Consumo de refrigerantes baixou após introdução de novos impostos

Os novos escalões de impostos para bebidas açucaradas podem ter feito com que os portugueses consumam menos refrigerantes.

A receita fiscal obtida pelo Estado com este imposto baixou desde que as novas regras foram implementadas. Além disso, mais de três quartos das vendas são de bebidas com menos açúcar, de acordo com os dados do Ministério da Saúde enviados ao Jornal de Notícias.

Em 2017 o Estado arrecadou 69,95 milhões de euros com o imposto sobre bebidas açucaradas. Em 2018, 71,7 milhões de euros. Nesse período, só havia dois escalões para o imposto: a indústria tinha de pagar 8,22 euros por hectolitro no caso das bebidas com teor de açúcar inferior a 80 gramas por litro; e 16,69 euros por hectolitro se as bebidas tivessem pelo menos 80 gramas de açúcar por litro.

As regras mudaram e há agora quatro escalões de impostos. De acordo com os dados do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS) da Direção-Geral de Saúde (DGS), paga-se 1 euro por hectolitro no caso das bebidas com menos de 25 gramas de açúcar por litro; 6 euros em bebidas com entre 35 e 49 gramas por litro; 8 euros nos sumos com 50 a 79 gramas por litro; e 20 euros por hectolitro pelas bebidas com 80 gramas de açúcar ou mais por litro.

De janeiro a agosto deste ano, o imposto especial sobre o consumo de bebidas açucaradas e adicionadas de edulcorantes rendeu aos cofres do Estado 36,6 milhões de euros. Segundo o JN, os novos impostos podem significar uma redução de 15 milhões de euros na receita fiscal do Estado em relação ao ano passado. A verificar-se o mesmo ritmo de comercialização registado nos primeiros oito meses do ano, os impostos sobre estas bebidas vão render apenas 55 milhões de euros.

Em declarações ao mesmo jornal, Maria João Gregório, diretora do PNPAS, disse que “a diminuição da receita já era expectável”. A nutricionista defendeu ao JN que esta “foi uma opção política” que “mostra que este imposto não tem o objetivo de aumentar a receita do Estado, mas de melhorar a saúde dos portugueses”, afirmou Maria João Gregório.

Os dados mostram que os portugueses preferem cada vez mais as bebidas menos açucaradas. Em 2017, esse tipo de sumos representavam 62% das vendas. Este ano a percentagem já subiu para os 78%. Assim, a população comprou mais bebidas “zero” ou “light” em vez das receitas originais dos refrigerantes mesmo com o aumento dos preços.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …