Cinco amigas no centro da investigação a Sócrates

José Cartaxo / Flickr

José Sócrates, ex-primeiro-ministro de Portugal

José Sócrates, ex-primeiro-ministro de Portugal

Cinco amigas de José Sócrates estão no centro da investigação da Operação Marquês. De acordo com o semanário Sol, as conversas ouvidas nas escutas e até documentos que se suspeita serem falsificados indiciam que terão sido beneficiárias de empréstimos e de despesas pagas pelo ex-primeiro-ministro.

Sofia Fava, ex-mulher de José Sócrates, Alexandra, casada com um conde francês, Lígia Correia, antiga secretária de gabinetes de governantes socialistas, e outras duas mulheres, uma delas amiga de longa data, estão no centro da investigação da Operação Marquês, de acordo com o semanário.

Enquanto algumas beneficiaram da fortuna do ex-primeiro-ministro, através do pagamento de despesas, outras desempenharam um papel fundamental no esquema de circulação de dinheiro pelo qual José Sócrates e Carlos Santos Silva estão a ser investigados, montado para dar uma aparência de legalidade à origem e circulação do dinheiro acumulado em contas bancárias tituladas formalmente por Santos Silva.

De acordo com o Sol, algumas das conversas telefónicas intercetadas deram origem a dúvidas quanto à legalidade de alguns documentos assinados por Sofia Fava, ex-mulher de Sócrates, e revelaram que o socialista pagava as viagens e estadias da ex-mulher em Paris. A primeira situação estranha envolvendo Sofia Fava remonta a dezembro de 2011, quando vendeu um apartamento em Lisboa a uma empresa de Santos Silva, por 400 mil euros, que a revendeu por 250 mil euros.

Mais tarde, Sofia Fava comprou uma herdade no Alentejo – o Monte das Margaridas, em Montemor-o-Novo – através de um empréstimo de 760 mil euros do BES, que teve o amigo do ex-marido como fiador. Todos os meses, Sofia pagava 4.700 euros de prestação ao banco. No entanto, ao mesmo tempo, a ex-mulher de Sócrates tinha um contrato de prestação de serviços com uma empresa de Santos Silva, que lhe valia uma avença de cerca de cinco mil euros mensais, que eram declarados ao Fisco e cobriam a mensalidade no banco.

Outra envolvida na investigação é Alexandra, mulher de um conde francês com residência em Paris que nas conversas intercetadas era tratada por “Condessa”. José Sócrates afirma, de acordo com o semanário, que os 12 mil euros que o ligam à aristocrata “não eram dinheiro, tratava-se apenas de amizade”.

O mesmo argumento foi usado pelos arguidos para justificar os 100 mil euros emprestados a outra amiga do ex-líder socialista, cuja identidade não foi revelada. O dinheiro foi entregue por transferência bancária e usado para que esta fosse a Paris reunir-se com Sócrates.

Uma outra amiga de longa data presente nas escutas telefónicas, cujo nome também não foi mencionado, é a mulher com quem Sócrates falava do andar em Paris e da compra de outros imóveis em Lisboa, um por dois milhões de euros e outro por um milhão.

Por fim, o Sol refere ainda o nome de Lígia Correia, antiga secretária que pertenceu a vários gabinetes de governos socialistas. Segundo a publicação, Lígia, que ajudou na compra dos dez mil exemplares do livro de Sócrates, recebia quantias elevadas de dinheiro para pagar despesas pessoais do ex-primeiro-ministro – dinheiro este que era levantado das contas de Carlos Santos Silva.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Luanda Leaks. Plataforma confirma que recebeu os dados de Rui Pinto

A Plataforma de Proteção de Denunciantes na África (PPLAAF) confirmou que recebeu do 'hacker' português Rui Pinto os dados relacionados com as recentes revelações sobre a fortuna da empresária angolana Isabel dos Santos. “Muitos meios de …

Príncipe André ofereceu "zero cooperação" no caso Epstein, diz procurador

O Príncipe André ofereceu "zero cooperação" na investigação sobre os crimes do falecido investidor Jeffrey Epstein, embora o FBI e o Ministério Público de Nova Iorque tenham pedido para interrogá-lo. Segundo afirmou o procurador do distrito …

Conceição queixou-se das condições, mas a realidade é bem diferente

No fim do jogo da final da Taça da Liga, Sérgio Conceição desabafou sobre as condições em que trabalha. No entanto, a realidade mostra algo bem diferente daquilo que o treinador dá a entender. Após a …

Estado Islâmico elege Israel como "alvo específico" da sua luta

O grupo 'jihadista' Estado Islâmico (EI) afirmou na segunda-feira, através de uma mensagem áudio, pretender desencadear uma "nova fase" da sua 'jihad', ao eleger Israel como alvo específico. O apelo foi emitido quando o Presidente norte-americano …

Francisco Rodrigues dos Santos: "No CDS não existem Joacines"

O líder do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, afirmou hoje ter uma "confiança inabalável em todos os deputados" que representam o partido na Assembleia da República, e remeteu para mais tarde a questão da liderança …

Cada vez mais freiras sofrem de burnout no Vaticano

Há cada vez mais freiras a sofrerem de burnout no Vaticano. Várias irmãs denunciaram excesso de trabalho, stress, exploração laboral e abusos por parte dos superiores. Sem contrato de trabalho ou horários definidos, muitas freiras que …

"Foi uma cena de acidente devastadora". Helicóptero que matou Kobe Bryant não tinha caixa negra

As circunstâncias do acidente que provocou a morte de Kobe Bryant, da filha do ex-basquetebolista da NBA e de mais quatro pessoas, continuam a ser investigadas. Sabe-se, agora, que o helicóptero onde seguiam as vítimas …

EUA apresentam plano de paz para o Médio Oriente já condenado pela Palestina

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, apresenta esta terça-feira o seu plano de paz para o Médio Oriente, após reuniões com líderes israelitas, que poderá estar condenado ao fracasso, perante a rejeição dos …

Vacina chinesa para o coronavírus pode começar a ser testada em menos de 40 dias

A equipa chinesa que trabalha no desenvolvimento de uma vacina para combater o coronavírus de Wuhan disse que espera poder começar os testes em menos de 40 dias, informou a agência estatal Xinhua. Pelo menos 106 …

Netanyahu anuncia retirada da sua imunidade parlamentar

Benjamin Netanyahu retirou o pedido de imunidade ao Parlamento israelita contras as três acusações de que foi alvo em novembro, que envolvem casos de corrupção, fraude e abuso de confiança. O primeiro-ministro de Israel disse, em …