Depois do relatório da ONU, Governo de Maduro liberta prisioneiros

(h) Miraflores Press Office

Michelle Bachelet, alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, pediu diretamente a Nicolás Maduro para libertar prisioneiros. O pedido foi acedido no mesmo dia em que foi divulgado um relatório que acusa o Governo venezuelano de “homicídios extrajudiciais e detenções arbitrárias”.

Esta sexta-feira, a ONU divulgou um relatório sobre a Venezuela no qual responsabiliza as autoridade do país pela morte de quase 5300 pessoas em operações de segurança. Precisamente no mesmo dia em que foi divulgado o relatório, o Governo de Nicolás Maduro anunciou a libertação de 22 prisioneiros.

Entre eles, segundo o Expresso, encontram-se a juíza Maria Afiuni, detida em 2010. A juíza cumpriu parte da pena em prisão domiciliária e foi condenada de novo em março deste ano a cinco anos de prisão por “corrupção espiritual”. O jornalista Braulio Jatar, que foi preso em 2016 depois de feito a cobertura jornalística de protestos contra Nicolás Maduro na Ilha de Margarita, também foi libertado.

Contudo, no Twitter, o jornalista esclareceu esta sexta-feira que foi apenas parcialmente libertado, uma vez que se encontra impedido de viajar para outros estados venezuelanos e obrigado a apresentar-se às autoridades de duas em duas semanas. Além deles, foram libertados 20 estudantes.

Michelle Bachelet, alta comissária da ONU e autora do relatório, confirmou a libertação. O relatório acusa o Governo de Maduro de afastar opositores e criar um ambiente de medo entre a população de modo a assegurar a sua manutenção no poder.

Segundo o documento, foram registadas quase 5300 mortes em operações de segurança no ano passado, tendo o Governo alegado que “resistiram à autoridade”. Só até maio deste ano já foram registadas outras 1569 mortes. Muitas delas, refere o documento, “podem constituir execuções extrajudiciais”.

São também denunciados “atos de tortura e tratamento desumano nas prisões, com recurso a choques elétricos, violência sexual, privação de água e comida, exposição a temperaturas extremas”, e a conhecida técnica, que foi bastante usada nos Estados Unidos contra prisioneiros acusados de terrorismo, do “waterboarding” (afogamento simulado).

Bachelet reuniu-se recentemente com o Presidente Nicolás Maduro em Caracas, a quem terá pedido diretamente, segundo informou um porta-voz, para libertar prisioneiros.

A divulgação do relatório já era expectável, sobretudo depois de ter ficado acordado que a alta comissária deixaria uma equipa técnica especializada no país para continuar a avaliar a situação. No entanto, o Governo não reagiu bem, considerando a avaliação “parcial” e omissa, e criticando a metodologia usada, que “privilegia fontes que carecem de objetividade e exclui quase na totalidade a informação oficial”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Zara, 19 anos, quer ser a mulher mais nova de sempre a voar sozinha à volta do mundo

Uma jovem, de 19 anos, pôs mãos à obra para levar a cabo um "gap year" (o chamado ano sabático) com um propósito muito fora do comum: tornar-se a mulher mais nova de sempre a …

Francês diz ter usado método matemático para ganhar o Euromilhões

O francês, que não quis revelar a sua fórmula à imprensa, ganhou, no dia 11 de junho, 30 milhões de euros com a combinação com a qual jogava há um mês. A história foi contada, esta …

Mais de metade da população portuguesa já tem a vacinação completa

Mais de metade da população residente em Portugal (52%) já tem a vacinação completa contra a covid-19, revela o relatório semanal de vacinação divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último relatório semanal …

Campeão olímpico criou problemas no seu país natal

Richard Carapaz, medalha de ouro no ciclismo, foi direto: "O país nunca acreditou em mim". Presidente do Equador, ministro e Comité Olímpico reagiram. Poucos dias depois de ter subido ao pódio final da Volta a França …

Jovens preocupados com fertilidade e efeitos secundários das vacinas contra a covid-19

Com o avanço das campanhas de vacinação, um grande número de pessoas das faixas etárias baixo dos 30 anos mostra-se relutante em tomar a vacina contra a covid-19. Os jovens falam de preocupações com fertilidade …

Clarisse: dois gestos que ficam para a memória olímpica

Clarisse Agbégnénou foi campeã olímpica no judo, pela primeira vez - mas a atitude que demonstrou, mal venceu a final, ficará também para os registos. Campeã mundial cinco vezes, mais duas medalhas de prata. Cinco medalhas …

Sindicatos avançam com ações legais para travar despedimento coletivo na TAP

Os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP vão avançar com ações legais para travar o despedimento coletivo que a empresa iniciou na segunda-feira, que abrange 124 profissionais. "Até agora houve conversa, a partir de agora …

Ginastas alemãs usam fato integral para combater sexualização da modalidade

Ao contrário do que acontece com os ginastas masculinos, que podem optar por calções ou calças, as mulheres competem, desde o início da modalidade, de bodies que expõem grande parte do seu corpo. Quando, no último …

Tribunal europeu dá razão à SIC e condena Estado por violar liberdade de expressão

Portugal foi condenado pelo Tribunal Europeu dos Direitos do Homem (TEDH) por violação da liberdade de expressão num caso em que a SIC foi obrigada a indemnizar um ex-deputado do PS por ofensa à sua …

Misturar doses da AstraZeneca e da Pfizer aumenta até seis vezes as defesas contra covid-19

Um novo estudo realizado na Coreia do Sul concluiu que o número de anticorpos contra a covid-19 aumentou seis vezes em quem misturou as doses da AstraZeneca e da Pfizer em relação a quem tomou …