Eduardo Catroga: Foi o PS quem ultrapassou as “linhas vermelhas” após aceitar apoio do PCP e do BE

Eduardo Catroga, antigo ministro das Finanças de Cavaco Silva, defende que foi o PS quem ultrapassou as “linhas vermelhas” após aceitar o apoio do PCP e do Bloco de Esquerda, partidos “anti-tudo”.

O ex-ministro das Finanças de Cavaco Silva, Eduardo Catroga, escusou-se esta segunda-feira a fazer uma leitura nacional do acordo açoriano entre PSD e Chega, mas defendeu que foi o PS, em 2015, a ultrapassar “linhas vermelhas” do fundador, Mário Soares.

O economista e gestor de 78 anos equiparou o facto de “o PSD regional (Açores) aceitar o apoio do Chega para conseguir formar Governo Regional, com António Costa aceitar o apoio do PCP e do Bloco de Esquerda, em 2015″.

Em entrevista à Lusa, a propósito da publicação do seu último livro “Desenvolver Portugal — Reflexões em tempos de pandemia”, Catroga disse não saber “o que é o Chega”, que considera “um grupo de descontentes”.

“Eu não sei o que é o Chega. Vejo-o como um grupo de descontentes. Ainda não sei qual é a expressão eleitoral nem qual será a sua filosofia política, portanto só o tempo o dirá…”, limitou-se a dizer, questionado sobre a possibilidade de reedição do entendimento em futuras eleições legislativas nacionais.

Para o atual representante do maior acionista da EDP – a chinesa Three Gorges – no Conselho Geral e de Supervisão da elétrica, “em 2015, quando o PS ultrapassou as linhas vermelhas de Mário Soares e atraiu para o círculo do poder os elementos à esquerda (BE, PCP, ‘Os Verdes’), que são anti-Europa, anti-euro, anti-NATO, anti-tudo, quebrou um princípio fundamental – uma regra consuetudinária, que é ‘o partido que tem mais votos que deve governar’”.

Implicitamente, “o principal partido oposicionista que perdeu deve ir para a oposição e deve deixar governar durante alguma tempo sem criar obstáculos decisivos”, na opinião do negociador do PSD para o memorando de entendimento com a troika (União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) e resgate do país, em 2011.

“Desenvolver Portugal — Reflexões em tempos de pandemia” tem prefácio de José Miguel Júdice, a chancela da Bertrand/Círculo e nele se apela à “responsabilidade de partidos que representam 85% do eleitorado” (PS, PSD e CDS-PP) para “soluções governativas estáveis e coerentes”.

“Vírus ideológico” de BE e PCP

Catroga defendeu que Portugal precisa de combater também o “vírus ideológico” de BE e PCP, no contexto da crise pandémica de covid-19, para se conseguir reformar e desenvolver.

“Portugal, depois do AVC que teve em 2011 (pedido de resgate à troika), muito profundo, teve de fazer dieta, um período de convalescença, que durou até 2019, mas, quando chegou a final de 2019, fruto de erros do passado, ainda estávamos com frágil situação económico-financeira, uma frágil saúde, ainda precisávamos de muitos cuidados”, descreveu Catroga.

Para o negociador do PSD no memorando de entendimento com a troika (União Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional) e resgate do país, em 2011, “desta vez tem de ser diferente, em termos de intensidade e qualidade de reformas, de ações estruturais para atacar os pontos fracos estruturais relativos e vencer dois vírus” que “têm tolhido” Portugal.

“O vírus da inação estrutural – só nos preocupamos com a espuma mediática das notícias do dia e o vírus ideológico que grassa em certos segmentos da opinião e políticos, contra as empresas, a iniciativa e que só querem mais despesa pública. É o vírus de todos aqueles que – não lhe chamo de esquerda, nem de direita — são contra a economia de mercado, contra o euro, contra a produtividade e a competitividade”, apontou.

Edaurdo Catroga recordou que a evolução do Produto Interno Bruto per capita, em paridade com o poder de compra, progrediu bastante, sobretudo “entre 1985 e 1995”, nos governos de Cavaco e Guterres (de “55,6% para 68,3% do nível de vida médio europeu”), mas, “em 2019, está na casa dos 72%, uma quase estagnação em 15 anos”.

“Portugal precisa de uma atuação contínua, permanente e consistente sobre todas as variáveis determinantes do processo de desenvolvimento económico, nomeadamente os pilares político-institucional (qualidade da democracia, instituições e políticas públicas, gestão orçamental e da despesa, justiça e combate à corrupção), económico-financeiro (apoios e incentivos a empresas para criação de riqueza e emprego e investimento produtivo nacional e estrangeiro) e social (sistema educativo, sobretudo o técnico-profissional e proteção e segurança social)”, receitou.

“Marcelo superior a todo e qualquer concorrente”

Eduardo Catroga afirmou que o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tem “uma qualidade de nível superior a todo e qualquer concorrente que se tem perfilado até à data”.

Catroga observou que “o primeiro mandato foi muito condicionado pelas vicissitudes e controlo de danos por o PS ter ultrapassado as linhas vermelhas (com acordos de governação à esquerda)” e que, “agora, num segundo mandato, tudo depende do contexto político”.

“O que espero é que o Presidente seja um agente propulsor, utilizando a sua magistratura de influência, no sentido de o país fazer as reformas políticas, económicas e sociais, em termos estruturais dos três pilares que apontei (político-institucional, económico-financeiro e social), para dar um salto no processo de convergência real na aproximação aos níveis de vida europeus e não caminhar para a cauda da Europa“, desejou.

O chefe de Estado, que ainda não assumiu a recandidatura ao cargo, deverá marcar as eleições presidenciais esta terça-feira para o dia 24 de janeiro.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Doença cerebral misteriosa intriga médicos no Canadá

 A doença misteriosa foi identificada, pela primeira vez, em 2015, num doente considerado um "caso isolado e atípico". Há quase dois anos, Roger Ellis desmaiou depois de ter tido uma convulsão durante o 40.º aniversário de …

Estudo sugere que há quatro tipos de Alzheimer

Uma equipa de investigadores sugere que há quatro tipos da doença de Alzheimer, que atacam diferentes zonas do cérebro e têm sintomas distintos. Um novo estudo sugere que o Alzheimer é uma doença bem mais complexa …

Jovens tentam salvar vidas na Índia através do Youtube. Plataforma elimina vídeos por serem "perigosos"

A Índia continua a debater-se com a grave crise sanitária desencadeada pela covid-19. Jovens indianos publicaram no Youtube vídeos a produzir oxigénio em casa, usando processos químicos ensinados nas escolas. A plataforma eliminou-os. De acordo com …

Shuvuuia era um dinossauro do tamanho de uma galinha, que caçava às escuras

Os investigadores descobriram que Shuvuuia, um pequeno dinossauro do tamanho de uma galinha, tinha uma excelente audição e visão noturna, que lhe permitiam caçar de noite. São poucas as aves que têm aquilo que é preciso …

Na China, é ilegal pedir comida em excesso nos restaurantes

A China aprovou uma lei anti-desperdício de alimentos que proíbe clientes de restaurantes de pedirem mais do que precisam, uma legislação abrangente pode prejudicar a experiência de comer fora de casa. A lei, que entrou em …

Sindicato de pilotos denuncia pedidos da TAP para voos em folga

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) denunciou pedidos da Transportadora Aérea Portuguesa (TAP) para que alguns trabalhadores efetuem voos em dias de folga, ao mesmo tempo que afirma ter pilotos em excesso. Num email …

Bayern Munique 'festeja' nono título consecutivo com goleada

O Bayern Munique coroou este sábado o seu nono título consecutivo na Liga alemã de futebol com uma goleada no triunfo diante do Borussia Moenchengladbach (6-0), num jogo com um hat-trick de Lewandowski. Antes de pisar …

A piscina infinita mais alta do mundo fica no Dubai

Haverá poucas coisas tão libertadoras como dar um mergulho numa piscina infinita com vista para o oceano. Agora, quem visitar o Dubai poderá fazê-lo numa piscina a quase 300 metros acima do nível do mar. Segundo …

"Polskie Babcie", as avós que lutam pela democracia na Polónia

Um grupo de idosas polacas organiza protestos, todas as semanas, para lutar pela democracia no país, governado pelo partido de direita nacional-conservador e democrata-cristão Lei e Justiça (PiS). É hora de ponta em Varsóvia, capital da …

Cimeira Social. Jerónimo de Sousa diz que não se respondeu aos verdadeiros problemas

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou este sábado, no Porto, que a Cimeira Social da União Europeia não respondeu às necessidades associadas ao emprego, à valorização dos salários e ao fim da precarização …