EUA simularam bombardeamento da Coreia do Norte

USGOV-PD / Wikimedia

Dois caças-bombardeiros B-1B Lancer em formação

Dois caças-bombardeiros B-1B Lancer em formação

Quatro caças F-35B e dois bombardeiros B-1B dos EUA realizaram, esta segunda-feira, a simulação de um bombardeamento sobre a Península da Coreia do Norte, na sequência de mais um disparo de um míssil balístico de Pyongyang.

No exercício aéreo participaram também quatro caças sul-coreanos F-15K, de acordo com a agência de notícias Ynohap que cita fontes do governo de Seul.

Os exercícios aéreos decorreram três dias depois de a Coreia do Norte ter realizado o lançamento de um míssil que percorreu 3.700 quilómetros antes de cair no mar e depois de ter sobrevoado o arquipélago do Japão.

O disparo de sexta-feira foi efectuado depois de terem sido aprovadas pelo Conselho das Nações Unidas novas sanções económicas contra o regime de Pyongyang.

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, alegou que este último lançamento visava “acalmar a beligerância dos EUA” e dar sinais de que o país asiático pode “estabelecer um equilíbrio de força real com os EUA e fazer com que os seus governantes não se atrevam a falar de opção militar”.

Na resposta, Donald Trump acusou a Coreia do Norte de “total desprezo” pelos países vizinhos e pela comunidade mundial e sublinhou que os EUA têm opções militares “efectivas” e “esmagadoras”. À ameaça segue-se, agora, a simulação do bombardeamento da Península coreana.

O uso de meios aéreos e navais dos Estados Unidos, durante exercícios militares, são encarados na Coreia como uma prova de força e são habituais desde o passado dia 31 de Agosto, altura em que foram enviados para a região os quatro caças F-35B e os dois bombardeiros B-1B.

Seul, Washington e Tóquio vão realizar exercícios anti-mísseis

Por outro lado, forças da Coreia do Sul, EUA e Japão vão realizar um exercício anti-mísseis no final do mês, segundo anunciou um porta-voz do Ministério da Defesa sul-coreano.

A realização das manobras consta de um relatório militar que o Ministério da Defesa enviou para a Assembleia Nacional da Coreia do Sul e que refere que Pyongyang parece aproximar-se da “fase final” de desenvolvimento de um míssil balístico intercontinental (ICBM), com o qual poderia atingir o território norte-americano.

O mesmo documento admite que o regime de Pyongyang pode vir a realizar “provocações estratégicas adicionais” a curto prazo, com novos testes de armamento.

Este exercício conjunto anti-mísseis surge num momento em que existem dúvidas sobre as capacidades reais dos aliados para interceptar um míssil de Pyongyang.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …

Roubar aos ricos para dar aos pobres. Misterioso grupo de hackers desviou dinheiro para doar à caridade

Um misterioso grupo de hackers, conhecidos como hackers Darkside, doou dinheiro a duas instituições de caridade - mas esse dinheiro foi roubado pelo mesmo grupo a grandes corporações através de um ataque de ransomware. Quase podia …

Desatualizados e com erros. IA vai vasculhar milhares de documentos da Casa Branca

O Escritório de Administração e Orçamento da Casa Branca (OMB) disse que as agências federais vão usar inteligência artificial (IA) para eliminar requisitos desatualizados, obsoletos e inconsistentes em dezenas de milhares de páginas de regulamentos …