China diz que resposta excessiva dos EUA ao coronavírus ajudou a “espalhar o pânico”

A China acusou os Estados Unidos (EUA) de espalhar o pânico ao limitar as viagens e a evacuar os cidadãos norte-americanos daquele país por causa do coronavírus. O Governo chinês afirma que estas decisões terão contribuído para que as ações chinesas caíssem depois do feriado do Ano Novo Lunar.

O número de mortos na China causados pelo coronavírus, que surgiu em Wuhan, aumentou no domingo para 361, registando-se mais 57 que no dia anterior. Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou-o como uma emergência global. A primeira morte fora daquele país ocorreu também no domingo, nas Filipinas.

Segundo noticiou o Independent, citando a Reuters, algumas cidades chinesas, incluindo Wuhan, permanecem em confinamento e a China enfrenta um crescente isolamento internacional, que, por sua vez, acusou os EUA de espalhar o medo, ao retirar os seus cidadãos do país e ao restringir as viagens, ao invés de oferecer ajuda.

Washington “fabricou e espalhou o pânico de forma incessante”, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying. “São países desenvolvidos como os EUA, com recursos e instalações de prevenção de epidemias, que lideraram a imposição de restrições excessivas, contrárias às recomendações da OMS”, afirmou, indicando que os países devem fazer julgamentos razoáveis, calmos e baseados na ciência.

Já o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, voltou a referir que as proibições relativamente às viagens são desnecessárias. “Não há razão para medidas que interferem desnecessariamente nas viagens e no comércio internacional”, disse, convidando “todos os países a tomarem decisões consistentes e baseadas em evidências”.

A China já afirmou que é necessário que a comunidade internacional trate o vírus de uma forma objetiva e justa, não devendo “criar pânico deliberadamente” entre a população. O país continuará a adotar uma “atitude responsável” em relação à saúde pública, implementando medidas de controlo para impedir a propagação do vírus.

As consequências do vírus, contudo, fizeram-se sentir nas ações chinesas, que caíram quase 8%. As ‘commodities’ negociadas em Xangai, desde o petróleo até ao cobre, atingiram os limites máximos de queda. Estes resultados ocorreram apesar da injeção do banco central de cerca de 156 mil milhões de euros.

Wu Hong / EPA

De acordo com o Independent, quando as bolsas de valores reabriram, a maioria das províncias chinesas prolongou o feriado do Ano Novo Lunar para tentar conter o vírus. O retorno do trabalhadores em Hubei, por exemplo, acontecerá somente a 13 de fevereiro.

Entretanto, forma registados mais 2.829 infetados com o vírus na China, elevando o total para 17.205. A OMS relatou pelo menos 151 casos confirmados em 23 outros países e regiões, incluindo EUA, Japão, Tailândia, Hong Kong e Grã-Bretanha.

Um hospital construído em Wuhan em apenas oito dias, que servirá para tratar as pessoas infetadas, começou a receber pacientes esta segunda-feira. Mais de 7.500 trabalhadores participaram do projeto, lançado a 25 de janeiro e finalizado neste fim de semana. Um segundo hospital, na mesma cidade, deverá estar pronto a 05 de fevereiro.

Além de tentar impedir a propagação do vírus proibindo as viagens, diversos países também estão a retirar os cidadãos de Wuhan. Os EUA planeiam “mais alguns voos” para ir buscar cidadãos norte-americanos à China e a Rússia, que já tinha suspendido as viagens de comboio para aquele país, começou a evacuar os seus cidadãos esta segunda-feira.

Na segunda-feira passada, a Austrália retirou 243 pessoas de Wuhan, colocando-as em quarentena numa ilha remota. Seguindo os passos dos EUA, no sábado passou a impedir a entrada de todos os estrangeiros que viajem da China continental.

O número de mortes na China já ultrapassou o número total de óbitos provocados pelo surto de 2002 da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), outro coronavírus que emergiu no país e matou quase 800 pessoas em todo o mundo. Mesmo assim, dados chineses sugerem que o novo coronavírus é menos mortal que o Sars.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Os Chineses já andam a dois anos a brincar com este vírus. Lançaram agora para ver se conseguem controlar o mundo. Mas espero que um dia o mundo lhes faça a eles o que fizeram e que estão a fazer. Foi pena os EUA não terem sido mais agressivos com eles e o resto do mundo não se terem juntado aos EUA.

Responder a Jorge Cancelar resposta

Goa decreta novo confinamento, com Índia a rondar um milhão de casos

Depois de ter aberto portas ao turismo, Goa decreta um novo confinamento de três dias. Registaram-se 198 novos casos nas últimas 24 horas, o número mais alto desde o início da pandemia. O estado de Goa, …

Tribunal da Concorrência confirma coima de 75 mil euros a Ricardo Salgado

O Tribunal da Concorrência confirmou, esta quinta-feira, a coima de 75 mil euros aplicada pelo Banco de Portugal a Ricardo Salgado, no caso do financiamento do Grupo Alves Ribeiro (GAR) para compra de ações da …

Mais três mortes e 339 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quinta-feira, mais três mortes e 339 novos casos de infeção por covid-19 em relação a quarta-feira, mostra o boletim mais recente da DGS. Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS), dos …

Crise entrou em nova fase mas mundo "não está fora de perigo", diz FMI

A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, disse esta quinta-feira que a crise provocada pela pandemia entrou numa nova fase, que exige flexibilidade para assegurar "uma recuperação sustentável e equitativa", alertando que o mundo …

China bane importação de ovelhas portuguesas

As alfândegas chinesas baniram as importações de ovelhas e produtos relacionados de Portugal, alegando um aviso da Organização Mundial de Saúde Animal sobre um surto de paraplexia enzoótica dos ovinos na Guarda. A notícia foi avançada …

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronavírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …