Dormir demais faz pior do que dormir de menos

Wi2_Photography / Flickr

As pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade do que as pessoas que dormem menos do que as 6 a 8 horas por noite.

As pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade do que as pessoas que dormem menos do que as 6 a 8 horas por noite.

Investigações recentes sobre o sono sugerem que afinal, dormir oito horas por noite pode fazer mal à saúde.

Segundo Gregg Jacobs, especialista do Centro de Transtornos do Sono da Faculdade de Medicina da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, estudos efectuados nos últimos dez anos indicam que 8 horas não é o tempo ideal de sono para nos mantermos saudáveis.

“Houve cerca de 34 pesquisas – estudos epidemiológicos que acompanham as pessoas durante um tempo, envolvendo mais de dois milhões de pessoas, que mostram de forma consistente que há uma relação entre a duração do sono e a mortalidade“, afirma Jacobs. Segundo o cientista, o nível mais baixo de mortalidade corresponde a sete horas de sono.

“Portanto, quando dormimos menos do que sete horas ou mais do que sete, há um aumento gradual no risco de mortalidade – e as pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade, do que as pessoas que dormem menos”, conclui o cientista.

Para Jacobs, sete horas de sono é a quantidade perfeita.

Menos do que sete horas significa que a pessoa tem mais probabilidades de morrer mais cedo e mais do que isso significa que as probabilidades de morrer mais cedo são ainda maiores.

De seis a oito?

No entanto, um outro especialista em sono, Frank Cappuccio, professor de medicina cardiovascular e epidemiologia na Universidade de Warwick, na Grã-Bretanha, afirma que, quando se fala em sono, deveríamos pensar num período ideal que varia entre as seis e as oito horas.

Segundo Cappuccio, medir o sono com precisão pode ser problemático.

“A nossa tendência é usar métodos muito simples, como perguntar às pessoas quantas horas dormem por noite, em média”, explica.

Mas, segundo o médico, as pessoas não medem com exactidão quanto tempo dormem.

Contar com o depoimento das pessoas transforma os estudos do sono numa ciência inexacta pois, aparentemente, temos tendência a sobrestimar o seu tempo de sono.

Mesmo com essa falta de precisão, Cappuccio defende que, se uma pessoa acha que dorme entre seis e oito horas por noite, não deve ter que se preocupar.

RelaxingMusic / Flickr

O período de sono ideal parece ser, afinal, 7 horas pr dia - não as 8 que vulgarmente se considera.

O período de sono ideal parece ser, afinal, 7 horas pr dia – não as 8 que vulgarmente se considera.

Falta e excesso

Uma pessoa que durma mais, ou menos, do que um período de seis a oito horas por noite, aparentemente apresenta mais risco de desenvolver problemas como hipertensão, diabetes e complicações cardiovasculares.

“Quem dormir mais do que oito horas ou menos do que seis, apresenta um grande aumento do que estimamos ser o risco de desenvolver estes problemas, ou morrer mais cedo”, realça Cappuccio.

Uma análise de voluntários que participaram num estudo sobre o sono revelou um aumento de 12% nas mortes entre os que dormem menos, comparado com os que dormem seis a oito horas por noite.

Mas surpreendentemente os investigadores descobriram um aumento de 30% das mortes entre os que dormiam mais do que 8 horas por noite.

Sete horas

Apesar das provas de que as pessoas não são testemunhas fiáveis do seu próprio sono, Gregg Jacobs afirma que é possível ter uma ideia de qual é o tempo de sono ideal.

Todos os anos, na primavera, a Fundação Nacional do Sono dos EUA investiga milhares de adultos, de uma amostragem científica aleatória da população – e frequentemente são descobertas coisas interessantes.

Uma dessas descobertas é a de que “o adulto típico actualmente afirma ter sete horas de sono por noite – e na verdade, parece ser esta a duração média do sono na população adulta mundial”, afirma Jacobs à BBC. Para o cientista, talvez as sete horas de sono seja o período de sono mais natural para o cérebro.

Os estudos realizados indicam que a maioria dos adultos diz que se sente descansado e com energia depois de um período sete horas de sono e apenas 5% afirmam que se sentem sonolentos durante o dia.

Há algo nas sete horas de sono, em termos das respostas que nos dão e do que observamos em termos de saúde, este parece ser o tempo ideal para dormir”, diz Jacobs.

ZAP // BBC

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Estudos da treta… A pessoa deve dormir até acordar naturalmente. Ponto. Cada organismo é diferente. Cada pessoa tem o seu padrão de sono, se estiver sempre a acordar de noite, logo vai ter necessidade de dormir mais…

  2. Não importa que fumes, que bebas muito, que te drogues, que só comas fast-food, sejas viciado em açúcar, que nunca saias da frente da televisão, que faças sexo indiscriminado e sem camisinha, desde que durmas por sete horas está tudo bem, vais viver mais.

RESPONDER

Quem bebe café tem melhor controlo motor e maior nível de atenção, diz estudo

Um investigador da Universidade do Minho (UMinho) concluiu que consumidores de café têm melhor controlo motor, maiores níveis de atenção e alerta e que a cafeína tem "benefícios na aprendizagem e na memória", divulgou esta …

Pas de Deux cósmico. NASA mostra dois buracos negros a distorcer a luz à sua volta

A NASA publicou um vídeo em que mostra um par de buracos negros com milhões de vezes a massa do Sol que executam um pas de deux hipnótico. A visualização da NASA mostra como os buracos …

Inteligência Artificial recriou a voz de Einstein (e é possível fazer-lhe perguntas)

Graças à Inteligência Artificial, os fãs do Nobel da Física Albert Einstein podem agora "falar" com o físico alemão online. Segundo o site IFLScience, a ideia partiu das empresas Aflorithmic e UneeQ, sediadas no Reino Unido …

O SUV BZ4X lança o mote para a nova sub marca de elétricos da Toyota

A Toyota apresentou o primeiro modelo 100% elétrico da BZ, acrónimo de Beyond Zero (além do zero), sub marca da fabricante nipónica dedicada exclusivamente aos elétricos. O SUV BZ4X será o primeiro de uma ofensiva …

A "tele-escola" em 2006: Gisela conta como era

20 de abril de 2020: o regresso da escola à RTP, agora com a designação Estudo Em Casa. Um ano depois desse momento, cruzámo-nos com uma jovem que nasceu em 1994 e que ainda estudou …

O famoso consumo de chá de Jane Austen liga a escritora ao comércio de escravos

O consumo de chá de Jane Austen vai ser submetido a "interrogatório histórico" sobre as suas ligações à escravatura, de acordo com o diretor de um museu dedicado à autora inglesa. A casa da escritora na …

Júri declara ex-polícia Derek Chauvin culpado da morte de George Floyd

Os jurados do julgamento do ex-agente da polícia acusado do homicídio do afro-americano George Floyd chegaram a acordo sobre o veredito esta terça-feira. Derek Chauvin foi considerado culpado. A decisão dos jurados, reunidos desde segunda-feira num …

Lago "assassino" matou cerca de 1.800 pessoas em apenas alguns minutos (e a história pode repetir-se)

A noite de 21 de agosto de 1986 parecia ser igual a outra qualquer. Até que, por volta das 21h30, ouviu-se um barulho muito estranho no Lago Nyos, no noroeste dos Camarões. E em minutos, …

Nigéria. Youtube fecha canal de pastor que pretende "curar a homossexualidade"

O pastor nigeriano TB Joshua apelou aos seus seguidores a "rezarem pelo YouTube" e a não responderem através do ódio ao encerramento do seu canal naquela plataforma, onde colocou vídeos em que afirmava "curar a …

Esquemas de Wall Street alimentaram a crise de 2008. Está a voltar a acontecer o mesmo

Bancos têm erroneamente relatado dados de rendimento inflacionados que comprometem a integridade dos valores imobiliários resultantes. Foi há mais de 12 anos que foi anunciada a falência do Lehman Brothers, o quarto maior banco de investimento …