Diretor-Geral nomeado por Galamba tinha sido afastado do cargo por erros “com impacto negativo”

André Kosters / Lusa

O deputado do Partido Socialista (PS), João Galamba

O novo Diretor-Geral da Energia nomeado pelo secretário de Estado João Galamba tinha sido afastado das funções por “falhas”, segundo a justificação avançada pelo homem que agora vai substituir.

O Governo escolheu João Correia Bernardo para o cargo de diretor-geral da Energia e Geologia (DGEG), depois da “cessação das comissões de serviço” dos anteriores dirigentes da entidade.

Sai assim Mário Guedes, que era o líder da DGEG desde abril de 2017, e que foi escolhido pelo anterior secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches. Depois da entrada de João Galamba, que assumiu esta pasta, foi decidida a cessação da comissão de serviço do diretor.

Segundo um despacho de março deste ano, publicado em Diário da República, e assinado por Mário Guedes, João Bernardo saiu do cargo de diretor de Serviços de Sustentabilidade Energética, que ocupava nessa altura, com uma avaliação negativa.

Entre as razões invocadas, está a circunstância de, no exercício das suas funções, terem ocorrido “vários factos que determinam a necessidade de imprimir uma nova orientação à gestão da identificada direção de serviços, designadamente falhas no cumprimento das atribuições, com impacto negativo no serviço público”.

No mesmo despacho, Mário Guedes, que foi diretor-geral da Energia até sexta-feira, referia a “perceção de urgência numa mudança na gestão daquela direção”, para além da necessidade de imprimir uma nova orientação para permitir “uma atuação mais eficaz e a melhoria da capacidade e qualidade de resposta e relacionamento que se exige a um serviço público”.

No entanto, o afastamento de João Correia Bernardo, um quadro com muitos anos de DGEG, teve outras leituras na altura. Segundo o jornal Ambiente Online, Correia Bernardo terá sido afastado depois de ter criticado internamente a transposição da diretiva sobre biocombustíveis.

O então diretor terá mesmo proposto a revogação do diploma numa informação enviada à tutela na qual apontava para erros, omissões e competências mal atribuídas.

Sem comentários

Contactado pelo Observador, o ex-diretor-geral não quis fazer comentários a esta decisão. O jornal contactou também o secretário de Estado da Energia, João Galamba, que não quis fazer comentários.

Com a escolha de João Correia Bernardo, a nova tutela dá preferência a um homem que tem boa cotação junto de antigos responsáveis da área da energia, bem como na própria DGEG, em aparente contradição com as críticas no despacho em que foi justificada a sua cessação de funções.

Mário Guedes, que foi agora afastado do cargo de diretor-geral, era engenheiro de minas. Não era um quadro da DGEG e tinha passado pelo gabinete do anterior secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, mas tinha sido nomeado dois meses antes como diretor-geral por cinco anos, após concurso da Cresap (Comissão de Recrutamento e Seleção da Administração Pública).

Em comunicado, o Ministério do Ambiente justifica este afastamento com a reestruturação da DGEG, um processo que vem já do tempo do antecessor de João Galamba, Jorge Seguro Sanches, e que passou pela transferência para este organismo das competências de licenciamento da pesquisa e exploração de petróleo.

Foi a reestruturação da Direção-Geral da Energia e Geologia que abriu o espaço legal para o afastamento da direção do organismo, isto porque, com a mudança da lei orgânica por causa das novas competências, publicada em setembro, cessaram automaticamente de funções os diretores-gerais.

Apesar da cessação automática de funções da estrutura diretiva da DGEG, a nova tutela teria a opção de reconduzir os diretores, opção que tomou em relação à subdiretora-geral Maria Cristina Lourenço, tendo afastado o diretor-geral e a subdiretora que tinha sido nomeada para as novas competências na área do petróleo.

A Direção-Geral de Energia e Geologia (DGEG) é o organismo com mais poderes na energia na dependência do Governo, com competências nas áreas de licenciamento, fiscalização e regulamentação de vários setores, do petróleo às minas, passando pela eletricidade e eficiência energética.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Maravilha.
    Um diretor incompetente reabilitado e recolocado no lugar pelo trogló deste galambado. Palavras para quê?!
    Não acordes, não, ó Costa…!

RESPONDER

Sudão aprova criminalização da mutilação genital feminina

O Conselho Soberano, a mais alta autoridade do Sudão, aprovou a criminalização da mutilação genital feminina (MGF), uma prática muito antiga que continua generalizada no país, anunciou o Ministério da Justiça. O Conselho Soberano, composto por …

Andrzej Duda reeleito Presidente da Polónia

O chefe de Estado polaco venceu a segunda volta das eleições Presidenciais com 51,21% dos votos, derrotando o liberal Rafal Trzaskowski, anunciou, esta segunda-feira, a Comissão Eleitoral. Segundo a Comissão Eleitoral, Andrzej Duda conseguiu a reeleição …

Manifestantes criticam escolha de Macron para o Ministério do Interior. Ministro é acusado de violação

Ativistas dos direitos das mulheres protestaram, em França e no estrangeiro, contra a nomeação do novo ministro do Interior, acusado de violação, e do ministro da Justiça, que ridicularizou o movimento #MeToo. Ativistas dos direitos das …

Cinco meses depois, chefes de diplomacia da UE voltam a reunir-se em Bruxelas

A reunião contempla temas como o impacto da pandemia, a situação na Líbia, Hong Kong e na Venezuela, as relação da União Europeia com a Índia e África e o Processo de Paz do Médio …

Há 12 países que conseguiram escapar à pandemia

Tendo em conta os casos registados e comunicados oficialmente pelas autoridades, há 12 países no mundo que não registam qualquer caso de infeção. Segundo a universidade norte-americana Johns Hopkins, a covid-19 chegou a 188 países, mas, …

"Prisioneira em casa" há 4 meses. Algarvia já fez 14 testes e não se livra do coronavírus

A algarvia Tânia Poço está infectada com o novo coronavírus há quatro meses. Nesta altura, já não tem sintomas de covid-19, mas os testes que tem feito continuam a assinalar a presença do vírus naquele …

Mais duas mortes e 306 novos casos em Portugal

Portugal regista, esta segunda-feira, mais duas mortes e 306 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo. Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), dos 306 novos casos (aumento de 0,7%), 254 são …

15.299 casos num só dia. Florida bate recorde

Este domingo, o estado norte-americano registou 15.299 casos no espaço de 24 horas. Se a Florida fosse um país, seria o quarto com mais casos de covid-19 em todo o mundo. O estado da Florida, nos …

Partidos de Direita vencem eleições na Galiza e País Basco

As eleições regionais disputadas hoje em Espanha fortaleceram os partidos no poder, com o Partido Popular (direita) a alcançar a quarta maioria absoluta consecutiva na Galiza e o Partido Nacionalista Basco (PNV-centro-direita) a triunfar no …

Processo de sucessão de António Costa "já começou" (e há "coisas muito estranhas" na EDP)

O comentador Luís Marques Mendes disse, no seu habitual espaço de comentário de domingo, que “a guerra da sucessão de António Costa já começou", acrescentando que “os delfins de António Costa andam especialmente ativos“. Para o …