Espanha é o único país a progredir, diz Lagarde

WEF / Wikimedia

Christine Lagarde, Diretora do FMI

Christine Lagarde, Diretora do FMI

A Espanha é o único país da zona euro a progredir devido às reformas estruturais que começam a dar resultados, disse a diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), apelando aos outros Estados que “passem das palavras aos atos”.

“O único país que progride, apesar de não ser suficiente” para absorver a bolsa de desempregados “é a Espanha“, afirmou Christine Lagarde numa entrevista divulgada esta segunda-feira pela emissora francesa “Radio Classique”.

Questionada se considera que a França está a atrasar-se na aplicação de reformas, a diretora do FMI insistiu que “há que as por em prática e não apenas ficar contente em falar delas”, numa mensagem que serve para “o conjunto da zona euro e não apenas para a França“.

No campo da recuperação económica na Europa, Christine Lagarde considerou que a Alemanha pode fazer mais, com aumentos salariais e maiores investimentos em infraestruturas que estimulem a procura e favoreçam a recuperação no país e no conjunto da zona euro.

“A Alemanha é um dos raros países da zona euro que tem margem orçamental”, comentou Christine Lagarde assinalando também que o Governo de Angela Merkel já prevê um aumento de vencimentos e mais investimentos públicos em vias de transporte, muito embora, para o FMI, Berlim “possa fazer mais no seu próprio interesse”.

Numa outra entrevista ao diário “Les Echos”, Christine Lagarde precisou que a Alemanha poderia dedicar às suas infraestruturas de transporte 0,5 pontos do Produto Interno Bruto anualmente e durante quatro anos, em vez dos 0,2 pontos previstos pelo Executivo de Merkel.

“A Alemanha poderia também contribuir para a recuperação europeia com maior distribuição de salários” porque assim os consumidores alemães “alimentariam” a procura, disse.

Questionada se a zona euro está a efetuar demasiados cortes orçamentais, Lagarde lembrou que, no conjunto, estes países representam 0,3 pontos do Produto Interno Bruto, razão porque defende que “não se pode falar de uma política de excessiva austeridade“.

“O ritmo de redução do défice orçamental parece-nos o adequado em cada país”, disse ao recordar que no Pacto de Estabilidade estão fixados os objetivos de redução do défice e que “há uma certa margem de manobra” para que a Comissão Europeia tenha em conta as reformas que são realizadas.

Ainda à Radio Classique, e sobre a sua continuidade até final do mandato no FMI, Christine Lagarde, vincou a sua “determinação” em cumpri-lo até ao fim, embora esteja acusada na França de “negligência” num caso que deriva da sua responsabilidade enquanto ex-ministra das Finanças daquele país.

“Estou determinada em cumprir o meu mandato até ao fim”, disse à emissora francesa ao salientar também que os 188 países que integram o FMI, através do seu órgão de Governo, lhe renovaram o apoio depois da acusação que lhe foi imputada a 26 de agosto.

Christine Lagarde afirmou mesmo ter recebido “mensagens calorosas” de numerosos chefes de Estado e de Governo, bem como de ministros.

“Se tivesse tido dúvidas da minha capacidade de assumir as minhas obrigações, essas mostras de apoio tinham-nas dissipado”, comentou ao Les Echos, também hoje publicada.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Quinto debate dos candidatos democratas marcado por ataques a Trump

O quinto debate entre os candidatos democratas à Casa Branca ficou marcado, esta quarta-feira, pela unânime oposição ao Presidente norte-americano, atualmente alvo de um processo de destituição. "Não podemos ser consumidos por Donald Trump", advertiu o …

Paulo Rangel reeleito vice-presidente do Partido Popular Europeu

O eurodeputado do PSD foi reeleito, esta quinta-feira, vice-presidente do Partido Popular Europeu (PPE) no congresso desta formação política, que decorre desde quarta-feira em Zagreb, na Croácia. De acordo com uma nota à imprensa, Paulo Rangel …

Ex-eletricista de Picasso condenado por ter escondido 271 obras na garagem durante 40 anos

O último eletricista de Pablo Picasso, Pierre Le Guennec, e a sua mulher foram esta terça-feira condenados em última instância a dois anos de prisão, com pena suspensa. Em causa estava, de acordo com a AFP, …

Álvaro Costa apresenta projeto inédito de streaming

  Um canal inédito de streaming totalmente português é uma das ideias que Álvaro Costa pretende ver avançar já no próximo ano. O projeto será apresentado este sábado, às 21h30, no Mar Shopping. Álvaro Costa já chegou …

Um terço das empresas ainda não revelou o seu dono

As cerca de 600 mil empresas e outras entidades sujeitas a registo comercial que operam em Portugal eram obrigadas pelo Instituto dos Registos e do Notariado a fazer o Registo Central do Beneficiário Efectivo (RCBE) …

Benfica e Porto estarão interessados na contratação de Pepê

FC Porto e SL Benfica, juntamente com outros emblemas, estarão interessados na contratação do jovem brasileiro do Grêmio, Pepê. O clube pede entre 15 e 20 milhões de euros. Aos 22 anos de idade, Pepê tem …

Diamante de 183 quilates está à venda em leilão angolano

A Sodiam, empresa pública de comercialização de diamantes angolana, lançou na quarta-feira o segundo leilão para venda de diamantes brutos, que inclui uma pedra de 183 quilates, e no qual estão já registadas mais de …

Bruxelas aprova compra de Seguradoras Unidas e AdvanceCare pela Generali

A Comissão Europeia aprovou, esta quinta-feira, a compra das portuguesas Seguradoras Unidas e AdvanceCare ao grupo norte-americano Apollo pelo grupo italiano Generali, um negócio no valor estimado de 600 milhões de euros. O Executivo comunitário adiantou, …

"Rebeldes" que saíram do Partido Conservador concorrem como independentes ou pela oposição

Vários deputados dissidentes ou expulsos do Partido Conservador estão a candidatar-se como independentes ou por partidos da oposição nas legislativas de 12 de dezembro por se oporem ao Brexit negociado pelo primeiro-ministro. O antigo procurador-geral Dominic …

CGD já está a cobrar comissões nos depósitos de instituições financeiras

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) já começou a cobrar comissões nos depósitos das instituições financeiras, de modo a tentar contornar a política monetária do Banco central Europeu. A intenção de cobrar comissões nos depósitos de …