Para entrar nesta praia italiana, vai ser preciso pagar (e nem todos podem entrar)

Aos pés de uma antiga aldeia de pescadores, La Pelosa é uma atração turística muito célebre. Por isso, a autarquia decidiu tomar medidas para a proteger.

A famosa praia tem sido uma vítima da erosão natural e humana. Os milhares de pessoas que visitam La Pelosa, no parque natural de Asinara, aumentam os efeitos da erosão. O mar e o vento levaram parte da faixa de areia e a sobrecarga piora a situação. Hoje, de acordo com o jornal italiano Corriere della Sera, a praia está cada vez mais fina e mais rochosa.

Em declarações à CNN, o autarca já tinha comentado que a praia chega a ter seis mil pessoas num só dia, o que “não é sustentável”. “É um equilíbrio geológico muito precário”, acrescentou, “temos de fazer isto para garantir o futuro” da praia.

As novas medidas vão entrar em vigor no próximo verão e terão um caráter experimental. Primeiro, para entrar, será preciso pagar. O preço do bilhete deverá rondar os 4 euros diários. À agência de notícias italiana ANSA, o autarca disse que o pagamento é “contributo” dos utilizadores para “subsidiar a manutenção e o monitorização da praia”.

Além do bilhete, a praia terá uma lotação máxima de 1500 adultos – as crianças não serão contadas – e multas até 500 euros para quem não respeitar as regras.

A praia já tinha um plano SOS, com regras que têm sido implementadas noutras praias da região: tem passadeiras de madeira para proteger as dunas, é obrigatório o uso de esteiras, não são autorizados vendedores, é proibido fumar, sabonetes ou detergentes, e é obrigatório limpar os pés à saída da praia nos espaços criados para o efeito. É também proibido levar sacos para que não se “roube” dinheiro ou conchas às praias de Sardenha.

Em breve, a estrada de alcatrão deverá desaparecer da praia. Construída nos anos de 1950, cruza as dunas. A autarquia já deu início ao processo para autorizar as obras, devendo as passadeiras de madeira substituírem o cimento e o betume em 2020.

Esta é mais uma medida para tentar controlar o sobreturismo em Itália. Em Veneza, que tem 50 mil habitantes e recebe 30 milhões de turistas por ano, a partir do próximo ano, vai ser cobrado bilhete de entrada e usar torniquetes. Também haverá multas para quem desrespeite as regras de comportamento cívico, sendo proibido em Roma sentar ou comer em monumentos, nomeadamente as escadas da praça de Espanha.

Recentemente, dois turistas foram apanhados a fazer café junto à ponte de Rialto e multado em 950 euros. Em agosto, um casal francês foi detido ao transportar 40 quilos da famosa areia da ilha da Sardenha, em Itália, e agora pode enfrentar até seis anos de prisão, caso a justiça italiana os considere culpados.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …