Dormir demais faz pior do que dormir de menos

Wi2_Photography / Flickr

As pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade do que as pessoas que dormem menos do que as 6 a 8 horas por noite.

As pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade do que as pessoas que dormem menos do que as 6 a 8 horas por noite.

Investigações recentes sobre o sono sugerem que afinal, dormir oito horas por noite pode fazer mal à saúde.

Segundo Gregg Jacobs, especialista do Centro de Transtornos do Sono da Faculdade de Medicina da Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, estudos efectuados nos últimos dez anos indicam que 8 horas não é o tempo ideal de sono para nos mantermos saudáveis.

“Houve cerca de 34 pesquisas – estudos epidemiológicos que acompanham as pessoas durante um tempo, envolvendo mais de dois milhões de pessoas, que mostram de forma consistente que há uma relação entre a duração do sono e a mortalidade“, afirma Jacobs. Segundo o cientista, o nível mais baixo de mortalidade corresponde a sete horas de sono.

“Portanto, quando dormimos menos do que sete horas ou mais do que sete, há um aumento gradual no risco de mortalidade – e as pessoas que dormem mais apresentam um aumento maior no risco de mortalidade, do que as pessoas que dormem menos”, conclui o cientista.

Para Jacobs, sete horas de sono é a quantidade perfeita.

Menos do que sete horas significa que a pessoa tem mais probabilidades de morrer mais cedo e mais do que isso significa que as probabilidades de morrer mais cedo são ainda maiores.

De seis a oito?

No entanto, um outro especialista em sono, Frank Cappuccio, professor de medicina cardiovascular e epidemiologia na Universidade de Warwick, na Grã-Bretanha, afirma que, quando se fala em sono, deveríamos pensar num período ideal que varia entre as seis e as oito horas.

Segundo Cappuccio, medir o sono com precisão pode ser problemático.

“A nossa tendência é usar métodos muito simples, como perguntar às pessoas quantas horas dormem por noite, em média”, explica.

Mas, segundo o médico, as pessoas não medem com exactidão quanto tempo dormem.

Contar com o depoimento das pessoas transforma os estudos do sono numa ciência inexacta pois, aparentemente, temos tendência a sobrestimar o seu tempo de sono.

Mesmo com essa falta de precisão, Cappuccio defende que, se uma pessoa acha que dorme entre seis e oito horas por noite, não deve ter que se preocupar.

RelaxingMusic / Flickr

O período de sono ideal parece ser, afinal, 7 horas pr dia - não as 8 que vulgarmente se considera.

O período de sono ideal parece ser, afinal, 7 horas pr dia – não as 8 que vulgarmente se considera.

Falta e excesso

Uma pessoa que durma mais, ou menos, do que um período de seis a oito horas por noite, aparentemente apresenta mais risco de desenvolver problemas como hipertensão, diabetes e complicações cardiovasculares.

“Quem dormir mais do que oito horas ou menos do que seis, apresenta um grande aumento do que estimamos ser o risco de desenvolver estes problemas, ou morrer mais cedo”, realça Cappuccio.

Uma análise de voluntários que participaram num estudo sobre o sono revelou um aumento de 12% nas mortes entre os que dormem menos, comparado com os que dormem seis a oito horas por noite.

Mas surpreendentemente os investigadores descobriram um aumento de 30% das mortes entre os que dormiam mais do que 8 horas por noite.

Sete horas

Apesar das provas de que as pessoas não são testemunhas fiáveis do seu próprio sono, Gregg Jacobs afirma que é possível ter uma ideia de qual é o tempo de sono ideal.

Todos os anos, na primavera, a Fundação Nacional do Sono dos EUA investiga milhares de adultos, de uma amostragem científica aleatória da população – e frequentemente são descobertas coisas interessantes.

Uma dessas descobertas é a de que “o adulto típico actualmente afirma ter sete horas de sono por noite – e na verdade, parece ser esta a duração média do sono na população adulta mundial”, afirma Jacobs à BBC. Para o cientista, talvez as sete horas de sono seja o período de sono mais natural para o cérebro.

Os estudos realizados indicam que a maioria dos adultos diz que se sente descansado e com energia depois de um período sete horas de sono e apenas 5% afirmam que se sentem sonolentos durante o dia.

Há algo nas sete horas de sono, em termos das respostas que nos dão e do que observamos em termos de saúde, este parece ser o tempo ideal para dormir”, diz Jacobs.

ZAP // BBC

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Estudos da treta… A pessoa deve dormir até acordar naturalmente. Ponto. Cada organismo é diferente. Cada pessoa tem o seu padrão de sono, se estiver sempre a acordar de noite, logo vai ter necessidade de dormir mais…

  2. Não importa que fumes, que bebas muito, que te drogues, que só comas fast-food, sejas viciado em açúcar, que nunca saias da frente da televisão, que faças sexo indiscriminado e sem camisinha, desde que durmas por sete horas está tudo bem, vais viver mais.

RESPONDER

Imagens mostram construção de instalação nuclear secreta em Israel

Está a ser construída uma instalação nuclear secreta em Israel, diz a Associated Press depois de analisar imagens de satélite. Os trabalhos estão a decorrer a poucos metros do antigo reator do Centro de Pesquisa …

Supremo confirma prisão efetiva de cinco anos e oito meses de João Rendeiro

O Supremo Tribunal de Justiça (STJ) rejeitou a nulidade do acórdão que proferiu em janeiro e confirmou, assim, a condenação do antigo presidente do BPP. Num acórdão datado da passada quarta-feira, e a que a agência …

Portugal regista mais 33 mortes e 1071 novos casos de covid-19

Portugal registou, este sábado, mais 33 mortes e 1071 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 1071 novos …

Ana Gomes revela que Europol está pronta para investigar o Chega

A Europol está disponível para "ajudar as autoridades portuguesas" a investigar eventuais ligações do Chega de André Ventura a "actividades criminais internacionais". É Ana Gomes quem o revela depois de ter enviado uma participação ao …

João Almeida termina Volta aos Emirados no pódio, o seu primeiro numa prova do World Tour

O ciclista português, da equipa Deceuninck-QuickStep, assegurou, este sábado, o primeiro pódio numa prova do World Tour, ao ser terceiro na Volta aos Emirados Árabes Unidos, após a sétima e última etapa. João Almeida concluiu a prova …

Alemanha vai autorizar vacina da AstraZeneca a maiores de 65 anos

A Comissão Permanente para a Vacinação na Alemanha vai alterar a recomendação que limitava o uso da vacina da farmacêutica AstraZeneca para maiores de 65 anos. O anúncio foi feito, este sábado, por Thomas Mertens, chefe da …

Éter, Teia e Tutti-Frutti. PS e PSD decidem "os bons e os maus" entre uma centena de autarcas suspeitos

PS e PSD estão na recta final da escolha dos candidatos às próximas eleições autárquicas e os dois partidos coincidem na forma como estão a avaliar os potenciais candidatos que estão envolvidos em processos judiciais. …

"Lei Khashoggi". Estados Unidos restringem vistos a 76 cidadãos sauditas

Os Estados Unidos anunciaram a restrição à atribuição de vistos a 76 cidadãos da Arábia Saudita acusados de "ameaçar dissidentes no estrangeiro", nomeadamente o jornalista saudita assassinado, em outubro de 2018, na Turquia. Segundo o secretário …

OMS quer isenção de direitos de propriedade intelectual para vacinas

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reclamou, esta sexta-feira, o uso de "todas as ferramentas" para aumentar a produção de vacinas contra a covid-19, incluindo a transferência de tecnologia e a isenção de direitos de …

PS propõe que independentes possam usar símbolos e siglas nas freguesias

A líder parlamentar do PS anunciou, este sábado, que o partido vai apresentar duas alterações à lei eleitoral autárquica através de um projeto de lei que deverá entrar no Parlamento na segunda-feira. Em declarações ao jornal …