Depois do relatório da ONU, Governo de Maduro liberta prisioneiros

(h) Miraflores Press Office

Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, pediu diretamente a Nicolás Maduro para libertar prisioneiros. O pedido foi acedido no mesmo dia em que foi divulgado um relatório que acusa o Governo venezuelano de “homicídios extrajudiciais e detenções arbitrárias”.

Esta sexta-feira, a ONU divulgou um relatório sobre a Venezuela no qual responsabiliza as autoridade do país pela morte de quase 5300 pessoas em operações de segurança. Precisamente no mesmo dia em que foi divulgado o relatório, o Governo de Nicolás Maduro anunciou a libertação de 22 prisioneiros.

Entre eles, segundo o Expresso, encontram-se a juíza Maria Afiuni, detida em 2010. A juíza cumpriu parte da pena em prisão domiciliária e foi condenada de novo em março deste ano a cinco anos de prisão por “corrupção espiritual”. O jornalista Braulio Jatar, que foi preso em 2016 depois de feito a cobertura jornalística de protestos contra Nicolás Maduro na Ilha de Margarita, também foi libertado.

Contudo, no Twitter, o jornalista esclareceu esta sexta-feira que foi apenas parcialmente libertado, uma vez que se encontra impedido de viajar para outros estados venezuelanos e obrigado a apresentar-se às autoridades de duas em duas semanas. Além deles, foram libertados 20 estudantes.

Michelle Bachelet, alta comissária da ONU e autora do relatório, confirmou a libertação. O relatório acusa o Governo de Maduro de afastar opositores e criar um ambiente de medo entre a população de modo a assegurar a sua manutenção no poder.

Segundo o documento, foram registadas quase 5300 mortes em operações de segurança no ano passado, tendo o Governo alegado que “resistiram à autoridade”. Só até maio deste ano já foram registadas outras 1569 mortes. Muitas delas, refere o documento, “podem constituir execuções extrajudiciais”.

São também denunciados “atos de tortura e tratamento desumano nas prisões, com recurso a choques elétricos, violência sexual, privação de água e comida, exposição a temperaturas extremas”, e a conhecida técnica, que foi bastante usada nos Estados Unidos contra prisioneiros acusados de terrorismo, do “waterboarding” (afogamento simulado).

Bachelet reuniu-se recentemente com o Presidente Nicolás Maduro em Caracas, a quem terá pedido diretamente, segundo informou um porta-voz, para libertar prisioneiros.

A divulgação do relatório já era expectável, sobretudo depois de ter ficado acordado que a alta comissária deixaria uma equipa técnica especializada no país para continuar a avaliar a situação. No entanto, o Governo não reagiu bem, considerando a avaliação “parcial” e omissa, e criticando a metodologia usada, que “privilegia fontes que carecem de objetividade e exclui quase na totalidade a informação oficial”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Salvadores brancos". Organização vai acabar com as viagens de celebridades a África

A organização Comic Relief vai deixar de enviar celebridades como Ed Sheeran ou Stacey Dooley para fazerem filmes promocionais em países africanos após decidir que a abordagem reforça estereótipos ultrapassados sobre “salvadores brancos”. Além de acabar …

Tragédia no Canal da Mancha. Quatro migrantes morreram em alto mar após Governo rejeitar rota segura

De acordo com as autoridades francesas, quatro migrantes - incluindo duas crianças de cinco e oito anos - morreram ao tentar chegar ao Reino Unido de barco através do Canal da Mancha. O pequeno barco …

Detidos 21 suspeitos de desviarem fundos para financiar Puigdemont na Bélgica

A operação da polícia espanhola contra o alegado desvio de fundos públicos para financiar as despesas do ex-presidente regional catalão Carles Puigdemont fugido na Bélgica resultou hoje em 21 detidos ligados ao movimento independentista na …

Ativista detido depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Museu do Louvre

Mwazulu Diyabanza foi detido na semana passada em Paris, depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Louvre. O ativista congolês disse que a ação foi parte de um protesto para que os museus europeus …

Proteção Civil do Porto já pediu recolher obrigatório e recomenda novo estado de emergência

A Proteção Civil do distrito do Porto já avançou com o pedido ao Governo de recolher obrigatório para a região. Marco Martins sugere ainda o regresso ao estado de emergência. Marco Martins, responsável pela proteção Civil …

Exames nacionais de 2021 mantêm normas excecionais criadas no anterior ano letivo

Os professores vão voltar a contabilizar, na classificação dos próximos exames nacionais, apenas as respostas às perguntas obrigatórias e àquelas em que o aluno tenha melhor pontuação, à semelhança das normas excecionais aplicadas no ano …

PSD-Madeira critica preços "pornográficos" e "obscenos" nas viagens da TAP no Natal

O PSD-Madeira voltou nesta quarta-feira a criticar os preços praticados pela TAP nas viagens para a região, referindo que na época do Natal chegam a atingir 1.143 euros, e considerou os valores “pornográficos” e “obscenos”. “São …

Autarca de Roma revela que máfia italiana planeou um ataque contra si e a sua família

A presidente da Câmara de Roma, Virginia Raggi, revelou que grupos do crime organizado planearam matá-la e a sua família porque ela os estava a atacar em partes da capital italiana que dominam. Aos 37 anos, …

OE2021. "Quem vota contra quer outro modelo ou desistiu de melhorar o SNS", diz Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido, sustentou esta quarta-feira que os partidos que vão votar contra o Orçamento do Estado para 2021 querem outro modelo de sistema de saúde ou desistiram de melhorar o SNS. Numa …

Mais 3.960 casos e 24 mortes. É o pior dia desde o início da pandemia

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 3.960 casos positivos e 24 mortes por covid-19. Os dados foram divulgados no mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Este foi o pior dia desde o …