Dormir demais faz pior do que dormir de menos

Wi2_Photography / Flickr

As pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade do que as pessoas que dormem menos do que as 6 a 8 horas por noite.

As pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade do que as pessoas que dormem menos do que as 6 a 8 horas por noite.

Investigações recentes sobre o sono sugerem que afinal, dormir oito horas por noite pode fazer mal à saúde.

Segundo Gregg Jacobs, especialista do Centro de Transtornos do Sono da Faculdade de Medicina da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, estudos efectuados nos últimos dez anos indicam que 8 horas não é o tempo ideal de sono para nos mantermos saudáveis.

“Houve cerca de 34 pesquisas – estudos epidemiológicos que acompanham as pessoas durante um tempo, envolvendo mais de dois milhões de pessoas, que mostram de forma consistente que há uma relação entre a duração do sono e a mortalidade“, afirma Jacobs. Segundo o cientista, o nível mais baixo de mortalidade corresponde a sete horas de sono.

“Portanto, quando dormimos menos do que sete horas ou mais do que sete, há um aumento gradual no risco de mortalidade – e as pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade, do que as pessoas que dormem menos”, conclui o cientista.

Para Jacobs, sete horas de sono é a quantidade perfeita.

Menos do que sete horas significa que a pessoa tem mais probabilidades de morrer mais cedo e mais do que isso significa que as probabilidades de morrer mais cedo são ainda maiores.

De seis a oito?

No entanto, um outro especialista em sono, Frank Cappuccio, professor de medicina cardiovascular e epidemiologia na Universidade de Warwick, na Grã-Bretanha, afirma que, quando se fala em sono, deveríamos pensar num período ideal que varia entre as seis e as oito horas.

Segundo Cappuccio, medir o sono com precisão pode ser problemático.

“A nossa tendência é usar métodos muito simples, como perguntar às pessoas quantas horas dormem por noite, em média”, explica.

Mas, segundo o médico, as pessoas não medem com exactidão quanto tempo dormem.

Contar com o depoimento das pessoas transforma os estudos do sono numa ciência inexacta pois, aparentemente, temos tendência a sobrestimar o seu tempo de sono.

Mesmo com essa falta de precisão, Cappuccio defende que, se uma pessoa acha que dorme entre seis e oito horas por noite, não deve ter que se preocupar.

RelaxingMusic / Flickr

O período de sono ideal parece ser, afinal, 7 horas pr dia - não as 8 que vulgarmente se considera.

O período de sono ideal parece ser, afinal, 7 horas pr dia – não as 8 que vulgarmente se considera.

Falta e excesso

Uma pessoa que durma mais, ou menos, do que um período de seis a oito horas por noite, aparentemente apresenta mais risco de desenvolver problemas como hipertensão, diabetes e complicações cardiovasculares.

“Quem dormir mais do que oito horas ou menos do que seis, apresenta um grande aumento do que estimamos ser o risco de desenvolver estes problemas, ou morrer mais cedo”, realça Cappuccio.

Uma análise de voluntários que participaram num estudo sobre o sono revelou um aumento de 12% nas mortes entre os que dormem menos, comparado com os que dormem seis a oito horas por noite.

Mas surpreendentemente os investigadores descobriram um aumento de 30% das mortes entre os que dormiam mais do que 8 horas por noite.

Sete horas

Apesar das provas de que as pessoas não são testemunhas fiáveis do seu próprio sono, Gregg Jacobs afirma que é possível ter uma ideia de qual é o tempo de sono ideal.

Todos os anos, na primavera, a Fundação Nacional do Sono dos EUA investiga milhares de adultos, de uma amostragem científica aleatória da população – e frequentemente são descobertas coisas interessantes.

Uma dessas descobertas é a de que “o adulto típico actualmente afirma ter sete horas de sono por noite – e na verdade, parece ser esta a duração média do sono na população adulta mundial”, afirma Jacobs à BBC. Para o cientista, talvez as sete horas de sono seja o período de sono mais natural para o cérebro.

Os estudos realizados indicam que a maioria dos adultos diz que se sente descansado e com energia depois de um período sete horas de sono e apenas 5% afirmam que se sentem sonolentos durante o dia.

Há algo nas sete horas de sono, em termos das respostas que nos dão e do que observamos em termos de saúde, este parece ser o tempo ideal para dormir”, diz Jacobs.

// BBC

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Estudos da treta… A pessoa deve dormir até acordar naturalmente. Ponto. Cada organismo é diferente. Cada pessoa tem o seu padrão de sono, se estiver sempre a acordar de noite, logo vai ter necessidade de dormir mais…

  2. Não importa que fumes, que bebas muito, que te drogues, que só comas fast-food, sejas viciado em açúcar, que nunca saias da frente da televisão, que faças sexo indiscriminado e sem camisinha, desde que durmas por sete horas está tudo bem, vais viver mais.

RESPONDER

Sim, as pessoas ficam mais bonitas quando estamos bêbados

Uma investigação acaba de provar a teoria dos "óculos de cerveja": depois de ingerirmos álcool, as outras pessoas tornam-se mais atraentes para nós. Uma equipa de investigadores da Edge Hill University, no Reino Unido, resolveu investigar …

Leverkusen vs FC Porto | Luis Díaz mantém “dragão” à tona

O FC Porto perdeu na Alemanha, na visita ao Bayer Leverkusen, por 2-1, e tem tudo em aberto na perspetiva de chegar aos oitavos-de-final da Liga Europa. Após uma primeira parte difícil, na qual praticamente não …

Ex-presidente do Tribunal da Relação Vaz das Neves arguido na Operação Lex

O ex-presidente do Tribunal da Relação de Lisboa foi constituído arguido no processo Operação Lex, em que também são arguidos o desembargador Rui Rangel e a sua ex-mulher e juíza Fátima Galante. A fonte adiantou à …

Rangers vs Braga | "Braveheart" romeno estraga noite "guerreira"

  O Sporting de Braga perdeu em casa dos escoceses do Rangers por 3-2, esta quinta-feira, em jogo da primeira mão dos 16 avos de final da Liga Europa de futebol em que esteve a vencer …

Morreu Joaquim Pina Moura, antigo ministro da Economia e das Finanças

O ex-ministro da Economia e das Finanças morreu em casa, em Lisboa, aos 67 anos, devido a doença neurodegenerativa, disse à agência Lusa o filho, o fotojornalista João Pina. Natural de Loriga, Seia (distrito da Guarda), …

Duran Duran e A-ha levam anos 80 ao Rock in Rio

Os noruegueses A-ha, responsáveis por Take on me, tema que fez sucesso na década de 80, estrear-se-ão em palcos portugueses no Rock in Rio Lisboa, atuando no mesmo dia em que os ingleses Duran Duran. Segundo …

Maior avião comercial do mundo vai ser reciclado (mas vende lembranças)

O primeiro Airbus A380 vai ser dividido em peças para futuras substituições, mas vai voltar aos céus através de etiquetas de bagagem. O MSN003 começou a ser fabricado em 2004 e tornou-se o primeiro avião super …

Caso Roger Stone. Ex-consultor de Trump condenado a 40 meses de prisão

O ex-consultor do Presidente dos Estados Unidos foi condenado, esta quinta-feira, a mais de três anos de prisão, apesar da interferência do procurador-geral para reduzir a recomendação de sentença. Um tribunal federal condenou o ex-consultor de …

Shakhtar D. vs Benfica | "Águia" perde mas sai viva

Ainda não foi esta quinta-feira que o Benfica regressou à senda dos bons resultados. Na visita a Kharkiv, casa emprestada do Shakhtar Donetsk, os campeões nacionais perderam por 2-1. Os três golos nasceram todos na etapa …

Após 40 anos, a Casa dos Amantes de Pompeia abre ao público

Pela primeira vez após 40 anos, a Casa dos Amantes, rica em frescos e decorações e uma das jóias de Pompeia, vai abrir ao público. Encontrada durante escavações em 1933, a Casa dos Amantes, em Pompeia, …