Décadas após a sua morte, Van Gogh “pagou” cuidados médicos da irmã

Van Gogh Museum / wikimedia

Auto-Retrato de Vincent Van Gogh

Vincent van Gogh viveu pobre ao longo da sua vida, que terminou em suicídio. No entanto, duas décadas depois, as pinturas que deu à irmã foram vendidas para pagar a sua estadia num hospital psiquiátrico.

Willemien, a mais nova das três irmãs de Van Gogh, partilhava o seu amor pela arte e literatura e, como ele, lutava contra a saúde mental. Enquanto Van Gogh foi internado depois de cortar parte da sua orelha, a sua irmã ficou internada durante quase 40 anos até à sua morte em 1941.

De acordo com cartas da irmã mais velha, Anna, publicadas num novo livro, Willemien vendeu um quadro que Vincent lhe dera, permitindo-lhe pagar as despesas médicas. “Lembro-me de quando Wil recebeu o quadro de Vincent, mas que figura! Quem teria pensado que Vincent contribuiria para a manutenção de Wil dessa forma?”, escreveu Anna, em 1909, segundo o jornal britânico The Guardian.

Anna, que tinha trabalhado como assistente de professora em Inglaterra, escrevia para Jo Bonger, esposa do irmão de Van Gogh, Theo, que era um negociante de arte e sempre acreditou no talento de Vincent quando outros não.  “Theo sempre afirmou que isso aconteceria, mas que reviravolta imprevista, resultados tão surpreendentes”, escreveu Anna.

A irmã também escreveu sobre a existência vazia de Willemien no hospital: “O único livro que às vezes lê é Aurora Leigh [de Elizabeth Barrett Browning] e, nas outras vezes, apenas se senta e costura para as enfermeiras… De manhã, senta-se na varanda a alimentar os pássaros, mas se uma enfermeira tenta dar um passeio no jardim com ela, recusa-se”.

 

Anna escreveu sobre a compra dos seus “chinelos de couro macio” para confortá-la: “Tento todo o tipo de coisas e continuo à espera que algo chegue até ela”.

No entanto, a condição da irmã mais nova piorou com o passar dos anos.

Uma em centenas de cartas secretas

Esta é apenas uma das centenas de cartas não publicadas escritas pelas irmãs, os seus amigos e familiares que farão parte de um livro chamado “The Van Gogh Sisters”, que dará uma visão da tragédia e turbulência das suas vidas.

“As letras estão apenas em holandês, por isso nunca estiveram disponíveis… e não em inglês”, disse Willem-Jan Verlinden, historiador de arte holandês e autor do livro. “As irmãs de Van Gogh tiveram de vender as suas pinturas para ganhar a vida. À medida que se tornava cada vez mais famoso e os preços das suas pinturas subiam, ele estava, de certa forma, a sustentar as suas irmãs, mesmo muito depois de falecer”.

Outro material inclui a correspondência da amiga de Willemien, Margaretha Meijboom, cujo próprio irmão tinha um histórico de problemas de saúde mental. Quando chegou a notícia de que Van Gogh tinha cortado a sua própria orelha, consolou Willemien numa carta datada de 1888.

“Aquele pobre homem, que terrível, tão doente – quero dizer, daquela forma – e ainda por cima, tão longe… Compreendo perfeitamente os seus sentimentos… Ir para um hospício soa desagradável, mas sabia que um especialista recomendaria não adiar durante muito tempo? Os pacientes sofrem menos porque recebem o tratamento certo, escreveu.

As cartas estão guardadas nos arquivos do Museu Van Gogh, em Amesterdão. “Esta é uma verdadeira mina de ouro, com observações maravilhosas. Quero fazer uma pesquisa sobre o que os membros da família dizem sobre Vincent. Eles são tão interessantes. Um por um, pretendemos publicá-los num futuro próximo”, disse Hans Luijten, investigador e autor de uma biografia futura “All for Vincent”.

Van Gogh trocou Paris pelo sul da França em 1888, dizendo que estava cansado do ritmo frenético da vida parisiense. No sul, o artista cortou parte da sua orelha esquerda durante um episódio de doença mental. Mais tarde, suicidou-se, disparando um revólver contra o seu peito perto de Paris em julho de 1890.

Maria Campos, ZAP //

 

 

 

 

 

 

PARTILHAR

RESPONDER

Prosecco ou prošek? A batalha da UE entre Itália e Croácia por causa de vinho

Prosecco é provavelmente o vinho italiano mais famoso, mas por trás da efervescência deste néctar, a Itália está numa grande disputa sobre se a Croácia pode vender um vinho de sobremesa com o nome de …

China vai limitar abortos. E nada tem a ver com saúde

A China vai reduzir o número de abortos realizados por motivos que não estejam relacionados com a saúde, anunciou o governo esta segunda-feira, avançando que serão também criadas medidas para evitar a gravidez indesejada. As autoridades …

Crónica ZAP - Linha de Fundo por Teófilo Fernando

Linha de Fundo: SL7, arte e paciência

Líder soma e segue. Leões e dragões vencem à justa. As frases e os números da semana. Visto da Linha de Fundo. Líder reina no castelo Vitória SC 1 (Bruno Duarte 78', g.p.) – SL Benfica …

"Atropelamento e fuga." Terra e Vénus cresceram como planetas rebeldes

Planetas como a Terra e Vénus, que residem dentro de Sistemas Solares, são fruto de repetidas colisões. Esta conclusão desafia os modelos convencionais sobre a formação de planetas. Investigadores do Laboratório Lunar e Planetário (LPL) da …

A origem do "Gigante de Segorbe" pode finalmente ter sido esclarecida

Um novo estudo revela que a origem do "Gigante de Segorbe" pode ser bastante mais complexa daquilo que se pensava. O "Gigante de Segorbe", como é conhecido, foi um indivíduo encontrado por arqueólogos numa necrópole islâmica …

Instagram suspende planos de uma versão da aplicação para crianças

Para já, a empresa ainda não fez se se trata de um abandono temporário ou definitivo. Tempestade mediática em torno da influência das redes sociais na saúde mental dos jovens, sobretudo raparigas, pode ter influenciado …

Com todos os votos contados, PS vence com pior resultado que em 2013 e PSD conquista 113 câmaras

PS continua a ser o partido com mais representação autárquica em Portugal, apesar de cair para números anteriores à liderança de António Costa. PSD recupera das hecatombes de 2013 e 2017. Quase 24 horas depois após …

Presidente sul-coreano admite proibir consumo de carne de cão

O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, admitiu, esta segunda-feira, a possibilidade de proibir o consumo de carne de cão, costume que se tornou "uma vergonha internacional", segundo fonte do seu gabinete. "Não terá chegado …

Pelo menos 24 países criaram novas leis para controlar o conteúdo na Internet, revela relatório

Autoridades de pelo menos 24 países, incluindo os Estados Unidos (EUA), estabeleceram novas regras que determinam o tratamento dos conteúdos por parte das plataformas 'online', concluiu um relatório da Freedom House. No seu relatório anual, intitulado …

Exames nacionais e provas de aferição deverão “retomar a normalidade” este ano

Depois de dois anos letivos condicionados pela pandemia da covid-19, o Governo está apostado em retomar, entre outras formas de avaliação, a obrigatoriedade de exames nacionais nas disciplinas de conclusão do ensino secundário. Os exames nacionais …