EUA e China ganham 90 dias para evitar guerra comercial

Thomas Peter / EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, com o presidente da China, Xi Jinping

Donald Trump e Xi Jinping conseguiram, no sábado à noite em Buenos Aires, sair do encontro com o melhor resultado possível na presente conjuntura: uma trégua que dá tempo às duas partes para negociar um acordo comercial.

O jantar entre os dois presidentes, apesar de não fazer parte do programa oficial do G20, era um dos momentos mais esperados do encontro de líderes mundiais que decorreu este fim-de-semana em Buenos Aires.

Os EUA e a China, os dois países com as maiores economias do planeta, têm estado envolvidos numa guerra comercial que tem assustado os mercados e que, a agravar-se, poderia ter consequências para todo o mundo, recorda o Público.

Os EUA aumentaram as taxas alfandegárias de importações provenientes da China no valor de 250 mil milhões de dólares. Primeiro, aplicaram uma taxa de 25% em 50 mil milhões de dólares de produtos e, depois, uma taxa de 10% em 200 mil milhões de dólares, agendando uma subida para 25% nestes produtos no início do próximo ano.

A China retaliou com subidas de taxas nos produtos norte-americanos, o que levou a que Donald Trump ameaçasse com a possibilidade de alargar as suas medidas a todos os produtos importados da China.

Este sábado, depois de horas intensas de negociações entre os dois países, o jantar acabou por resultar numa pausa no cenário de ataque e contra-ataque ao nível das taxas alfandegárias. Os EUA já não vão subir de 10% para 25% as taxas aplicadas a 200 mil milhões de dólares dos produtos chineses.

Em contrapartida, a China comprometeu-se a aumentar o volume de compras de produtos agrícolas, industriais e energéticos norte-americanos, embora não tenham sido tornados públicos os montantes em causa nem o prazo em que tal deverá acontecer.

Os EUA e a China irão, nos próximos 90 dias, reunir as suas equipas com o objetivo de definir taxas alfandegárias estáveis e de aplicação de regras menos apertadas para os fluxos de investimento entre os dois países.

Contudo, não há sinais neste momento de avanços significativos entre os dois países em direção a um entendimento final. A Casa Branca deixou claro que, não havendo um acordo ao fim destes 90 dias de negociação, o agravamento das taxas alfandegárias para 25% irá mesmo concretizar-se.

Como é normal nestes casos, a forma como os dois lados descreveram o acordo foi bastante diferente. Os responsáveis norte-americanos destacaram sobretudo o compromisso chinês de realizar mais compras de produtos norte-americanos e assim reduzir o seu excedente comercial com os EUA.

Pequim preferiu salientar o facto de Washington ter aceite não subir mais a taxas, com o ministro dos Negócios Estrangeiros a descrever a promessa de mais compras por parte da China apenas como “uma expansão das importações de acordo com as necessidades do mercado doméstico e da população”, que irá “gradualmente aliviar o problema do desequilíbrio comercial”.

Donald Trump centro o seu discurso na sua relação com o presidente chinês. “A relação é muito especial. Penso que esta vai ser a razão principal para que nós, provavelmente, consigamos alguma coisa boa para a China e para os EUA”, afirmou. Já Xi Jinping afirmou que “apenas a cooperação pode servir os objetivos da paz mundial e da prosperidade”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Relações "complicadas". Rússia admite abandonar projetos de cooperação com a UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergey Lavrov, que se encontrará mais tarde com o Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, comentou que as relações atuais entre Moscovo e Bruxelas são "complicadas". O Governo russo está a ponderar …

Benfica tem novo central. Luís Filipe Vieira fecha contratação de Lucas Veríssimo

O Benfica deverá pagar 1,3 milhões de euros em mão e outros 5,2 milhões em quatro prestações. Lucas Veríssimo chega do Santos para a posição de defesa central. À semelhança daquilo que fez com Jorge Jesus, …

Apoio à retoma pode prolongar-se pelo menos até setembro de 2021

O mecanismo de apoio à retoma progressiva nas empresas em crise poderá prolongar-se até, pelo menos, setembro do próximo ano, avisou o ministro de Estado e da Economia, Pedro Siza Vieira. O mecanismo sucedâneo do layoff …

Vinícius bisou e assistiu para o Tottenham. Para Mourinho, só há uma coisa a melhorar

O Tottenham de José Mourinho venceu esta quinta-feira o Ludogorets no jogo da 4.ª jornada da fase de grupos da Liga Europa. O ex-Benfica Carlos Vinícius, que não tem sido opção para o campeonato inglês, …

Portugal já terá atingido o pico. Foi na terceira semana de novembro, segundo os peritos do Governo

Portugal já terá atingido o pico de novos casos da segunda vaga de covid-19, de acordo com os cálculos dos peritos consultados pelo Governo. Em declarações ao jornal Observador, engenheiro Carlos Antunes, da Faculdade de …

Benfica colheu um ponto na Escócia. O Rangers "não é uma equipazinha", diz Jesus

O Benfica empatou a dois golos em casa do Rangers, na quarta jornada do Grupo D da Liga Europa, e ficou a uma vitória de seguir para os 16 avos de final. Arfield (7 minutos) e …

Reformas antecipadas sofrem corte de 15,5% em 2021

O valor das pensões antecipadas pedidas no próximo ano terá um corte superior ao que está a ser aplicado em 2020: 15,5%. Os trabalhadores que se reformem antecipadamente em 2021 terão uma penalização de 15,5% na …

Templo de Esna foi restaurado ao fim de 2000 anos (e surpreendeu com misteriosos segredos egípcios)

Descoberto há cerca de 200 anos, o antigo templo egípcio de Esna guardava segredos há mais de 2000 anos. Agora esses segredos foram revelados graças a um projeto de restauração iniciado em 2018, onde foram …

Trabalhadores essenciais vão ter folgas e mais 50% de salário se trabalharem nas vésperas de feriado

Os trabalhadores essenciais da Função Pública que tiverem de trabalhar nos dias 30 de novembro e 1 de dezembro vão ter direito a uma ou duas folgas e vão receber um aumento de 50% do …

"Idiotice criminosa". Agente diz que Maradona não teve assistência médica adequada

Matías Morla, agente e advogado de Diego Maradona, afirmou esta quinta-feira que o ex-futebolista, que morreu na quarta-feira, não teve assistência médica adequada e vai pedir que essa questão seja "investigada até às últimas consequências". "É …