/

Emirados Árabes vão rebocar icebergue da Antárctida para resolver problema de falta de água

8

Os Emirados Árabes Unidos estão a planear rebocar icebergues da Antárctida até aos mares do Médio Oriente, como uma forma de influenciar o clima local, nomeadamente para provocar mais chuva.

Esta é mais uma medida megalómana dos Emirados Árabes Unidos (EAU) que planeiam também construir uma montanha para fazer chuva e, assim, fazer face à falta de água doce que assola o país e todo o Médio Oriente.

O Projecto Icebergue, como é denominado pela empresa dos EAU que teve a ideia, a National Advisor Bureau Limited, visa levar icebergues desde a Antárctida até à costa de Fujairah com o intuito de obter uma nova fonte de água potável na região.

Cada icebergue contém cerca de 20 mil milhões de litros de água doce que seriam suficientes para fornecer cerca de um milhão de pessoas, ao longo de cinco anos, adianta a empresa, conforme cita o site GulfNews.com.

Quando o icebergue entrar em contacto com o ar quente da região, “o ar frio a sair” dele, “próximo das costas do Mar Árabe, causará um vale e tempestades por todo o Golfo Árabe e pela região sul da Península Árabe, ao longo de todo o ano”, explica no mesmo site o director de gestão da empresa, Abdullah Mohammad Sulaiman Al Shehi.

“Criará um vórtice que atrairá nuvens de toda a região”, refere este responsável, apontando para a criação de uma espécie de micro-clima local com mais chuva.

“À medida que o ar que sobe se expande, arrefece e condensa devido à redução da pressão do ar, o vapor da água é recolhido nas nuvens, elas tornam-se pesadas e cai a chuva”, explica ainda Al Shehi.

Além disso, o derreter do icebergue “vai libertar água para o Mar Árabe, numa tentativa de reconstituir o equilíbrio ecológico, de reduzir a salinidade debaixo de água, causada pela descarga de salmoura de fábricas de dessalinização, e de restaurar a biodiversidade”, nota a empresa, citada pelo ArabianBusiness.com.

E como se tudo isto não bastasse, será ainda uma “atracção turística única” para o Médio Oriente, notam os responsáveis do projecto.

A ideia da empresa é começar com esta empreitada já em 2018, conforme salienta Al Shehi, que diz que um “simulador” prevê que demorará até um ano rebocar um icebergue desde o Pólo Sul até aos EAU. O GulfNews.com nota que, segundo cálculos do Google Maps, estão em causa 12.600 quilómetros.

Este projecto integra-se na ideia mais abrangente da empresa de Al Shehi que projecta transformar o Deserto Empty Quarter, que preenche a Península Árabe ao longo de 650 mil metros quadrados, passando por Arábia Saudita, Iémen, Omã e EAU, num imenso jardim.

A mesma empresa tem também em marcha um projecto que visa ligar os rios do Paquistão aos EAU através de canais submarinos.

  SV, ZAP //

8 Comments

  1. Esta ideia não é nova!
    Nos anos 50 havia a ideia de rebocar icebergs para os países árabes com rebocadores atómicos.
    Só falta saber se os rebocadores são movidos a energia nuclear.
    Bem vindos ao futuro!

  2. E podem ir retirar um iceberg da Antártica???? Não é algo que é do mundo inteiro? E o desiquilíbrio ecológico que pode causar? Não pode afectar todo o mundo?
    Não estão já fartos de mexer e alterar a Natureza? Andam a brincar com coisas muito sérias que podem afectar todo o mundo.
    Deveria ser proibido.

  3. Ursos polares na Antárctida (como mostra o vídeo)???
    Se todo o projecto foi assim tão bem estudado, não há de sair daí coisa boa…

  4. estamos a viver uma epoca com pouca inovaçao real,atualmento esta na moda apresentar ideias e projetos de decadas atras,como sejam inovaçoes originais e actuais

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.