/

Em apenas 10 dias como Presidente, Marcelo já conseguiu irritar Passos

10

PSD / Flickr

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, cumprimenta Pedro Passos Coelho na cerimónia de tomada de posse

Ao fim de apenas 10 dias de mandato na Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa já conseguiu irritar Passos Coelho. É o que se pode depreender das palavras do líder do PSD sobre a Banca.

Em causa estão declarações de Marcelo Rebelo de Sousa, aquando do encontro com o Rei de Espanha, em Madrid, em que o Presidente da República alertou Filipe VI para o facto de que a banca espanhola não pode ter presença “exclusiva” em Portugal.

Comentando também a alegada interferência directa de António Costa nas negociações entre o CaixaBank e Isabel dos Santos, no âmbito do BPI, Passos Coelho entende que nem o governo, nem o Presidente da República devem intervir nas questões da Banca.

O Expresso noticiou que António Costa terá reunido com Isabel dos Santos para desbloquear o acordo com o CaixaBank no BPI, no sentido de a empresária angolana vender as suas acções na entidade financeira, enquanto esta lhe cederia o controlo do Banco Fomento Angola.

“Não é uma matéria em que o Governo se deva envolver. O primeiro-ministro não tem competência nenhuma nesta matéria”, salienta Passos Coelho, conforme declarações citadas pelo Observador, que nota que o líder do PSD sublinha ainda que “nem o Presidente da República tem competências nesta matéria”.

Estas declarações deixam antever o desconforto de Passos com a actuação de Marcelo, ao cabo de apenas 10 dias de mandato do novo Presidente da República.

O jornal i fala mesmo no “primeiro choque frontal” entre os dois sociais-democratas que “nunca gostaram um do outro”, escreve-se na capa do diário que lembra que “Passos tentou travar a candidatura de Marcelo, que acabou por apoiar a contragosto”.

Entretanto, o líder do PSD pede a António Costa que faça um “cabal esclarecimento” sobre o caso BPI, comparando a actuação deste governo com o de José Sócrates no âmbito do BCP, da Caixa e do PT.

“Não temos boa memória dos tempos em que os Governos se envolviam em processos societários que não respeitam ao Estado”, atira Passos Coelho.

ZAP

10 Comments

  1. é muito bom que a Banca tenha rédea curta do governo e presidente, vimos o que aconteceu com as falências dos Bancos e estamos a pagar caro por isso. O neoliberalismo selvagem de Passos Coelho conduziu-nos ao desastre.

  2. É assim mesmo.
    Mas afinal que competências tenho eu nessa matéria, também, para ser obrigado a pagar com impostos as dividas e mas gerências da banca neste país?
    Mas afinal que competências tiveram os governos anteriores nessa matéria, também, para me obrigarem a pagar em impostos as dividas e mas gerências da banca neste país?
    É melhor calar-me se não ainda vou preso por pagar mais impostos à conta disso, não ser banqueiro e não andar a roubar o país com conivência do governo e dos políticos.

  3. Ó M… por favor. Então as falências dos bancos devem-se ao governo do Passos Coelho? Abra lá bem os olhos e releia a história.

    • Ó Ó M, mas ele e o governador do BdP, esteve lá, logo com as fraldas, para limpar as cagadas…
      E as fraldas quem as paga?

  4. Este Passos Coelho é mesmo um triste coitado!…
    Ele sabe lá o que é competência – basta olhar para o seu currículo: um parasita incompetente que nunca trabalhou na vida, que nem sabe muito bem o que andou a fazer no governo, deixou casos como o do BANIF (além dos vários chumbos do T. Constitucional), e, vem agora com recados e falar de competência…
    Enfim… é mesmo não ter noção do ridículo!!

  5. “Não é uma matéria em que o Governo se deva envolver”
    Pois não lhe convém não, nem a ele nem aos da laia dele.
    O governo só se deve envolver, quando os lacaios dele tiverem
    saqueado tudo, para depois por o parolo do povinho a pagar!!!
    Embora eu continue achar, que este povinho ainda merecia pior….

  6. Ó JUCOSA. Compreendo e aceito a teoria das fraldas. Mas, e mantendo a sua metáfora, não foi ele que fez a merda. Apenas a procurou limpar. Se a limpou bem ou mal é outra questão.
    Confesso que nem nutro grande simpatia pelo homem mas também temos de ser justos na forma como avaliamos as coisas. Caso contrário só posso deduzir que anda tudo cego, não por o ser, mas por não querer ver (e quando houver cura para a cegueira esse vai continuar cego porque nem os avanços da medicina o vão conseguir curar). Deixem-se todos de partidarices da treta e exijam aos nossos governantes (independentemente da cor partidária) aquilo que prometeram nas campanhas e uma conduta de acordo com as funções que exercem. Por outras palavras e continuando a sua metáfora: caguem nos partidos porque é aí que está a origem de todos os problemas. Guardem o fanatismo apenas para o futebol.

  7. Afinal qual é a história? Há sempre várias, consoante os INTERESSES de cada um. Para mim culpa nos banqueiros. As decisões criminosas foram deles

  8. Que respeito ou credibilidade merece um EX-PM que, quando do escândalo do BES, não se preocupou com a posição do então presidente da República, Cavaco Silva, quando este aconselhou as pessoas a investir no BES.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.