Criação de comissões está a travar pagamentos com MB Way

Os pagamentos através do MB Way diminuíram a partir do anúncio do BPI sobre a criação de uma comissão de 1,20 euros a aplicar às transferências de dinheiro realizadas através deste serviço.

A referida comissão, a cobrar a partir de maio aos clientes com menor envolvimento com o banco (que não utilizam a app BPI e não subscrevam a sua Conta Valor), criou uma elevada desconfiança entre os utilizadores dessa funcionalidade, visível no número de transações que passam pela EUPAGO, empresa portuguesa especializada no apoio a pagamentos realizados através da Internet.

A criação da comissão do BPI, comunicada em fevereiro aos clientes, acabou por chamar à atenção para o que estava previsto nos preçários de vários bancos, que ainda não cobram qualquer valor, mas já têm acautelada essa possibilidade, em montantes que variam entre 0,15 cêntimos e 1,50 euros, por cada ordem.

Embora nas operações de pagamento online “o consumidor nunca seja debitado pelo pagamento online, a sua perceção enquanto utilizador foi afetada pelo ruído mediático que se gerou em torno do tema”, disse ao Público José Veiga, presidente executivo (CEO) da EUPAGO, empresa que no ano passado “geriu” 400 milhões de euros de pagamentos.

“Na vertente dos comerciantes que aderiram ao MB Way, para receber dos seus clientes, notámos uma quebra significativa na sua cobrança na altura da notícia”, adianta.

Em crescimento acelerado desde o início de 2018, para cerca 1,25 milhões de utilizadores atuais, os dados da tecnológica financeira EUPAGO mostram uma quebra na utilização deste tipo de pagamentos, que será transversal a outras entidades financeiras.

Depois de uma utilização muito elevada em novembro e em dezembro (Natal), com percentagens de 7% e 5% no volume de pagamentos, os números caíram nos primeiros meses do ano. Em janeiro, mês de maior contenção nas compras, os pagamentos com MB Way representaram 4,03% do total dos 394 milhões de euros de transações que passaram pela empresa de José Veiga.

Em fevereiro, já depois da polémica aberta pelo BPI, a percentagem caiu ainda mais, para 3,74%, num universo 373 mil transações. Embora ainda incompleto, os primeiros dias março parecem acentuar a tendência de queda.

A SIBS, entidade gestora do Multibanco, que recentemente remeteu para os bancos a responsabilidade pelo comissionamento do serviço, que já é pago pelos comerciantes no caso dos pagamentos, adiantou que “há mais de 1,25 milhões de utilizadores da aplicação, que fazem cerca de três milhões de operações por mês, confirmando a preferência dos portugueses por pagamentos móveis e imediatos”.

Numa nota enviada às redações, a SIBS desmentiu a queda nos pagamentos por MB Way, destacando que, pelo contrário, “MB WAY não só não está a decrescer em atividade, como está a crescer”. Comparando o 1º trimestre de 2019 – “que não está terminado” – com o 4º trimestre de 2018, um trimestre marcado por elevado número de operações, no Natal e na Black Friday, verifica-se um crescimento superior a 16%.

A SIBS sublinha que, no primeiro trimestre de 2019, registaram-se mais de 10.3 milhões de operações, ou seja, o número de operações triplicou face ao primeiro trimestre de 2018.

Para José Veiga, a nova ferramenta “trouxe uma clara mais-valia ao panorama dos pagamentos nacionais e, sem dúvida, que os comerciantes ganharam valor nos seus serviços ao permitir simplificar as transações”.

Porém, o gestor considera que o serviço não deveria ter sido criado sem custos para os utilizadores: “Não faz sentido que seja gratuito, porque tem custos, uma vez que funciona através de uma camada em cima de cartões bancários, estando sujeita a custos imputados pelos bancos emissores”.

Mas daí até aos custos anunciados vai uma grande distância. “Tratando-se de um passo necessário no sentido da digitalização das trocas monetárias, de pequeno valor, o seu preçário deverá ser ajustado a esse fim”, disse.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Os espanhóis mal puseram a mão no BPI aumentaram logo todas as comissões e ainda arranjaram maneira de fazer estragos no MBWay.
    Eu continuo a usar sem qualquer custo e penso que a maioria dos bancos (ainda) não está a cobrar nada.

    • Em Espanha utilizamos Apple Pay que é mais universal, já usei em vários países da Europa incluindo Portugal, além de ter usado em Singapura, Austrália e Estados-Unidos. Funciona bem e é gratuito para o utilizador.

      Acho que a SIBS é uma mais valia para os portugueses, a banca é melhor e bastante avançada em relação a outros países e com muito poucos custos para os utilizadores, mas neste sistema falharam, porque só é válido em Portugal e se agora tem custos para o utilizador, ainda pior.

      Quanto ao comentário do Sr. Veiga de “Não faz sentido que seja gratuito, porque tem custos, uma vez que funciona através de uma camada em cima de cartões bancários, estando sujeita a custos imputados pelos bancos emissores”, a resposta é simples, também não faz sentido que os bancos usem o dinheiro dos clientes para fazer investimentos e empréstimos dos quais geram lucros e agora os clientes ainda tem de pagar para operar o seu (clientes) dinheiro

RESPONDER

PayPal resiste à pandemia. Volume de pagamentos cresce 30% no segundo trimestre

O volume de pagamentos através do PayPal cresceu 30% no segundo trimestre. A empresa parece resistir à pandemia de covid-19, que abalou o setor das viagens, cujos pagamentos estão muitas vezes associados a meios eletrónicos. …

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …

Invocando Sá Carneiro, Miguel Albuquerque também defende diálogo entre PSD e Chega

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defendeu que o PSD deve dialogar com vários partidos, incluindo o Chega de André Ventura. Depois de Rui Rio admitir em entrevista à RTP que poderá vir …

Sobe para 18 o número de mortos no acidente de avião na Índia

As autoridades indianas atualizara para 18 o número de mortes no acidente com o avião da Air India Express, que voava do Dubai para Kozhikode, no sul da Índia, e que se partiu em dois …

Luz verde para reabertura de centros de dia. DGS sugere dois metros de distância entre idosos

Os centros de dia vão poder reabrir a partir de 15 de agosto, mas de forma faseada e condicionados a uma avaliação prévia da Segurança Social e entidade de saúde local sempre que funcionem juntamente …

Vacina russa para a covid-19 preocupa cientistas. País pode estar a saltar etapas

Países de todo o mundo continuam na corrida por uma vacina contra a covid-19. A Rússia diz estar prestes a anunciar a vacina, deixando preocupada a comunidade científica, ao passo que Itália avança para os …