueira" de decisores políticos a nível mundial face às alterações climáticas, mas elogiou Portugal, em contraponto, considerando que se verifica um "consenso" nesta …

Diabo na Cruz anunciam o fim da banda

Os Diabo na Cruz decidiram terminar com o projeto e fazer todos os concertos da atual digressão sem o vocalista, Jorge Cruz, numa decisão de comum acordo, disse esta terça-feira à agência Lusa o agente …

Mais de metade das freguesias obrigadas a nomear gestor de proteção de dados

O Parlamento está a preparar a aprovação de uma lei que prevê a nomeação de um gestor de proteção de dados em todas as freguesias portuguesas com mais de 750 habitantes — cerca de 64%. Segundo …

O império de Jamie Oliver colapsou. Há mais de mil empregos em risco

A cadeia de restaurantes do chef britânico Jamie Oliver entrou em insolvência, deixando mais de 1000 postos de trabalho em risco. O empresário já confirmou a situação, mostrando-se "profundamente triste" com o desfecho do negócio. A …

Banco de Portugal tem até quinta-feira para enviar ao Parlamento lista dos grandes devedores

O Banco de Portugal (BdP) tem até quinta-feira para enviar ao Parlamento um relatório extraordinário sobre os grandes devedores dos bancos que beneficiaram de ajudas públicas, confirmou a Lusa. A lei publicada em fevereiro deu ao …

Daesh está a transformar-se numa "rede clandestina". É "a maior ameaça terrorista internacional"

O grupo jihadista Daesh está a reorganizar as suas células no Iraque e continua a ser uma ameaça global, em particular depois de se converter numa rede clandestina, advertiram na segunda-feira as Nações Unidas. De acordo …

Vem aí o BEM (e pode ser um "cavalo de Tróia" no Montepio)

O Banco Montepio anunciou a criação do Banco de Empresas Montepio (BEM), uma nova unidade que se vai dedicar a financiar empresas com mais de 20 milhões de euros de volume de negócios. O Público …

Em 2019, o crescimento mundial será "medíocre". OCDE prevê menos crescimento em Portugal

A economia mundial vai crescer 3,2% em 2019, uma décima menos do que a organização previa há dois meses atrás. A situação pode piorar se houver uma escalada na guerra comercial. Em relação ao crescimento …

FC Porto em risco de perder mais de metade dos titulares

O FC Porto está em risco de perder mais de metade dos seus habituais titulares. No total, os 'dragões' podem perder mais de 13 jogadores da sua equipa principal. Depois de perder o título de campeão …

Relatório atrasado revela aumento de 15% nos custos com PPP na saúde

Os encargos líquidos com parcerias público privadas (PPP) subiram 5% nos primeiros seis meses do ano passado, atingindo os 977,2 milhões de euros, de acordo com um relatório agora publicado e com quase um ano …