Costa diz que só soube do memorando de Tancos no dia da demissão de Azeredo

Paulo Cunha / Lusa

O primeiro-ministro, António Costa, diz que só soube do memorando da Polícia Judiciária Militar (PJM) sobre o assalto a Tancos no dia em que o então ministro da Defesa, Azeredo Lopes, apresentou a sua demissão.

A afirmação do líder do Executivo faz parte das respostas que António Costa escreveu aos deputados da Comissão Parlamentar de Inquérito a Tancos, noticia o Expresso.

Logo nas primeiras questões, noticia o semanário, o primeiro-ministro diz que recebeu o memorando da PJM na manhã de 12 de outubro de 2018, data em que Azeredo Lopes se demitiu. “Foi-me presente pelo meu chefe de gabinete um documento não assinado, não datado e não timbrado”, escreveu.

De acordo com António Costa, o documento foi-lhe entregue pelo assessor militar, o major-general Tiago Vasconcelos, “a quem pouco tempo antes nesse mesmo dia fora facultado pelo tenente-general Martins Pereira [chefe de gabinete de Azeredo Lopes]”.

“Nesse documento refere-se a existência de um informador“, acrescentou.

Na resposta por escrito à Comissão de Inquérito, António Costa negou ter tido conhecimento do memorando em causa antes de 12 de outubro. Um ano antes, recorda o Expresso, o ex-diretor da PJM e um investigador daquela polícia tinham entregado esse documento ao chefe de gabinete de Azeredo Lopes.

António Costa assegura que nesse mesmo dia de 12 de outubro mostrou o memorando ao então ministro da Defesa. “Dessa reunião, fiquei com a convicção de que o ex-ministro da Defesa Nacional nunca o tinha visto anteriormente“. Foi também neste encontro que Azeredo Lopes apresentou demissão da pasta da Defesa.

“Constatei tratar-se de algumas folhas de papel sem timbre, data, rubrica ou assinatura, epígrafe, contendo assunto ou registo de qualquer tipo que permitisse identificar a sua origem”, escreveu Costa sobre as conclusões que tirou após ler o documento.

E acrescentou: “Aparentemente, descreve um conjunto de técnicas e procedimentos operacionais que teriam sido empreges pela Polícia Judiciária Militar para recuperar o material que fora furtado em Tancos. A leitura do mesmo revela: a) o objetivo preciso de recuperar o material roubado; b) a preocupação em salvaguardar a identidade de um informador; e c) indicia que a PJM procurou ocultar à Polícia Judiciária o conhecimento desta operação”.

António Costa frisou que o Governo não desvalorizou o roubou, tendo também defendido Azeredo Lopes. “O Governo em nenhum momento desvalorizou a ocorrência de Tancos (…) [Azeredo] transmitiu-me sempre, em todos os assuntos, a informação que considerou relevante ou que eu solicitei”, afirmou por duas vezes, citado pelo Expresso.

O assalto aos paióis de Tancos ocorreu em junho de 2017, tendo já o caso 21 arguidos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Sergio Moro diz que sai do Governo caso se provem irregularidades

O ministro da Justiça brasileiro reiterou a sua inocência no Senado, esta quarta-feira, mas afirmou que deixa o cargo caso se provem irregularidades nas mensagens trocadas com procuradores da Operação Lava Jato. "Estou absolutamente convicto das …

Nuvens brilhantes invadiram o céu de Espanha. Foi um "espetáculo quase inédito"

Este fim de semana, as nuvens noctilucentes (que em latim significa “brilho noturno”) ou nuvens mesosféricas polares foram vistas em Espanha. Surgem antes do amanhecer ou depois do pôr do sol, a sua cor varia normalmente …

Luís Enrique deixa comando da seleção espanhola (e já tem substituto)

Luis Enrique foi obrigado a abandonar o cargo de selecionador espanhol devido a um problema familiar que se arrasta desde março. “As razões que me impediram, desde março, de exercer normalmente as minhas funções de treinador …

Urso polar localizado em cidade russa longe do habitat natural

Um urso polar emagrecido foi visto numa cidade industrial da Sibéria, afastado para sul dos seus territórios de caça. As entidades de emergência da cidade de Norilsk, no Ártico Russo, alertaram na terça-feira os residentes locais …

Teixeira dos Santos não se arrepende de ter nomeado Vara e Santos Ferreira

O ex-ministro das Finanças disse, esta quarta-feira, no Parlamento que não tem "razões para se arrepender" de ter nomeado Armando Vara e Carlos Santos Ferreira para a administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD). "Até este …

Rio disponível para acordo com PS na Lei de Bases da Saúde

O presidente do PSD considera haver margem para um acordo com o PS para uma nova Lei de Bases da Saúde, estando os sociais-democratas a identificar as propostas que considera essenciais, nas quais inclui as …

Boris Johnson soma e segue. Rory Stewart eliminado

O ministro para o Desenvolvimento Internacional, foi eliminado, esta quarta-feira, da eleição interna para a sucessão de Theresa May no partido conservador e para assumir o cargo de primeiro-ministro britânico, restando assim quatro dos dez …

Homem detido por suspeitas de envolvimento na morte de Emiliano Sala

Um homem de 64 anos, de North Yorkshire, no Reino Unido, foi detido esta quarta-feira por alegado envolvimento na morte do futebolista Emiliano Sala. A polícia de Dorset anunciou, esta tarde, a detenção de um homem …

População mundial pode atingir os 10 mil milhões em 2050

A população mundial está a ficar mais velha e a crescer a um ritmo mais lento, mas espera-se que suba dos atuais 7,7 mil milhões para 9,7 mil milhões em 2050, segundo o novo …

Três russos e um ucraniano acusados de terem derrubado o voo MH17

Quatro suspeitos vão ser julgados por homicídio, acusados de terem provocado a queda do avião do voo MH17 da Malasyia Airlines, ao terem disparado um míssil russo, a partir da zona separatista da Ucrânia. De acordo …