Chega quer tornar voto obrigatório e sanções para quem não cumprir

Mário Cruz / Lusa

O deputado do Chega, André Ventura

O deputado único do Chega entregou uma nova proposta no âmbito do projeto de revisão constitucional do partido para tornar o voto obrigatório para todos os cidadãos que o possam exercer e sanções para quem não cumprir.

A nova proposta do Chega pretende alterar a norma do artigo 109.º da Constituição Portuguesa, que diz respeito à “participação política dos cidadãos”, acrescentando-lhe um segundo ponto.

“O voto é um direito e um dever de todos os cidadãos maiores de idade, salvo situações de inabilitação legalmente definidas, definindo a legislação eleitoral as sanções aplicáveis em caso de não exercício do direito de voto e os motivos de justificação relevantes”.

Na exposição de motivos que acompanha o texto, o partido liderado por André Ventura justifica esta nova proposta com o acentuar do “alheamento dos cidadãos face ao desenrolar da vida política”, considerando que “a consagração do dever jurídico de votar parece ser o caminho certo para garantir o fortalecimento e a sobrevivência do próprio processo democrático”.

“A participação dos cidadãos nos diversos processos eleitorais deve ser perspetivado não apenas como um direito, mas igualmente como um dever, corolário dos deveres de cidadania adstritos ao funcionamento e à sustentabilidade da própria democracia”.

Esta proposta junta-se às restantes já apresentadas pelo Chega no âmbito do projeto de revisão constitucional, admitido pelo presidente da Assembleia da República no passado dia 9 de outubro, apesar das dúvidas de constitucionalidade quanto a algumas das propostas.

Propostas polémicas

Uma das propostas polémicas do projeto do Chega é abolir os limites da revisão constitucional e que serviu de base para o pedido de parecer à comissão de Assuntos Constitucionais.

Segundo artigo 288.º da Constituição, sobre os limites materiais da revisão, as alterações à Lei Fundamental têm que respeitar 14 princípios, entre os quais a forma republicana de governo e os direitos, liberdades e garantias dos cidadãos.

É este um dos artigos que o Chega pretende abolir.

O projeto de revisão constitucional do Chega, anunciado em 22 de setembro, prevê ainda a remoção dos órgãos genitais a criminosos condenados por violação de menores, algo que em si mesmo encerra dúvidas de conformidade constitucional.

Os partidos com assento parlamentar já se pronunciaram, de forma mais ou menos formal, contra estas propostas do deputado André Ventura.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. Que frouxos. A proposta não devia ser tornar o voto obrigatório, devia ser tornar o Chega! obrigatório.
    Deixo aqui uma proposta de slogan:
    Chega! Hoje um deputado único, amanhã um partido único!

    Este André é uma fábrica de anedotas. Há que aproveitar para rir. Enquanto se pode, porque a imbecilidade é contagiosa, e os cadernos eleitorais estão cheios de gente que não usa máscara…

  2. Frouxos. A proposta não devia ser tornar o voto obrigatório, devia ser tornar o Chega obrigatório.

    Deixo aqui uma proposta de slogan:
    Chega! Hoje um deputado único, amanhã um partido único!

  3. Sanções não! Cadeia! Com as eleições não se brinca…
    E já agora, dr. Ventura, se as pessoas obrigadas, votassem todas em branco ou se abstivessem, o que é que mudava?

    • Isso se calhar até era bem importante. Se numa dada eleição legislativa 60 ou 70% dos votos fossem brancos, eu diria que no dia a seguir podia sair para a rua porque tudo mudaria de imediato. Não tenha dúvidas nenhumas. Teria um verdadeiro 25 de abril, porque o outro não o foi.

  4. Concordo totalmente e não sou do CHEGA. Todos deveriam ser obrigados a votar. Nem que fosse em branco ou nulo. A abstenção é uma vergonha, uma total irresponsabilidade por parte dos cidadãos.

  5. E se eu votar em branco também sou penalizado? E os deputados na A.R. quando se abstêm, também são penalizados? Nessa questão Sr Ventura, eu não concordo. Não concordo porque na A.R. existe o mecanismo da abstenção, e porque mesmo que fosse obrigatório ir às urnas nada garantia que o voto fosse para algum dos candidatos. Desta vez não CHEGA!

  6. Devia ser obrigatório votar, e só no Chega
    Tenho a impressão que o bispo Edir Ventura anda a snifar cola de sapateiro.

RESPONDER

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …

O Arecibo desabou. É o fim de uma era à procura de vida extraterrestre

O Observatório de Arecibo, em Porto Rico, morreu. Três semanas depois de um dos principais cabos de sustentação da sua cúpula ter desabado, danificado irremediavelmente o radiotelescópio, o icónico caçador de vida extraterrestre antecipou-se à …

O maior elevador panorâmico do mundo tem vista para os cenários de Avatar

Com o recente lançamento de fotografias subaquáticas dos bastidores do Avatar 2 e a notícia de que Avatar 3 está quase a terminar as filmagens, não há melhor momento para revisitar o parque nacional que …

Pandemia tirou comida da mesa, mas deu asas a startup que transforma plástico do mar em máscaras

A startup portuguesa Skizo transformou a pandemia numa oportunidade de crescimento. Quando faltava comida nalgumas mesas, a empresa de produção de sapatilhas e bolsas passou a fazer máscaras a partir de plástico retirado dos oceanos …

Na Irlanda, o Pai Natal é considerado um "trabalhador essencial"

A Irlanda fez esta semana um anúncio especialmente dedicado às crianças, afirmando que o Pai Natal é considerado um trabalhador essencial no país e, por isso, não terá as suas deslocações restringidas no período natalício. …

Mais 2400 novos casos. Portugal ultrapassa os 300 mil desde o início da pandemia

Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou mais 2.401 novos casos, tendo passado a contabilizar …

Medidas para o Natal conhecidas no sábado. Passagem de ano com todas as restrições

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”. “O Governo …

Os assentos do meio da Delta Air Lines vão continuar vazios

A companhia norte-americana Delta Air Lines anunciou esta semana que continuará a manter os assentos do meio vazios, mantendo a política de distanciamento social decretada por causa da pandemia de covid-19. A bloqueio destes lugares intermediários …

A queda da Aurora Dourada. Como a Grécia lidou com a onda de extrema-direita

Quando uma onda da extrema-direita atingiu a Grécia em 2012, poucos previram que a Aurora Dourada, um dos grupos envolvidos, cresceria e tornar-se-ia o terceiro maior partido no parlamento grego. Este foi o início de um …